Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


 

entête communiqués

Um movimento de cólera como já há muito tempo não se via em França surgiu  há várias semanas, desorientando completamente o poder do Estado. É um movimento compreensível e legítimo face à violência social que existe; a diversidade dos seus actores é o sintoma do grau de frustração causado pelas políticas sucessivas de austeridade mais ou menos maquilhada. Esta revolta, mesmo que seja espectacular, junta-se aos mais recentes movimentos sociais que ocorrem em vários locais: hospitais, caminhos de ferro, faculdades, escolas secundárias, etc.

A principal característica deste movimento é a sua rejeição da representação política e ainda mais de quaisquer líderes auto-proclamados. Nas rotundas ocupadas inventam-se novos modos de socialização.

Os anarquistas não podem senão aprovar uma atitude que tem sido a sua desde sempre. No entanto, a revolta é inútil se não for acompanhada por propostas. Estas existem, como por exemplo em Saint-Nazaire ou Commercy e, mesmo se não satisfazem totalmente os anarquistas, merecem ser apoiadas desde que vão no sentido  da emancipação.

Denunciamos e condenamos também os muitos actos de violência repressiva do Estado (detenções arbitrárias, prisões imediatas, ferimentos devido a disparos de flashball e outras armas ofensivas da polícia, etc.) como as únicas respostas às reivindicações.

A vitória deste movimento não será a dissolução da Assembleia Nacional (sobretudo se for para aí instalar demagogos/populistas e/ou nacionalistas que nem sequer tolerariam tais manifestações), mas o seu fim para não pôr em causa a instauração da autogestão e do federalismo libertário.

Federação Anarquista

http://www.federation-anarchiste.org/
ifa@federation-anarchiste.org
09/12/2018

aqui: https://www.monde-libertaire.fr/?article=Gilets_jaunes_Communique_de_la_Federation_anarchiste

Gilets-jaunes-apres-les-annonces-du-gouvernement-quelles-suites-pour-le-mouvement

 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:30

Este movimento dos "coletes amarelos" designadamente em França revela que os partidos do sistema (esquerda/direita) estão ultrapassados e não conseguem mobilizar a população.A população sente que está a ser roubada pelos partidos do governo, então qualquer ponta de cigarro pode incendiar todo um país e até derrubar governos e faze-los ceder como fez Macron nalgumas medidas que queria implementar. Também em Portugal está em marcha um protesto (21 Dezembro) semelhante ao francês. Pode ser organizado ou apoiado pela extrema-direita e por sectores direita, mas os trabalhadores explorados não podem virar a cara a este protesto e criar um protesto alternativo com justas reivindicações operárias. Se nada for organizado a extrema-direita é que irá cobrar os dividendos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:19

capturar (1)capturarb

João Gouveia deixou no Grupo de Debate UAP, no facebook, a seguinte mensagem, que reproduzimos com o intuito de lhe dar maior visibilidade.

“Partilho aqui o instrumental d’A Batalha por Del Negro que reescrevi em formato digital.

Existem partes que foram ligeiramente modificadas que (admito que possa ser erro meu) não consegui ler ou interpretar corretamente, por isso gostava de pedir ajuda a alguém que também estivesse ligado à música para diminuir os erros nesta versão digital.

Por isso mesmo além de apenas partilhar o ficheiro .mp3, também partilho a minha versão da partitura original.”

Recorda-se que não existe qualquer gravação do “Hino de A Batalha”, cantado em muitas sessões, festas e comícios anarcosindicalistas, sobretudo da CGT , de que “A Batalha” foi o jornal diário oficial.

“A Batalha” foi fundada a 23 de Fevereiro de 1919, tendo-se publicado diariamente até ao dia 26 de maio de 1927, quando a sua tipografia foi destruída e a sua publicação proibida pelo regime saído do golpe militar de 28 de Maio de 1926.

