Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


SNS é complexo diz PS

por uon, em 23.06.18

Complexidade? É simples, ou se está com uma saúde publica para todo o povo ou com os privados.Por isso é que a saúde privada esta de vento em popa. Tem aberto novos hospitais privados com pessoal que foi formado nos hospitais públicos.Os trabalhadores já pagam muitos impostos e ainda tem de pagar taxas moderadoras que foram introduzidas por Luís Barbosa num governo PS/CDS. O PS está lembrado desta medida que tem prejudicado os utentes das urgências.As taxas não moderam nada, só faz os bolsos dos utentes mais vazios.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:28

PS classificou hoje como "uma traição" o voto favorável do PCP e do BE que permitiu a aprovação de um diploma do CDS para a eliminação do adicional ao Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP).

POIS MAS O PS TAMBÉM SE TEM JUNTADO AO PSD E AO CDS PARA APROVAR LEIS QUANDO LHES DÁ JEITO.

SE O PS ACHA QUE FOI TRAIÇÃO DEMITA-SE E PROVOQUEM ELEIÇÕES ANTECIPADAS. O MANDATO ATÉ ESTÁ QUASE ACABAR NÃO VEJO QUAL SEJA O PROBLEMA DE QUALQUER PARTIDO DEMITIR-SE O FAZER MOÇÃO DE CENSURA AO GOVERNO E O MESMO CAIR. SE ESTIVÉSSEMOS A MEIO DO MANDATO OS PARTIDOS PODIAM SER PENALIZADOS OU NÃO POR FAZER CAIR O GOVERNO. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:11

Baixar os combústiveis ou não?

por uon, em 21.06.18

Partido de esquerda e direita querem baixar o imposto sobre combustiveis. Ps diz que tem de ser no âmbito do Orçamento do Estado (OE).

Baixar os combustíveis 0,50 cêntimos (e não aumentar) menos que isso é tapar o sol com a peneira e ficar tudo na mesma.Mas também há um problema do ambiente poluído que é prejudicial para a saúde.Em que ficamos baixamos os combustíveis e aumenta a poluição e as doenças respiratórias.Se aumentar-mos combustíveis a economia baixa por que ha menos consumo.As duas coisas não são compativeis.É escolher.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:32

Interior selfies e demagogia

por uon, em 19.06.18

Marcelo depois da campanha dos sem-abrigo que tem de estar resolvido até 2022 .Para Marcelo poderá não ser muito tempo porque vive em palácio com todas as comodidades, mas para um sem-abrigo que dorme no meio de papelões e come uma sopinha das ajudas das organizações de caridade e pouco mais, é com certeza muito tempo. As câmaras tem a obrigação de criar condições de habitabilidade para esta população de poucos milhares não com regras rígidas por que o sem abrigo dado o seu carácter não cumpre e depois é expulso ou simplesmente abandona o refúgio e volta novamente a rua e ao álcool.

Marcelo voltou-se agora para o Interior para dizer que temos que resolver a desertificação do território.Pois mas cada vez mais certos serviços essenciais CTT/CGD, linhas férreas, etc são retirados dos concelhos por que não dão lucro. Se forem criadas condições como fábricas, agricultura,  serviços públicos, escolas os que estão não terão de emigrar internamente ou externamente. Fazer regressar os que saíram é muito difícil a não ser os reformados mas os trabalhadores cada se reformam mais tarde. Porque uma pessoa com a vida instalada nas grandes cidades não pode abandonar dum momento para o outro e seguir para a província sem condições.

Enfim, Marcelo encontra-se em campanha eleitoral permanente.Aparece em todo o lado.Tira uma selfies dá uns beijinhos.Faz demagogia com o Interior e com os sem abrigo, mas quem governa é o governo e o governo nada faz e oposição de direita limita-se a criticar o que também não fez.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:23

Todos os povos mudam os votos nos partidos. Espanha, França, Itália, Áustria, Alemanha, etc. Os povos mudam mas mudam da Direita para a extrema-direita, mas mudam. Em Portugal ninguém muda. Se não mudam tem sempre a mesma coisa. Não há grandes diferenças entre Direita Liberal e extrema-direita. Uns (Direita) querem chegar ao fascismo lentamente.Moda soft. A extrema-direita quer chegar mais rapidamente.Moda hard. Uns e outros tem problemas com os refugiados. A burguesia lança na atmosfera o ambiente para os povos serem contra os refugiados como os responsáveis por todos os males. Uns querem os refugiados para explorar a mão-de-obra. Os da extrema-direita é um género híbrido nem quer nem deixa de querer mão-de-obra barata. Os dois grupos precisam de mão-de-obra para trabalhar para enriquecer os patrões e capitalistas.Desenganem-se os que pensam que os refugiados forem expulsos que vai haver mais emprego e melhores salários, etc para os nativos do país como quer Salvini e outros.É pura ficção. O problema dos refugiados de África tem de ser resolvido na fonte e não no destino. A luta dos povos de África/Ásia tem de ser feita nos próprios países expulsando governos corruptos e vendidos ao Ocidente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:21

Esta união é um acordo livre e voluntário, e cada indivíduo ou grupo continuará a trabalhar independentemente para além de estar na união.

