Sexta-feira, 27 de Dezembro de 2013

http://ait-sp.blogspot.pt/2013/12/o-estado-espanhol-reprime-e-persegue.html

 

No passado dia 28 de Novembro, em Espanha, 19 membros de diversos movimentos políticos, dois dos quais pertencentes à CNT (Confederação Nacional do Trabalho) e Juventudes Libertárias, foram presos e acusados de participarem no ataque contra cinco membros de uma associação fascista na Faculdade de Direito da Universidad Complutense de Madrid, durante uma manifestação anti-fascista que já vinha sendo realizada há anos a 20 de Novembro.

A maioria destes 19 presos nem sequer estiveram presentes na manifestação e foram levados de suas casas pela polícia, sem explicações, e só foram libertados 30 horas mais tarde, após recolhimento dos seus depoimentos e acusação formal de tais crimes como “violação de direitos fundamentais, atentado contra a integridade moral, danos e lesões com agravante de ódio, etc”.

Os meios de comunicação social não perderam tempo a distorcer e exagerar grosseiramente os factos, a fim de promover o medo e espalhar entre os cidadãos e movimentos sociais a noção de que a dissensão será esmagada com punho de ferro.

A acusação prepara-se para formalizar um pedido de prisão preventiva para os dois membros da CNT e JL e de medidas cautelares para o resto dos acusados, o que só vem confirmar a natureza repressora e o zelo fanático da tirania estatal espanhola.

Pela liberdade e absolvição dos companheiros perseguidos!

Associação Internacional dos Trabalhadores
Secção Portuguesa - Núcleo de Lisboa


publicado por uon às 11:19 | link do post

1471938_539783182772722_1742674862_n

Nos últimos tempos as empresas passaram a adoptar a palavra colaborador em substituição da palavra trabalhador. Segundo o dicionário a palavra colaborador resume-se a :

Pessoa que trabalha com outra em iguais circunstâncias de iniciativa. (“colaborador”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa)

Sabendo de antemão que a relação entre o trabalhador e patrão se resume a uma relação de violência, a palavra colaborador torna-se ridícula. Segundo Bakunin, se eu ofereço o meu trabalho pelo melhor preço e permito que o patrão viva do meu trabalho não é certamente pela minha devoção ou porque gosto dele. Quando o faço é porque morreria a fome se não trabalhasse para algum patrão, portanto eu sou obrigado a vender o meu trabalho ao menor preço possível e sou obrigado a faze-lo sob a ameaça de fome.

A partir do momento em que eu sou obrigado a trabalhar sob uma ameaça a palavra colaborador deixa de fazer sentido, visto eu não trabalhar em igual circunstância com o meu empregador, eu trabalho para me e para o alimentar.

Logo eu não sou colaborador, sou trabalhador.

FL

 

Chamar colaborador a um trabalhador é designadamente a mesma coisa só que é retirada a carga ideológicaa que é atribuida a um trabalhador.

Um trabalhador é aquele que trabalha por conta de outrem e recebe um salário muita vezes miserável.

Geralmente o trabalhador tem de fazer greve e outras formas de luta, pelos seus direitos quando estão a ser atropelados pela entidade patronal.

Por isso as empresas mais modernas (centros comerciais e outras) não querem trabalhadores que lutem pelos seus direitos, mas sim colaboradores que sejam submissos e dóceis para serem explorados e serem mal pagos para o patrão ter o dobro do lucro.

 

 

 



publicado por uon às 09:58 | link do post

Quinta-feira, 26 de Dezembro de 2013

Passos em campanha eleitoral  na televisão diz  que criou “120 mil novos postos de trabalho”  e “eestamos a cinco meses de terminar em Maio o Programa de Assistência financeira.

Passos já parece o Sócrates, nem criou 120 mil postos de trabalho nem estamos no fim da crise e vai continuar em 2014.

Isto foi mais um número de circo de natal para os telespectadores onde tudo não passa de engodo para o povo engolir mais duas mentiras.

O natal e o ano novo é o "25 de Abril" e o "1º Maio" da Direita, em que a esquerda  tambem comemora e é fértil em mentiras.

O natal também é fértil em consumo e muita gente aproveita para se embebedar e as consequencias vem a seguir.

Mas quem não se ebededou neste natal ficou pela certa embededado com as palavras de Passos.

 

 

 



publicado por uon às 14:38 | link do post

Segunda-feira, 23 de Dezembro de 2013

 

A PSP identificou e levantou 60 autos a cidadãos desde o início do ano por desacatos nas galerias da Assembleia da República. Remeteu-os ao Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa, mas a Procuradoria-Geral da República não diz o que fez com eles. O caso do empresário de Leiria, Ivo Margarido, que foi interrogado na passada semana é o único conhecido.

Pois é, mas a PSP não levantou nenhum auto aos seus elementos (que se saiba) que se manifestaram nas galerias e no átrio da assembleia.

