Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O Ministro da Defesa o falcão promovido por Sócrates General Severiano Teixeira prevê gastar cerca de 70 milhões de euros em defesa de "situações humanitárias".

Este governo enfeuda cada vez mais aos ditames da NATO e aos países do "eixo do diabo" (França, Alemanha, Inglaterra e EUA)  as nossas forças armadas que serão carne para canhão em conflitos como os talibans do Afeganistão.

Enquanto as tropas do "eixo do diabo", sofrem muitas pressões dos povos desses países e vão ficar na rectaguarda os nossos "voluntários" vão ir para a linha da frente, armados em valentões.

Enquanto os oficiais ficam na rectaguada a jogar as cartas nas casernas os "nossos" mercenários pagos a peso de ouro para ir combater para o Afeganistão tem tido sorte por que não tem havido baixas muito significativas, mas os talibans têm a pontaria afiada e pode ser que muitos venham embrulhados em sobretudos de madeira e depois cá vai haver uma grande festa com "funerais de estado".

É pena que os nossos militares não virem o bico da espingarda contra o seu general e libertem este país das amarguras onde fomos metidos.

 

PODE-SE MILITARIZAR UM CIVIL...

MAS NUNCA CIVILIZAR UM MILITAR...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:43

A folha de serviços policiais

por uon, em 21.01.09

Cerca de 30 pessoas que reivindicavam espaços pedonais em Almada ao som de batuques  foram severamente reprimidos pela policia.

A folha de serviços da policia a movimentos sociais nestes últimos tempos tem aumentado consideravelmente:

foi a repressão no dia 25 de Abril de 2007;

ataque no Grémio Lisbonense;

agora em Almada com mais umas cacetadas devidamente legais.

Desde o 25 de Abril que as polícias tem tido uma actuação digna do 24 de Abril, porque nunca foi totalmente desmantelada a estrutura fascista nas corporações e os meios e as actuações tem sido sempre as mesmas.

É nos governos do PS que as actuações tem sido mais brutas e não olhando a meios e com mortos e feridos à mistura.

Em 1978, foram mortos dois militantes da UDP (União Democrática Popular) Luis Caracol e Jorge Morais que foram mortos pela polícia de choque.

Estes dois militantes foram mortos um junto do Tribunal de Santa Clara (Luís Caracol) aquando do julgamento de Rui Gomes também militante da UDP, julgado por roubo de armas militares.

Jorge Morais foi morto no Largo de Camões, numa contra manifestação antifascista contra uma manifestação fascista de 10 de Junho.

A polícia actou em favor dos fascistas e o resultado foi um morto e vários feridos.

No Porto também foram mortos dois trabalhadores no dia 1ª Maio de 1982, em resultado de duas manifestações da UGT e da CGTP.

A folha currícular da policia é muito extensa e dava muito provavelmente para encher várias páginas.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:03

TGV só até à fronteira

por uon, em 20.01.09

Sócrates em relação ao TGV chamou "fariseus" ao PSD por darem uma no cravo outra na ferradura, ao tempo de Manuela Ferreira Leite no governo que eram a favor do TGV,

Agora Manuela no comício do PSD em Vila da Feira, disse com todas as letras que com ela no governo o TGV não era construído.

Por seu turno o novo delfim do PSD, Passos Coelho disse que Portugal tem que ficar ligado à Europa pelo TGV, mas não agora, por que os país está em crise e deve dar prioridade a outeas questões.

O birrento Sócrates quer à viva força fazer o TGV, por que tem de dar trabalho aos amigos e o TGV é uma maneira de eles ganharem um "trocos" e ficarem entretidos por uns tempos.

Toda a gente sabe que do ponto de vista ambiental o TGV é prejudicial ao ambiente é à natureza e até nós não temos grandes afinidades com transportes de alta velocidade e é mais uma importação dos países do centro da europa, que tem ligações entre sí, mas pelos vistos nos falta e nestas coisas "se os outros tem, nós também temos de ter" é assim a perpectiva burguesa que querem fazer de nós.

Mas, pronto para satisfazer os caprichos de uns tantos a ligação ao TGV só deve ser feita internacionalmente entre Lisboa-Badajoz por que os espanhõis já tem a linha feita até a fronteira.

