Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

LIBERDADE E BEM ESTAR

LIBERDADE E BEM ESTAR

G8 preocupados com alta recursos petrolíferos

14.06.08, uon

Os ministros da finanças do G8 estão preocupados com os altos custos das matérias-primas como o petróleo e esta política vai dificultar a estratégia de lucros previstos pelo capital.

É interessante saber que estão preocupados mas esta política foi provocada pelo próprio capitalismo especulador que viu mais ima forma de encher os bolsos à conta de quem consome.

O capitalismo está a puxar a corda e está a abrir a própria cova onde se irá deitar.

O problema do aumento dos produtos petroliferos está a provocar uma enorme onda de manifestações e paralisações dos camionistas, dos pescadores dos prontos socorros que estão a ser atingidos pela crise que já não aguentam tantas despesas e estas classes de patrões que eram trabalhadores e formaram um pequeno negócio para ganhar mais alguns trocos para fugir à luta de classes nas empresas onde trabalhavam e agora depara-se com o outro lado da barricada, também eles estão em crise, com empregados a seu cargo e vão todos fazer pela vida com o fecho de muitas empresas e tornar a procurar trabalho se o houver ou em última análise tornar a emigrar.

O capitalismo é uma ideologia que fomenta ambições empreendedorismo nas pessoas de procura riqueza de criar novos negócios, ou seja, explorar novos mercados, explorar novos trabalhadores, aumentar a facturação, abrir novas empresas e novas delegações.

O fomento desta novas ideias ambiciosas faz que muitos trabalhadores deixem a suas linhas de actuações e promovam este tipo de capitalismo mais popular.

Só que no final também sejam confrontados com a luta de classes sempre subjacente em qualquer loja, escritório ou oficina.

A luta de classes está sempre presente em toda a parte e é a unica forma de confrontar as velhas politica de luta social como única arma de salvaguardar a luta dos trabalhadores contra o capital.

 

 

 

 

Comentário de leitor do (P)

 

O Mundo em geral e a Europa em particular, atingiram na segunda metade do século XX uma prosperidade nunca antes conseguida. Com excepção de um Estado Social razoavelmente estruturado nalguns países, a verdade é que se esbanjou essa prosperidade em luxos, como ouro, jóias, quadros, automóveis, aviões, navios, iates, hotéis de luxo e outras megalomanias. Inventaram até o “turismo” que é a forma suprema de gastar dinheiro sem fazer nada. Com excepção da indústria pesada (armamento inclusive), praticamente negligenciou-se a produção de bens de primeira necessidade. Só assim se explica que num período de apenas 50 anos, assistiu-se à ascensão e queda da indústria, do comércio e da agricultura e hoje a Europa sente-se impotente para concorrer com a China, a Índia e outros países asiáticos, onde não existe qualquer tipo de protecção social. O Parlamento Europeu, numa atitude patética, propôs um horário de trabalho de 65 horas semanais, sem saber bem como nem onde aplicar este excedente de horas, com o desemprego que grassa na Europa. Adivinha-se um recuo à época da Revolução Industrial, arrastando agora consigo um sector “terciário” , o único que enriqueceu.