Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


espanha-lancamento-anarquistas-de-ultramar-anarq-1

Ideias como as de autogestão, democracia direta e apoio mútuo foram defendidas tanto pelo anarquismo que veio à luz na Europa do século XIX como por muitos povos indígenas que espontaneamente as levaram a prática desde tempos imemoriais. Este livro estuda a relação entre esses dois mundos, e o faz com a vontade de estimular, paralelamente, uma definitiva descolonização do próprio pensamento anarquista. Serve como introdução, também, à realidade, comumente esquecida, dos anarquismos que adquiriram carta de natureza na América, África, Ásia e Oceania.

Anarquistas de ultramar

Anarquismo, indigenismo, descolonización

Carlos Taibo

Los Libros de la Catarata, Colección Mayor, 689. Madrid 2018

192 págs. Rústica 22×14 cm

ISBN 9788490975237

Edição em papel 15,00 €

eEbook 9,99 €

catarata.org

Conteúdos relacionados:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2018/04/10/espanha-carlos-taibo-defende-o-decrescimento-economico-como-ferramenta-frente-ao-colapso-ambiental/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2017/11/06/espanha-lancamento-libertaris-antologia-de-anarquistas-y-afines-para-uso-de-las-generaciones-mas-jovenes-y-de-las-que-no-lo-son-tanto-de-carlos-taibo/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2017/06/21/pais-basco-cronica-da-apresentacao-do-livro-colapso-de-carlos-taibo/

agência de notícias anarquistas-ana

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:36

Mas o governo não pode dar. Os serviços do estado não funcionam por que estão burocratizados. O estado só actuam de forma a punir através dos tribunais. Os patrões fazem o que querem por que sabem que o governo e os partidos e as instituições do estado nada fazem. Só a luta dos trabalhadores pode gerar uma modificação na sociedade sem exploradores nem explorados e casos destes. Nada esperemos do Estado do governo dos partidos e das instituições que os sustentam. Estão todos feitos uns com os outros.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:32

Visitantes da Festa do Avante agredidos por seguranças apresentaram queixa na policia. Não vale muito apresentarem queixa na policia porque o mesmos fazem o mesmo.Mas pronto fica a queixa.

Um partido que utiliza seguranças para meter na "ordem " os visitantes nunca pode defender o povo e o trabalhador conforme se arroga aos sete-ventos. Os PCP não são meninos de coro.O PCP é um partido do regime que usa seguranças (do partido) ou privados que até apoia as forças de segurança nas suas reivindicações para que estas façam uso da força sobre os trabalhadores e o povo. Este partido nunca pode ser do povo, mas contra o povo como os outros partidos do sistema. Está tudo dito.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:18

E já agora os desempregados também não deviam pagar bilhetes.

Concorda-se plenamente com esta medida, mas uma coisa é certa com tanta gente a viajar a borla, quem vai pagar os transportes são os trabalhadores.

Por isso á dúvidas que os passes fiquem mais baratos.

São os trabalhadores que são explorados, que fazem a riqueza dos patrões e do estado e são eles que pagam impostos através do IRS descontado na fonte não podendo fugir ao mesmo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:34


Desde que haja negócios lá no outro mundo o capitalismo tudo fará para destruir o mundo com as sua guerras entre povos, vender armas e explorar o trabalhador. Eles estão já a preparar o terreno para ir a Marte e montar lá o mesmo negócio. Há dúvidas que o capitalismo se auto-destrua. Eles querem manter o negócio. O capitalismo o fascismo o comunismo a democracia da treta tem de ser destruídos, mas também há dúvidas que os povos queiram ver-se livre do capitalismo e do resto se não já o teriam feito.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:27



João Freire: a rendição de um ex-anarquista
colectivolibertarioevora.wordpress.com



O pessoal anarquista também deixa de ser anarquista como facilidade. O João Freire lá terá suas razoes para mudar de campo.João Freire como é um intelectual que toda a gente conhece é mais grave. Não critico cada um segue o caminho que acha. Quantos grupos, colectivos, associações foram fundadas que tiveram curta duração e quantos temos hoje? Quase nenhuns ou nenhuns. Não é só ele que mudou de campo.Muitos companheiros mais mudaram. Aonde é que eles estão? As pessoas também não são de ferro.Esperamos quando houver a revolução social o João esteja do nosso lado.A vida é assim.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:45

espanha-14-n-um-passo-atras-tres-passos-adiante-1

Na manhã deste 4 de setembro, mais de cinco anos depois de ocorridos os supostos acontecimentos – e dizemos supostos porque a acusação não conseguiu sustentar suas acusações com provas, exceção feita dos testemunhos policiais –, conhecemos por fim a sentença pelo julgamento do 14-N, que condena a nossos companheiros Jorge e Pablo a umas penas de um ano e quatro anos e nove meses de cárcere, respectivamente.

