Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LIBERDADE E BEM ESTAR

LIBERDADE E BEM ESTAR

Por que há crise automóvel?

06.02.09, uon

A crise do sector automóvel deve-se ao facto de os automóveis estarem constantemente a aumentar e os ordenados dos consumidores não acompanham o ritmo desses aumentos.

Se as vendas estão baixar, por que não baixam os automóveis e as peças de automóveis?

Por não fabricar automóveis em função das necessidades das pessoas e não função das necessidades das marcas.

Por que não fabricar automóveis com menos extras e menos finalidades a um preço razoável.

Segundo as  oficinas de automóveis também se debatem com falta de trabalho, os donos dos automóveis não os vão buscar por falta de dinheiro para pagar o trabalho.

Por que é que as oficinas não baixam mão-de-obra horária.

Muitas vezes os consumidores são aldrabados com as horas de trabalho que metem na factura e isso tudo conta para explorar o consumidor.

O ordenado do consumidor não aumenta ao ritmo dos aumentos constantes verificados com os aumentos de automóveis.

Se existe crise no sector dos automóveis é porque os grandes e pequenos patrões tiveram mais barriga que olhos e quiseram fazer riqueza em pouco tempo à conta dos consumidores de automóveis e agora chegou a sua vez.

No meio deste vendaval está sempre o trabalhador explorado que é apanhado no meio da tempestade.

 

 

 

 

 

CNT:manif. em Lebrija

05.02.09, uon

Quinientos vecinos de Lebrija se manifiestan por la crisis y exigen trabajo y transparencia a la alcaldesa.

• Exigen:

- Crear una bolsa de trabajo para los trabajadores de la rama agrícola
- Crear otra bolsa para la rama general por gremios, sin exámenes, por criterios económicos, sociales, etc.
-  El Ayuntamiento o Inmuvisa deberían coger las obras y si no pueden las empresas que cojan las obras deben contratar a la gente de esta bolsa.
-  Las bolsas deberían estar controladas por una mesa de control y seguimiento formada por el Ayuntamiento, una comisión de ciudadanos y CNT.

Unos quinientos vecinos se manifiestan desde las once para exigir a la alcaldesa una bolsa, supervisada por el Ayuntamiento y el sindicato, para contratar a los empleados de la localidad, a raíz de las ayudas del gobierno estatal contra la crisis.

“El ayuntamiento siempre contrata a los mismos”, es lo que denuncian estos quinientos vecinos de Lebrija, por lo que han iniciado las protestas para crear una “bolsa de empleo mas transparente”, para que el dinero que van a conseguir de la ayuda contra la crisis se reparta a través de esta bolsa.

En Lebrija temen el “enchufismo” de los partidos gobernantes (PSOE, Izquierda Unida), por lo que hoy, después de haber salido descontentos los vecinos -unos 200- del salón de plenos del Ayuntamiento -instados a hablar por la propia alcaldesa antes de comenzar la manifestación-, iniciaron a las once una manifestación junto a otras trescientas personas mas, unas 500 en total.

La manifestación comenzó en Plaza de España, para seguir por la calle Sevilla hasta la calle 1 de Mayo, pasando por La Ronda, Avenida de Andalucía, José Sanchez de Alba, Juan Pedro Vidal hasta llegar de nuevo a la Plaza de España.

Al terminar la manifestación, los vecinos realizarán una asamblea -junto al sindicato CNT- en la Plaza del Pueblo (Plaza de España) para decidir las siguientes acciones a llevar a cabo al día siguiente donde se presentan 500 personas, en manifestación por las calles de lebrija unas 2 horas, al terminar, sa ha decidido quedar para el viernes 6 de febrero a las 7:00 de la tarde en la plaza de lebrija,

Tenemos la intención de concentrar a mas de 1000 personas en la manifestación del viernes.

DSC00032.jpg
DSC00033.jpg
DSC00069.JPG
DSC00070.JPG
DSC00073.JPG
DSC00076.JPG

Lisboa:Câmara quer "bombardear" Bairro Padre Cruz

05.02.09, uon

O presidente da Junta de freguesia de Carnide em declarações ao "Metro" diz que a degradação do bairro padre Cruz e contínua e que há ratos a conviver com as pessoas.

Apesar de haver algum exagero é evidente que o bairro está degradado e que existem alguns ratos como existem em toda a cidade.

A degradação do bairro deve-se ao facto da Câmara de Lisboa e de alguma forma a Junta de Carnide não se interessarem pelo bairro e só estejam interessadas em demoli-lo.

E se o Bairro está degradado é porque a Câmara começou a emparedar as casas que foram ficando devolutas e como é lógico a degradação começou a acentuar-se.

Os passeios nalguns locais estão com falta de calçada, mas não é assim nada de especial.

Os moradores do Bairro tem-se substituído à Câmara por que a mesma demitiu-se da suas responsabilidades e deixou de cuidar da bairro e só recebe as rendas.

Há quem diga que o bairro quando foi construído era das pessoas ao fim de 25 anos.

O objectivo central da Câmara é destruir o Bairro que faz parte da memória histórica da cidade e está no ver da Câmara está a ocupar muito espaço.

A Câmara viu que tinha ali uma tábua de salvação para fazer prédios  com cinco ou seis andares num perímetro de muitos hectares e ganhar muito dinheiro com a venda dos mesmos e fazer fortuna.

Se a Câmara pudesse bombardear o Bairro e com ele morressem todos os seus moradores, era ouro sobre azul, por que assim não tinha dar casa e algumas indemnizações aos moradores quase todos velhos e alguns novos, mas como não pode vai deixando o Bairro Padre Cruz morrer aos poucos.