Na união, todas as tendências anarquistas, exceto as religiosas, pacifistas e os chamados anarco-capitalistas, tem potencial de se voluntariar.

Todas as pessoas e grupos devem assinar qualquer chamado ou anúncio com o nome da união. Se um acordo coletivo não for atingido, cada indivíduo ou grupo pode assinar o item independentemente com seu nome ou grupo.

No começo da formação da união, o maior nível de cooperação será por meio da assinatura conjunta da União de Anarquistas. Ao longo do tempo, com mais familiaridade entre indivíduos e grupos, existe a possibilidade de expandir o nível de cooperação.

União Anarquista do Afeganistão e Irã inclui os seguintes grupos anarquistas:

Coleção da Era Anarquista (uma comunidade de anarquistas do Irã e Afeganistão dentro e fora do país).

Grupo Anarquista “Aleyh” (situado no Afeganistão).

Frente Revolucionária Anarquista Radical (que está presente no Irã).

PS: A possibilidade de união de novas pessoas e grupos de anarquistas será permanente.

Fonte: http://asranarshism.com/1397/02/30/anarchist-96/

Tradução > Imprensa Marginal

agência de notícias anarquistas-ana

Anarquistas do Irão e Afeganistão resolveram unir-se e criar a"União anarquista" nestes dois estados. Claro está que a luta anarquista no Irão e no Afeganistão será deveras difícil por que os regimes são fascistas religiosos. No Irão existe um clero religioso reaccionário que reprime os trabalhadores/ras, sendo as mulheres as mais prejudicadas com o domínio religioso dos aitolas. No Afeganistão o governo é reaccionário e apoiados pelos americanos e pela Nato.Aparte disso ainda tem os talibans e o estado islâmico que são ainda mais reaccionários e fascistas que querem tomar o poder e instaurar a um regime religioso. Claro está e seja em que regime for (comunista/fascista/religioso ou democrata) a luta será sempre difícil por que estes regimes não querem que as pessoas sejam livres e pratiquem a autogestão como forma de governo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:39

Público e privado a mesma luta

por uon, em 18.06.18

Os funcionários públicos tem sido as vitimas da governação do PS/PSD/CDS que nos tem governado. Nos salários (não são aumentados a 10 anos), nas aposentações baseadas na esperança de vida que é uma falácia enquanto que há trabalhadores que estão no desemprego a espera e não podem trabalhar por os mais velhos tem de trabalhar mais anos. etc.etc. Os funcionários públicos não podem fugir ao fisco por que lhes é descontado na fonte. Os trabalhadores do privado também tem sido vitimas da governação anterior com alterações ao código do trabalho que este governo também não quer reverter e que beneficiam os patrões. Por isso o povo não pode votar nestes partidos da governação (PS/PSD/CDS) e na pior das hipóteses votar nos partidos mais pequenos para que haja uma negociação nas leis aprovar.Quanto aos outros PCP/BE a ver vamos quando estiverem no governo que vai ser difícil enquanto se mantiver o actual status quo eleitoral.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:29

 
 

1 – A democracia e a representação a nível local

  2 – A democracia e a representação a nível regional e nacional

 
Quarta-feira dia 20, às 18.30
 
Local - Biblioteca-Museu República e Resistência
 
Rua Alberto Sousa, 10 A 
Zona B do Rego 
1600-002 Lisboa

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:46

Uma família portuguesa de fracos recursos socioeconómicos pode demorar 125 anos até que os descendentes consigam alcançar um salário médio.

É a brilhante conclusão que faz parte de um relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) sobre mobilidade social, divulgado esta sexta-feira.

125 ANOS se tudo corresse bem. Mas como não vai correr bem. Com as crises pelo meio, a corrupção, a má governação dos governos, nunca os pobres deixarão de ser pobres a não ser que se revoltem contra o poder instalado, contra os patrões e capitalistas que não deixam que a grande maioria do povo viva condignamente durante a vida.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:23

O deputado federal Rubens Jr (PCdoB-MA) destacou os avanços alcançados pela gestão do governador Flávio Dino (PCdoB) na segurança do Maranhão, durante a sessão do plenário da Câmara, nesta terça-feira (12). Rubens Jr ressaltou que entre 2004 e 2014, a taxa de homicídios no estado maranhense aumentou ano a ano, sem trégua. Mas, em 2015, ano que Flávio Dino assumiu o cargo de governador no Maranhão, os números começaram a cair, invertendo a curva ascendente até então, de acordo com dados do Atlas da Violência, divulgado pelo Ipea.

https://pcdob.org.br/noticias/rubens-jr-destaca-trabalho-do-governo-dino-na-seguranca-do-maranhao/

Resta saber se a criminalidade baixou devido a assassinatos da polícia militar de presos ou devido a medidas sociais e políticas. Se foi com medidas sociais tem o nosso apoio se foi com assassinatos obviamente que não tem.Temos aqui um dedinho que nos diz que foi com assassinatos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:24



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D