No entanto, “A Batalha” sobreviveu publicando-se na clandestinidade durante várias décadas (até finais da década de 40) e vendo, de novo, a luz do dia, de forma legal, após o 25 de Abril de 1974

“A Batalha” comemora os seus cem anos a 23 de Fevereiro do próximo ano. Seria bonito dar, de novo, vida àquele que foi o seu hino!

hino original: https://colectivolibertarioevora.wordpress.com/2018/01/22/recordando-o-hino-revolucionario-de-a-batalha/

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:50

REIVINDICAÇÕES POPULARES

por uon, em 12.12.18

REIVINDICAÇÕES POPULARES :AUMENTO GERAL DE SALÁRIO (25 EUROS);AUMENTO DAS REFORMAS MÍNIMAS IGUAL AO SMN; ABAIXAMENTO DO IVA PARA PRODUTOS DE PRIMEIRA NECESSIDADE E DOS SERVIÇOS ÁGUA, LUZ GÁS;PARA PESSOAS QUE GANHEM MENOS QUE O SMN, ETC. MENOS REPRESSÃO POLICIAL; REFORMA DAS POLICIAS; JUSTIÇA JUSTA; JUÍZES E MAGISTRADOS DO PGR ELEITOS PELO POVO EM ASSEMBLEIA; SAÍDA DA NATO; REFORMA PROFUNDA CEE/UE; ABAIXO A CORRUPÇÃO POLÍTICA E INSTITUCIONAL; AUTOGESTÃO DAS EMPRESAS E DOS SERVIÇOS DO ESTADO; AUTORGANIZAÇÃO DO POVO E DOS TRABALHADORES; ASSEMBLEIA LOCAIS PERMANENTES;SOCIEDADE ANÁRQUICA E ORGANIZADA; FIM DAS PRISÕES; LIBERDADE PLENA; FIM DAS SUBVENÇÕES DOS PARTIDOS E DOS SINDICATOS E ASSOCIAÇÕES DA TRETA; FIM DA DEMOCRACIA FASCISTA. FIM DOS MONOPÓLIOS E DO CAPITALISMO LUSO/MULTINACIONAL PRIVADO E ESTATAL, ETC. ETC.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:25

Protesto dos "coletes amarelos" que se está a realizar em França está a pôr em causa o regime democrático e o seu sistema corrupto.O sistema democrático tal como está instituído só tem instituído a miséria a e a exploração das classes explorada francesas e internacionais .Neste sentido é necessário mudar de regime, para um sistema mais consentâneo baseado a na liberdade e na autogestão, na auto organização do Zé Povinho. Fora disso é mais do mesmo.Seja de esquerda seja de direita.Passa pela nossa organização a partir da base e na horizontalidade.O protesto nacional marcado para dia 21 Dezembro só pode ser marcado pela diferença. Exigir uma nova sociedade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:27

Placa toponímica da Rua Manuel Fiuza Junior, em Viana do Castelo, onde – como é regra quando se trata de anarquistas – é omitida a sua militância libertária.

Manuel Fiúza Júnior nasceu em 1887, na cidade de Viana do Castelo, onde editou, por alguns anos, o quinzenário anarquista A Voz dos Famintos. Apesar de modesto na colaboração e no aspecto, este jornal, que juntava o seu grito ao clamor dos que, em todo o mundo, reclamam mais um pouco de pão, de justiça e liberdade, exerceu uma profunda influência doutrinária entre a juventude da região minhota, alfobre, desde recuados tempos, de grandes rebeldes e revolucionários, que ilustraram com o seu nome e a sua acção fecunda as páginas da história do movimento operário, principalmente do anarco-sindicalismo.

Veio, no entanto, a quartelada do 28 de Maio de 1926 e com ela o fascismo que navegou nas suas águas, obrigando Manuel Fiúza Júnior aos subterrâneos da luta clandestina, para prosseguir a batalha que redime os homens de todas as vilezas e de todas as debilidades. Nesta cruzada foi encontrar a morte violenta, melhor dizendo, foi assassinado na sede da PIDE na Rua do Heroísmo, 329, no Porto, para onde fora conduzido sob prisão, contando então 70 anos de idade.

Viviam-se os anos de 1957, quando é preso e, 15 dias depois, morto, na sede da P.I.D.E, do Porto, Joaquim Lemos de Oliveira, natural de Fafe. Denunciando este crime, foram distribuídos milhares de manifestos e pela responsabilidade do seu aparecimento em Viana do Castelo é preso Manuel Fiúza Júnior. Conduzido pelos carrascos inspector Costa Pereira e chefes Pinto Soares e Patacho, colocado na tortura da “Estátua”, não resistiu ao suplício e morreu.

Foi mais um anarquista que deu a vida em holocausto ao ideal libertário.

