Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

LIBERDADE E BEM ESTAR

LIBERDADE E BEM ESTAR

EUA:Pallim quer atacar a Rússia

12.09.08, uon

(TSF) A primeira grande entrevista de Sarah Palin, a candidata republicana à vice-presidência na corrida à Casa Branca, ficou marcada por uma frase chocante. A senadora do Alasca admitiu a hipótese dos Estados Unidos declararem guerra à Rússia. A republicana Sarah Palin diz que os aliados devem manter a Rússia debaixo de olho, na medida em que considera inaceitável que Moscovo tenha invadido um país menor. A senadora do Alasca voltou a incentivar a Geórgia e a Ucrânia a aderirem à NATO. Interrogada se esta maior atenção sobre o Kremlin significa que os norte-americanos podem declarar guerra à Rússia se o país voltar a interferir na Geórgia, a candidata a vice-presidente respondeu: «Talvez sim». Sarah Palin justificou esta resposta, dizendo que este é o tipo de atitude que se deve ter quando se trata dos aliados da NATO. Se outro país for atacado, espera-se que peça ajuda. A senadora refere ainda que não hesitou em ser candidata ao lugar de vice-presidente e garante que se algo acontecer a Jonh McCain está preparada para assumir o comando da maior potência mundial. Esta é a primeira entrevista de Palin como candidata à vice-presidência da Casa Branca à televisão ABC, da qual apenas foram divulgados excertos e que será divulgada na íntegra esta sexta-feira.

 

Comentário:

 

Sara Pallim a nova falcã do Alasca em entrevista disse que os states podiam declarar guerra à Rússia, por causa de Georgia.

A mulher no mínimo deve ser maluca não há ninguém na América que lhe dê um par de estalos na tromba para ver se ela se cala.

Estes políticos para ganhar eleições até são capazes de criar uma guerra mundial por causa do poder e Pallim, está a meter gasolina na fogueira.

Declarar guerra à Rússia era o mesmo que provocar um guerra mundial com todas as implicações decorrentes, milhões de pessoas morriam, destruição do planeta, etc. Uma hipotética guerra à Rússia implicaria o recurso a armas nucleares e nem a maluca da Pallim sobrevia.

Se os americanos votarem numa maluca destas bem podem contar com uma nova escalada de acontecimentos e uma nova guerra mundial.

Incitou também a Ucrânia e a Georgia a aderir à NATO um braço armado dos americanos na Europa e sempre prontos para ajudar o americanos onde fazem guerra.