As linhas do Norte e  Sul e a Interior chega muito bem para as nossas virtudes e não faz qualquer sentido uma linha de alta velocidade rasgar Portugal até ao Norte.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:16

Quatro sindicalistas da CGTP foram acusados de organizarem uma manifestação ilegal, em Guimarães, aquando da visita de Sócrates.

Os sindicalistas acabaram por ser identificados nove meses depois nas sedes dos respectivos sindicatos, pela polícia.

A onda repressiva socratista continua já nem respeitam os sindicatos reformistas.

Os panos-quentes que a CGTP e o PCP tem passado aos governos e os apoios que tem dado à polícia estão a dar os seus resultados.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:31

mani palestina CNTPor volta de 15000 persoas manifestaron-se no dia de hoxe polas ruas de Compostela en repulsa do xenocídio que o Estado de Israel está a levar a cabo en Gaza baixo a forma de ataque militar indiscriminado contra a populazón civil palestina.

A convocatória lanzada por todo de tipo de organizacións sociais da Galiza foi respondida cunha ampla presenza por parte de persoas vindas de todas partes da Galiza, que exixiron o fin do ataque, reclamaron a responsabilidade dos estados occidentais na masacre, o papel pasivo da ONU ante o xenocídio e mostraron de maneira clara e contundente a solidariedade coa luita e resisténcia do povo palestino.

A CNT foi unha das organizacións convocantes, e un numeroso bloco de anarcosindicalistas tomaron a rua sob o lema "Contra o terrorismo de todos os estados, revolución social", coreando consignas contra o papel terrorista que xogan os exércitos no mundo coa misión de asentar o domínio político e do capital, poñéndo o acento na necesidade dunha solución revolucionária desde a base do comunismo libertário a este tipo de conflitos, e desenmascarando o papel cúmplice dos partidos politicos do Estado Español que desde as suas poltronas promoven, permiten ou lexitiman a masacre continuada de povos como o Palestino, porén algúns deles intenten ocultar a sua responsabilidade e manifesten a sua falta de dignidade e mínima humanidade, saindo à rua arañar votos de cara à vindeira farsa eleitoral.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:32

(JN) noticia recebida

Os poucos passageiros que seguiam no metro, que saiu, este domingo, de
Matosinhos às 14,43 horas, ficaram incomodados com cenas de violência
que dizem ter presenciado, na Senhora da Hora, protagonizadas por
cinco fiscais da Metro.

Amália Ferreira conta que ia trabalhar e que naquela carruagem ia
"mais meia duzia de pessoas". Na Senhora da Hora, à vista dos fiscais,
um dos passageiros, "rapaz novo, na casa dos 20", recorda Cristina
Leal, que também viajava, com o namorado, em direcção ao Estádio do
Dragão, no Porto, levantou-se para sair. "Não vi propriamente o que se
passou, mas presumo que ele não tenha pago bilhete e quisesse fugir",
conta. "Mesmo assim", atalha Amália Ferreira, "usaram de grande
brutalidade, agarraram-no com força e o rapaz bateu com a cabeça num
mupi, junto à paragem, e começou a sangrar da cabeça".

"Ele só pedia que o largassem, mas um dos fiscais, um senhor forte,
não parava de lhe bater", lembra. Amália Ferreira ainda tentou
intervir, tendo corrido para a porta e gritado um "isso não se faz".
Porém, atrasada para o emprego, voltou a sentar-se e seguiu viagem,
"com aquela imagem do rapaz a escorrer sangue pela cara abaixo" a não
largar-lhe o pensamento. "Já não é a primeira vez que vejo o mesmo
fiscal, o mais forte, a agredir um cliente que não pagou bilhete. A
primeira vez que vi foi na Lapa", afirma.

A posição da Metro é distinta das testemunhas ouvidas pelo JN. Segundo
fonte da empresa, o homem foi abordado por fiscais na paragem da
Senhora da Hora e, ao pedido do título de viagem, "fugiu, bateu num
mupi e desapareceu". A mesma fonte acrescentou que o indivíduo "tem um
longo cadastro de viagens sem título no metro" e que foi abordado
pelos fiscais "que já o conheciam bem".