Fonte: E. Rodrigues (1982). A oposição Libertária em Portugal. 1939-1974. Lisboa. Sementeira.

aqui: http://mosca-servidor.xdi.uevora.pt/projecto/index.php?option=com_jumi&fileid=13&p=creators&char=J&id=1458

também aqui: https://colectivolibertarioevora.wordpress.com/2016/02/17/memoria-libertaria-manuel-fiuza-junior/

a-voz-do-faminto

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:47

A pseudo revolta nacional

por uon, em 10.12.18

O diário de noticias diz que os turras da psp está atenta ao protesto da "revolta nacional" conotado pela direita-extrema, marcado para 21 Dezembro imitando os "coletes amarelos" em França. Só não estão atentos os governantes e ex.governantes esses podem estar descansados podem explorar o povo taxa-lo com impostos denegar salários.O povo que sofre a exploração da direita dos governos é que é o mau da fita. A extrema direita está a marcar pontos com iniciativas populistas como esta e também com anti-emigrantes, refugiados, crime, corrupção, terrorismo do daesh, greves, má governação, etc. o povo menos esclarecido adere a estes movimentos como fosse uma grande manifestação contra o sistema. A extrema direita indica o caminho ao povo que é preciso por "ordem na casa"  perante o atrás citado que é preciso um "messias" um ditador e perante isto vai levando água-ao-moinho.Os organizadores até apoiam as forças de repressão. Este protesto não vai ter sucesso pelos seguintes motivos:o povo português e manso demais ordeiro. Isto ser mais uma marcha de direita.A direita quer é capitalizar votos nas próximas eleições. Dia 21, sexta-feira é dia semana, logo dia de trabalho e não greve e eles também são contra as greves.Também não quer dizer que toda a gente que adira a este protesto seja facho ou nazi. A muita gente que é manipulada pelos extremistas.Os franceses são tesos já passaram por muito.Invasões napoleónicas.Comuna de Paris.Invasão da França pela Alemanha nazi e resistência ao nazi/fascismo.Maio de 68, etc, tudo revoltas que ficaram no sangue dos franceses.Pelo contrário o povo português tirando 1974/1975, Timor, o 12 de Março de 2011 e o Setembro de 2013 temos sidos uns autênticos anjinhos.Tirando o Buiça e Costa e o Emídio Santana que foram homens tesos que hoje em dia já não há.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:14

A imagem pode conter: texto

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:59

Resultado de imagem para justiça

 

Justiça cega surda e muda não é justiça.

Juizes/PGR não são fiscalizados por ninguém. Acusam e condenam sem mais.Afinal que justiça da treta é esta.A teoria da separação de poderes (executivo legislativo e judicial ) é uma anedota, tanto mais que temos governações que não governam e são um autentico descalabro economico- financeiro.Numa democracia os juízes/PGR deviam ser eleitos tal como são os deputados. Os juízes tem de ser fiscalizados por alguém.   

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:17

OS REGIMES NÃO SÃO ETERNOS

por uon, em 05.12.18

 

NADA É ETERNO. OS REGIMES MEDIEVAIS, ABSOLUTISTAS, SOVIÉTICOS, FASCISTAS ETC CAÍRAM E DERAM LUGAR A OUTROS. TODOS ESTES REGIMES CAÍRAM POR QUE HAVIA FALTA DE LIBERDADE. TAMBÉM O REGIME CAPITALISTA E DEMOCRÁTICO CAIRÁ UM DIA. NOS REGIMES DEMOCRÁTICOS ESTÃO-SE A TORNAR MUSCULADOS E A LIBERDADE ESTÁ A FICAR EM CAUSA. OS DDT QUEREM TORNA-SE REIS E SENHORES E EXPLORAR O TRABALHADOR, VEJA-SE O QUE SE PASSA EM FRANÇA NESTE MOMENTO. O GOVERNO PÕE IMPOSTOS E MAIS IMPOSTOS E O POVO VEM PARA A RUA LUTAR CONTRA A DITADURA DO MACRON QUE ERA UM SALVADOR E ESTA-SE A TORNAR IGUAL AOS OUTROS. AS DITADURAS FASCISTAS OU DEMOCRÁTICAS TEM OS DIAS CONTADOS.ATÉ QUANDO...
 
 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:19



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D