Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

LIBERDADE E BEM ESTAR

LIBERDADE E BEM ESTAR

Os ricos menos ricos?

14.08.08, uon

(Jornal de Notícias)

Lista anual das maiores fortunas de Portugal, da revista Exame, tem em primeiro lugar Américo Amorim, que destronou Belmiro de Azevedo. Num ano em que os valores totais diminuíram

Pela primeira vez desde 2004, os 100 mais ricos de Portugal viram as suas fortunas descerem. Em 2008 os ricos ficaram menos ricos e o "trono" deixou de pertencer a Belmiro de Azevedo, ultrapassado por Américo Amorim.

Américo Amorim ocupa pela primeira vez, desde 2004, o lugar de topo da lista anual dos 100 mais ricos de Portugal, revelada pela revista "Exame", destronando Belmiro de Azevedo, cuja fortuna foi a que mais desceu.

A fortuna do patrão da Sonae desceu quase para metade do valor que tinha no ano passado: de três mil milhões de euros passou para 1722 milhões de euros.

Já o actual líder de riqueza nacional, Américo Amorim, viu a sua fortuna crescer 11,6%, chegando aos 3106 milhões de euros. O que se reflecte também no facto da família Amorim ser a mais rica do país. Constituída pelos três irmãos, esta família tem uma fortuna de 3421 milhões de euros, logo seguida da família Champalimaud com 1645 milhões de euros.

Mas as novidades não se ficam pela mudança de lugares. 2008 será o ano em que as 100 maiores fortunas de Portugal desceram. Uma queda de 6%, face a 2007, passando agora a valerem 32 mil milhões de euros.

Valores que continuam a representar uma significativa fatia do PIB, 19,68%. E apesar da diminuição, estas fortunas, se fossem convertidas em dinheiro, dariam para fazer mais de seis aeroportos, ou mais de três Galp Energia.

 

Os vinte mais ricos

1
Américo Ferreira de Amorim: 3106 milhões de euros.
Principais activos: Grupo Américo Amorim, Galp Energia, Banco Popular, Corticeira Amorim, Banco Internacional de Crédito, Cimangola.

2
Belmiro de Azevedo:
1722 milhões de euros.
Principais activos: Efanor Investimentos (100%), Sonae SGPS (52,94%), Sonae Indústria (51,27%), Sonae Capital (55,96%) e Sonaecom.

3
Família José Manuel de Mello:
1196 milhões de euros.
Principais activos: Grupo José de Mello EDP (4,9%), Brisa (29,9%), Grupo CUF (100%), Mello Saúde (70%), Efacec (50%).

4
Joe Berardo:
882 milhões de euros.
Principais activos: Metalgest, Bacalhoa Vinhos, Sogrape, Caves Aliança, EMT, Sodim sgps, Quinta do Carmo, participações financeiras, Colecção Berardo. Na avaliação não se contabilizaram as participações da Fundação Berardo.

5
João Pereira Coutinho:
815 milhões de euros.
Principais activos: Grupo SGC, SAG, SGC Telecom, participações financeiras.

6
Luís Augusto da Silva e Maria Perpétua Bordallo da Silva:
757 milhões de euros.
Principais activos: Cinveste SGPS, participações financeiras, imobiliárias e arte.

7
Maria do Carmo Moniz Galvão Espírito Santo Silva:
754 milhões de euros.
Principais activos: Grupo Espírito Santo, Grupo Santogal, imobiliário.

8
Família Mello:
753  milhões de euros.
Principais activos: Nutrinveste, BCP, Chai SGPS. Os filhos de Jorge de Mello já não têm todos os negócios em comum.

9
Elíseo Alexandre Soares dos Santos:
739 milhões de euros.
Principais activos: Sociedade Francisco Manuel dos Santos (40%), Grupo Jerónimo Martins.

10
Horácio da Silva Roque:
726 milhões de euros.
Principais activos: Grupo Rentipar, Grupo Banif, Açoreana Seguros, Finpro, EMT-Savoy, imobiliário.

11
Salvador Caetano:
681 milhões de euros.
Principais activos: Grupo Salvador Caetano, Baviera, Toyota Caetano, Grupo Soares da Costa, Altitude Software.

12
Álvaro Pinho da Costa Leite:
487 milhões de euros.
Principais activos: Grupo VIC, Grupo Finibanco. Este grupo empresarial está num processo sucessório com a passagem da gestão e dos activos para os filhos Humberto, Arlindo e Maria Gabriela.

13
Família Matos Gil:
433 milhões de euros.
Principais activos: Imatosgil, Grupo Espírito santo, La Seda Barcelona, Ibersuizas, Telefónica, participações financeiras, imobiliário.

14
João Nuno Macedo Silva:
433 milhões de euros.
Principais activos: Grupo RAR (90%), Colep-CC, RAR, Vitacress, Geotur_Star Viagens, Wight Salads.

15
Dionísio Pestana:
407 milhões de euros.
Principais activos: Grupo Pestana, ITI, Pousadas de Portugal (40%), Empresa de Cervejas da Madeira e Euroatlantic.

16
Manuel Rui Azinhais Nabeiro e Alice Gonçalves Nabeiro:
379 milhões de euros.
Principais activos: Nabeirogest, Delta Cafés, Adega Mayor, Cafés Ginga (Angola).

17
Ilídio Pinho:
343 milhões de euros.
Principais activos: IP Holding, Fomentinvest SGPS, participações financeiras e imobiliário.

18
Humberto Pedrosa:
343 milhões de euros.
Principais activos: Grupo Barraqueiro (68,5%), Fertagus (90%), Metro Sul do Tejo (34%).

19
Manuel Roseta Fino:
334 milhões de euros.
Principais activos: Manuel Fino SGPS, Investifino, Grupo Soares da Costa, Cimpor, BCP.

20
Manuel Champalimaud:
332 milhões de euros.
Principais activos: Gestmin, Sogestão, Silos de Leixões, REN (5%), ONI (33%), imobiliário e turismo.

 

 

Comentário:

 

Para estes cavalheiros estarem pôdres de ricos alguém tem de estar pobre.

A riqueza destas pessoas não foi obtida no dia-a-dia de trabalho, por que assim ninguém consegue enriquecer.

A riqueza obte-se á custa de muito trabalho sujo e muita exploração dos trabalhadores e muita lavagem de dinheiro, isto tudo com a complacensia do sacrossanto Estado e os seus governos.

Por isso, expropriar não é nenhum roubo, mas uma necessidade.