Dois pesos duas medidas.

Se os cidadãos se vão manifestar para a "casa democracia" é por que a mesma está atropelar a própria democracia com as suas leis contrarias á própria Constituição, aprovada por um dos partidos da maioria e várias vezes alterada pelo PS e PSD.

O que quer dizer que a Constituição na prática não funciona, ou funciona só para o lado do mais forte.

Se um governo não cumpre a constituição várias vezes devia ser DEMITIDO, mas a mesma está suspensa...

 

 

 



publicado por uon às 09:51 | link do post

Sexta-feira, 20 de Dezembro de 2013

Li o MANIFESTO 3D e ocorreram-me várias considerações:

 

  1. Politicamente, parece uma plataforma para eleger uns tipos para Estrasburgo, onde actuarão sem perguntar nada a ninguém cá na parvónia, como é apanágio dos auto-ungidos da classe política;

 

  1. A Constituição continua a ser uma bíblia e nem sequer consideram a sua mobilizadora revisão no capítulo da estrutura do sistema político (eleições de pessoas e não de partidos, extinção da figura do PR, governo emanado de uma AR totalmente alterada na sua composição e poderes…), do modelo de representação (responsabilidade total dos deputados perante os seus eleitores que os poderão apear por referendo, consulta da população para as posições a votar na AR…) ou da democratização dos serviços públicos;

 

  1. Defender Portugal é o quê? Portugal é uma abstração, o que existe são os portugueses e entre estes estamos todos do mesmo lado, nós e o Belmiro ou o Soares dos Santos, nós e o Ricardo Salgado ou o Cavaco?

 

  1. Renegociar a dívida conduz à salvação da pátria lusa. Portanto, consideram a isso se consegue com umas décimas a menos nos encargos com a dívida, que correspondem a uns 12% do PIB (dos quais 3.5 ou 5% de juros) até 2021; e para mais num contexto previsível de recessão ou anemia económica. Um manifesto irrealismo ou uma manifesta ignorância?

 

  1. Dado o estado miserável da herança que Loucã deixou no BE, surge mais uma vaga de renovadores, não sei se para criar um BE recauchutado ou um PS renovado; o que à partida são projetos falhados, emanados de membros de uma classe política em que a população não se revê. Nem neles, nem nos seus métodos, nem nas suas práticas de lapas no erário público;

 

  1. A presença do Carvalho da Silva, campeão do controlo social durante 25 anos é uma mais valia? Só se for para os distraidos;

 

  1. O Boaventura ainda a semana passada dizia que só a moblização social pode alterar o atual estado de coisas uma vez que os partidos e os sindicatos não o conseguem fazer. De um Manifesto protagonizado por (ex) aparatchiks sairá alguma solução mobilizadora?

 

  1. Serão os promotores capazes de colocar às pessoas comuns oportunidades de serem elas a criarem uma agenda avançada e realista de combrate ao capitalismo e à falsa democracia por aí implantada? E, se isso acontecer, deixarão de utilizar os vícios do seu controleirismo permitindo a discussão livre e a decisão democrática?
Manifesto 3D aqui
http://manifesto3d.pt/
 

--
GRAZIA  TANTA

Documentos e textos em:    

 
http://grazia-tanta.blogspot.com/   


publicado por uon às 11:53 | link do post

Financial Times, El Pais, Telegraph e Bloomberg escrevem sobre o buraco nas contas públicas criado pelo veto ao corte de pensões.

Portugal na imprensa estrangeira devido ao chumbo do TC sobre as convergências de pensões.

A regime que etá montado em Portugal, nesta matéria e noutras é injusto.

Quem ganha mais recebe mais e quem ganha menos recebe menos em reformas e pensões.

Por isso temos de fazer uma convergência de salários seja no público seja no privado.

Temos de acabar com o publico e com o privado para sermos iguais e cada um trabalhar cinco horas diárias para toda a gente ter trabalho e desfrutar da vida que é tão curta.

Tem de haver um "número" para que todos os seres possam ganhar para satisfazer a sua qualidade de vida.

Não se admite que haja pessoas a receber o salário mínimo e outros a ganhar dezenas de salários mínimos.

Então os ricos e os pobres quando vão ao supermercado não compram os produtos ao mesmo preço.

Isto é uma questão de mentalidade repartir a riqueza por todos e dá um número.