A notícia caiu na CNT como um balde de água fria, não tanto desde o lado judicial – há possibilidades de recurso, e não duvides de que se recorrerá desta malfadada sentença –, senão desde o moral. Nossa desconfiança para o que se divulga como Justiça foi confirmada. E ainda que oxalá pudéssemos dizer o contrário deste NÃO-CASO, vemos reafirmada nossa posição sobre umas instituições que se por algo se caracterizam, é por sua hostilidade para com o movimento obreiro.

Quê esperamos? Justiça. Mas não um novo e esgotador processo onde uns personagens teoricamente neutros avaliam sobre umas provas e testemunhos. O que queremos é o reconhecimento público de que nossos dois companheiros foram acusados falsamente. A absolvição. Não acreditamos em suas palavras e testemunhos, nós também estivemos ali e também vimos os vídeos do acontecido naquela manifestação.

Esta sentença foi um passo atrás. Agora daremos três adiante, começando pela manifestação, convocada por Stop Represión La Rioja, que este sábado 8 de setembro, às 18h30, percorrerá desde o chamado Palácio de Justiça de Logroño. Nossa única defesa é que mais e mais ouvidos se inteirem desta NÃO-Justiça.

Fonte: http://cnt.es/noticias/14-n-un-paso-atr%C3%A1s-tres-pasos-adelante

Tradução > Sol de Abril

Conteúdo relacionado:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2018/09/05/espanha-penas-de-um-e-quatro-anos-para-os-acusados-do-nao-caso-da-greve-de-14n-em-logrono/

agência de notícias anarquistas-ana

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:43

 

Não se esperava outra coisa que a extrema-direita lusa apoiasse um nazi/fascista que quer esterilizar os pobres.Nem toda a gente tem a ousadia de fazer o acto de limpar o sebo ao Bolsonaro. Bolsonaro não morreu, mas agora já vai pensar duas vezes antes debitar discurso anti-trabalhador e já fica debilitado. Para quem é a favor da pena de morte, foi pena que a dita sentença não começasse por ele.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:30

É um dever proteger a Terra onde vivemos e a ecologia por que não temos outro local para viver. E se possível erradicar o que lhe é prejudicial á natureza (petróleo/carvão/plásticos, etc). Mas os ecologistas do sistema são mais papistas que o papa. Também não vimos os ambientalistas a fomentar um decrescimento económico, menos produção ou produção em função das necessidades básicas das populações, junto dos governos. Só vimos é produção em série de automóveis e outros produtos que apesar de cada vez mais caros não deixam de ser consumidos nem que nos tenhamos de nos endividar que estão a venda nos supermercados prontos a ser consumidos e descartados passados uns tempos. Tem de haver decrescimento económico e distribuir a riqueza por todos equitativamente. Como é evidente quem nos governa e os donos das empresas não estão interessados no decrescimento económico e na distribuição da riqueza. Por isso é que a luta de classes (trabalho contra o capital) é muito importante.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:19

A receita da CEE/UE

por uon, em 05.09.18

CEE/UE considera a revisão da lei das rendas parece bastante ineficaz para resolver os problemas graves da habitação em Portugal; as políticas salariais, de horários e das carreiras da função pública devem fazer derrapar o défice; o acordo para o novo pacote laboral pode criar "novas distorções" no mercado de trabalho, atirou ontem a Comissão Europeia (CE) no estudo de vigilância ao país no âmbito do pós-programa de ajustamento.

Esta é a receita que CEE/UE dá a Portugal quando diz que a lei das rendas é ineficaz, os salários e horários e carreiras são são um fardo para o défice, além da lei laboral poder criar desemprego.

CEE/UE continua a meter o nariz na política caseira e dar ordens verbais ao governo. Isto deve-se ao enfeudamento do governo aos ditames da comissão europeia. Resta saber se o governo é bom aluno e respeita o professor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:35



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D