Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

LIBERDADE E BEM ESTAR

LIBERDADE E BEM ESTAR

OCDE:Portugal no topo das desigualdades

21.10.08, uon

Segundo um relatório insuspeito da OCDE-Organização Coperação Desemvolvimento Europeu, Portugal continua no topo das desigualdades socais na Europa e no Mundo também continua muito mal classificado, só faz inveja aos México que continua no fim da lista.

Não admira que as desigualdades sejam cada vez mais gritantes e mais significativas, por que os próprios vendedores de imobiliário dizem que as casas mais caras são as mais fáceis de vender.

Os carros topo de gama continuam também a vender-se bem.

No meio da crise económica há quem faça bons negócios e explore ainda mais que é mais explorado.

O trabalhador que ganha 100 contos de ordenado não pode levar o país à crise, mas sim quem ganha dois e  três mil contos em chorudos ordenados e boas reformas com os ex. administradores da Caixa Geral Depósitos e de outros bancos que passam por lá um par de anos e levam para casa uma reforma de milhares.

O Governador  do Banco de Portugal leva para casa a módica quantia de 5000 contos mensais e nas férias e no natal leva 10 mil contos, e quem dizem ele, diz os alguns milhares de administradores de empresas públicas e privadas que levam ao fim do mês um fortuna para casa.

A par disto estes cavalheiros ainda têm autênticas benesses como cartão de crédito ao critério, bons carros com motorista tudo pago pela empresa.

Para estes a crise passa ao lado.Não há crise.

A crise é sempre para quem ganha o ordenado mínimo ou menos e tem de esticar o mais que puder o ordenado para dar até aos fim do mês.

Agora em horas de aperto os governantes administradores estatais e privados  e grandes e pequenos patrões preparara-se para pedir mais sacrifícios aos trabalhadores em nome dos superiores interesses da nação e se os trabalhadores forem espertos deviam dizer que a partir de agora acabaram-se as desigualdades em termos laborais, salariais, económicas e sociais e está na hora de serem eles a pagar a pagar a factura e a responder pelos actos praticados.