Boicote ao metro do porto, que tem seguranças contratados em empresas
de segurança e os usa como fiscais.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:37

O governo negativo de Sócrates

por uon, em 19.01.09

Sócrates apresentou a sua proposta ao congresso do PS e as novidades são os casamentos homossexuais, a regionalização e os direitos dos emigrantes.

Sócrates com estas três propostas fica coxo e além de apresentar coisas fáceis e em geral toda a generalidade do povo português aprova, só sendo o casamento homossexual mais um território em que nem toda a gente está de acordo.

Neste mandato apresentou um conjunto de propostas que visavam a economia e diminuir o desemprego, mas em vez de criar emprego criou desemprego e agora com a crise financeira as empresas aproveitam para se verem livres de trabalhadores.

Este governo neste mandato foi muito negativo não fez uma única coisa positiva desde o desemprego à crise, bancos falidos,  passando pela justiça, pela saúde e pela educação e trabalho e função pública e repressão e sinais de autoritarismo e regresso ao 24 de Abril cada vez funciona pior e não merece novo mandato a não ser que o povo português, queira passar a mais quatro anos na mesma pasmaceira e meter-se novamente na boca do lobo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:38

O Ministério da Justiça está a preparar legislação que deixará grande parte dos acidentados de trabalho sem a protecção do Ministério Público (MP) face às companhias de seguros.

A acreditar nesta legislação do Ministério da Justiça face aos acidentes de trabalho esta medida do governo, vais ser muito lesiva dos interesses dos trabalhadores que  infelizmente tenham um acidente de trabalho.

Todos os anos à milhares de acidentes de trabalho com predominância para a construção civil, a indústria, e serviços viários, etc, etc.

Todos os anos morrem centenas de trabalhadores e milhares ficam feridos e incapacitados para o trabalho e para o resto da vida, a agora à face desta nova lei vão ficar prejudicados e as companhias de seguros vão "engolir" mais alguns euros com os sinistrados do trabalho.

O governo de Sócrates dá com uma mão e tira com a outra, mais uma vez, vai retirar direitos aos trabalhadores para satisfazer as companhias de seguros para não pagarem o que é devido ao trabalhador.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:39

18 de Janeiro de 1934

por uon, em 19.01.09

Na sequência do 18 de Janeiro de 1934, foram distribuidos cerca de  100 comunicados junto ao metro na Rua do Crucifixo, em Lisboa.

As pessoas entravam e saíam uma aceitavam outra não, é o que costuma acontecer.

Longe vão os tempos em que toda a gente aceitava o comunicado, mas também se calhar  há uma selecção de pessoas mais esclercidas e que se interessam sobre estas questões históricas e isso é que interessa.

Igualmente ontem no CCL em Cacilhas, houve uma conversa/debate sobre o 18 de Janeiro de 34 e as suas semelhanças com os dias de hoje. 

A conversa decorreu de forma bastante positiva e muito porveitosa para os presentes e foram tiradas algumas conclusões sobre o que se deve fazer e não fazer sobre diversas questões.

Continua a haver alguma aversão à participação sindicalista, mas começa haver sinais positivos para que as pessoas se interessem pelos problemas dos trabalhadores depois de muitos anos sem esse trabalho.

Há boas razões para realizar um trabalho futuro.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:31

Amadora:jovem morto foi fusilado

por uon, em 16.01.09

Segundo a imprensa desta manhã o jovem morto na Amadora, foi assassinado a sangue frio pelo o polícia e não em duelo no Oeste Selvagem.

"Mais depressa se apanha um mentiroso que um coxo" e esta noticia encaixa bem nesse provérbio popular.

Quantos e quantos casos semelhantes a estes são omitidos pela forças de segurança deste país, só para defender os assassinos.

Quantos e quantos casos de notícias  sobre crimes  que vem nos jornais e não são verdadeiros, mas sim para justificar o trabalho da polícia e pedir aos governo mais repressão e mais armas e mais isto e mais aquilo.

Não vamos pedir que se faça justiça, por que isso, é coisa que não existe em Portugal e quando se trata de polícias ainda menos.

Como dizia um leitor do "CM" o Presidente da Republica devia condecorar no 10 de Junho este polícia pelo serviço relevante prestado à pátria.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:20




Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D