 



publicado por uon às 11:30 | link do post

 

Capturar3

Editado em 1985 pela editora libertária “A Sementeira” esta pequena brochura dá à estampa um texto de  memórias de Elias Matias (1888-1990),  anarquista eborense e um dos militantes que esteve envolvido na criação das primeiras associações de rurais alentejanos, nos primeiros congressos rurais e nas greves que os trabalhadores agrícolas alentejanos desenvolveram durante os primeiros anos da República. Por ser um testemunho importante e por este pequeno livro estar praticamente esgotado decidimos disponibilizá-lo em formato PDF para todos os que o queiram consultar. (ler aqui: Alentejo em Luta – (Testemunho sobre os trabalhadores rurais na 1ª República))



publicado por uon às 11:12 | link do post

Quinta-feira, 19 de Dezembro de 2013

Ainda segundo o The Guardian, Michael Moore comentou que a inclusão do documentário Roger e Eu na lista do Congresso era “o reconhecimento” que mais gostaria de ter para o seu trabalho. “Mas aquilo que verdadeiramente lamento é que as cidades de Flint e Detroit, que estão no centro do meu filme, estejam agora numa situação muito pior”, acrescentou, referindo-se às consequências da crise da indústria automóvel que levou inclusivamente o município de Detroit a declarar falência.



publicado por uon às 17:46 | link do post

Marques Guedes"Não há nenhum pai deste país que possa ficar sossegado se achar que alguma daquelas pessoas, com as cenas que assistimos ontem na televisão, possa ser professor de um filho seu", afirmou hoje o ministro da Presidência no final da habitual reunião de Conselho de Ministros.

Pois é Sr. Guedes só se os país dos alunos andarem a dormir e não virem que o governo é que é o culpado do sucedido ontem.

Os professores andam atrás do Sr. Nogueira mas não deixam de ter razão que a prova é contra-senso e só nas cabeça do governo é que saiem estas pérolas que só provocam confusão.

O direito á indignação está consignado na constituição, mas para o governo não existe constituição que foi aprovada e remendada várias vezes com os vosso votos e os professores só fizeram o que deviam.

Olhe faça um favor, demita-se.

 

 

 



publicado por uon às 16:21 | link do post

Quarta-feira, 18 de Dezembro de 2013

CNT denuncia el acoso laboral de UGT hacia el periodista Xuan Cándano

El Sindicato de Oficios Varios de Oviedo de la CNT aprobó ayer en asamblea emitir un comunicado en solidaridad con el periodista Xuan Cándano, director de Atlántica XXII y trabajador de TVE Asturias por el acoso laboral al que le está sometiendo UGT Asturias por haber publicado en su revista un reportaje denunciado el entramado empresarial de esta central y su deriva hacia la corrupción y el abuso de poder. El comunicado dice así:

"El SOV de Oviedo muestra su solidaridad con el periodista Xuan Cándano y rechaza el acoso del que es víctima por parte de UGT por dar cabida en la revista Atlántica XXII, de la que es director, a un reportaje en el que se denuncia la corrupción de esta central y su entramado empresarial que le coloca más cerca de la patronal que de los trabajadores. Hay que recordar que UGT está despidiendo a sus asalariados aplicando la reforma laboral que demagógicamente combate en la calle.




Es inadmisible que el comité de empresa de TVE Asturias, de la que es redactor Xuan Cándano, haya promovido un expediente sancionador contra dicho trabajador por presuntas incompatibilidades profesionales de hace más de 20 años, justo después de que su revista publicara el citado reportaje. Para CNT no hay duda: es claramente una represalia ordenada desde la ejecutiva de este sindicato.

Para la CNT el proceder de UGT en el caso de Xuan Cándano no es nuevo. Desde prácticamente sus orígenes, la central fundada por Pablo Iglesias se caracterizó siempre por su autoritarismo y sus procedimientos contemporizadores con la patronal.

El expediente sancionador contra el periodista, al que se le pretende suspender de empleo y sueldo durante 20 días simplemente por hacer periodismo de investigación, demuestra que el sindicato que dirige Justo Rodríguez Braga se ha convertido en una empresa de servicios fuertemente centralizada, en donde el nepotismo, la corrupción y el autoritarismo son sus señas de identidad.

Por todo ello la CNT exige que se acabe con las represalias contra Xuan Cándano por defender el periodismo libre e independiente y que el comité de empresa de TVE Asturias deje de utilizar su poder para atacar a los trabajadores y se dedique a defenderlos frente a los abusos patronales.



publicado por uon às 17:05 | link do post

Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

17
18
21
23

24
26
27
28
29
30


posts recentes

Sem repressão as politica...

Não passes cheques em bra...

A luta pela revolução na ...

Algumas propostas aos par...

Assad e seus camaradas fa...

É este o paraíso em que v...

Autarquicas: As pessoas ...

A AUTO EUROPA E OUTRAS EM...

Presos a trabalhar mas co...

A gestão das empresas men...

arquivos

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Março 2006

favoritos

Letra da Internacional An...

4 Julho de 1937:Foto do a...

Cartaz

Luta anarquista a Norte

Feira do Livro anarquista

O anarquismo na história ...

A accão directa é...

Filme "Memória Subversiva...

Consultório laboral

Projecto de Estatutos da ...

links
desde 23/05/11
contador de visitas
compteur de visite
agora
blogs SAPO