Grâ-Bretânha:trabalhadores contra trabalhadores

04.02.09, uon

A petrolifera Total decidiu admitir trabalhadores portugueses e italianos para as suas refinarias situados na Gra-Bretanha.

Esta situação deu origem a manifestações por parte de trabalhadores britânicos que estão desempregados e que exigem também emprego nessas refinarias.

Os britânicos acusam os trabalhadores portugueses e italianos de trabalharem mais barato em relação aos ingleses.

Esta situação de crise de empregos leva que muitos nativos tenham atitudes racistas por uma questão de sobrevivência.

Os grandes culpados desta situação foram os senhores que mandam no capital, que pensavam que a ganância não acabava e que não chegava a vez deles de perderem o dinheiro que exploraram aos trabalhadores que que meteram nas bolsas e que foi por água-a-abaixo.

Em resultado disto os trabalhadores são sempre os grandes perdedores por que em primeiro lugar não se unem para combater o capital e depois são sempre os explorados do costume vitimas dessa exploração, sejam portugueses ou britânicos ou outra nacionalidade qualquer.

 

 

 

 

 

Homem rico homem pobre

03.02.09, uon

Cerca de 190 trabalhadores da Corticeira Amorim foram despedidos hoje da empresa onde trabalhavam.

Esta empresa pertence ao homem mais de Portugal, segundo o ranking das maiores fortunas existentes em Portugal.

Se esta empresa é pertença do homem mais rico de Portugal, bem podia aguentar estes trabalhadores que foram eles que tornaram possível a fortuna de Amorim através do esforço de laboral de todos os dias.

Mas este senhor não esteve com contemplações e à primeira oportunidade descartou os trabalhadores jogando-os no lixo, porque a ganância é mais forte.

 

 

 

 

Governo cria gabinetes de apoio a desempregados

03.02.09, uon

O governo vai criar a par dos centros de emprego, mais 400 unidades de apoio a desempregados.

O governo está ciente que os número de desempregados vão aumentar ainda mais e então vai criar estes gabinetes que visam apoiar os desempregados e para isso já está precaver-se com estes gabinetes de apoio.

Resta saber se a criação destas unidades de apoio vão ser mais um um organismo de criação de empregos de amigos do partido socialista.

Se for como um leitor do "Público" diz que está desempregado a mais de 4 anos e só o chamam para ver se arranjou emprego que é para depois o riscarem das estatisticas do desemprego.

Os desempregados vão ser tratados como uns coitadinhos e vão dar-lhe uma palmadinha nas costas e dizer que"tenha paciência ainda não conseguimos arranjar emprego".

Em consequência do desemprego vão ser criados novos empregos na polícia e nas prisões para albergar os desempregados que não encontram emprego e encontram a saída no crime.

Á uns anos atrás o filme de Michael Moore documentava o fecho duma fábrica da GM. em Flint, nos Estados Unidos.

Os trabalhadores entraram em greve pelos postos de trabalho e uma velhas que praticavam turismo num campo de golfe foram entrevistadas se estavam de acordo com os despedimentos dos trabalhadores e para espanto " elas disseram que "os trabalhadores não queriam trabalhar".

O fecho da fábrica provocou milhares desempregados e então uns desempregados começaram  a vender coelhos para alimentar a família, outros despejados das casas pelo fiscal que não conseguiam pagar, e outros começaram a roubar para poder sobreviver.

Este drama social provocou aumento do crime e para isso foi feita de raiz uma prisão inaugurada por Reagan onde os carcereiros eram ex. trabalhadores da GM e os presos igualmente da GM.

Na abertura da prisão houve uma festa de inauguração e houve até quem pagasse uma noite numa cela da prisão e muitos cinicamente disseram que a prisão era muito boa.

 

 

 

 

 

O PS e as eleições

02.02.09, uon

O caso freport pode ser a ponta do iceberg para o PSócrates ganhar novamente a maioria absoluta.

A vitimização que esta subjacente a este caso pode levar os eleitores a votar novamente em Sócrates e a renovar a maioria absoluta.

Não é por acaso que este caso aparece numa altura de crise financeira, desemprego e muito próximo das eleições que se avizinham e pode rampa de lançamento para que o povo se desligue da crise em que estamos todos metidos, uns mais que outros e as pessoas estejam mais atentas ao próximo folhetim desta nova novela que vai durar até as eleições.

Este caso pode também dar origem a novas eleições para S. Bento com demissão anunciada do próprio Sócrates que pode dizer que esta ser vitima de uma campanha suja contra uma pessoa séria e honesta como ele se autoproclama e pode querer que o povo vá rapidamente às eleições para ganhar as mesmas.

Só com o trabalho produzido até ao longo destes anos é pouco Sócrates precisa de algo mais para se manter no poder, e duvidamos que a sua governação seja aceite pela maioria dos eleitores, já que, praticamente Portugal não saiu da crise em que estava mergulhado no tempo do PSD e as suas reformas na educação , na saúde, no trabalho e justiça vieram piorar a situação  e deu origem à situação que estamos hoje próximos do abismo.

 

 

Desemprego:7 mil no desemprego em Janeiro

01.02.09, uon

Cerca de 7 mil trabalhadores foram despedidos em Janeiro, em resultado da onda despedimentos que varre o país.

Estes despedimentos podem ter origem em resultado da crise, mas também em resultado do patronato se ver livre de alguns trabalhadores nas suas empresas.

Em todas as crises artificiais provocadas pelo capital os trabalhadores são sempre os prejudicados. por que são descartados e jogados no lixo, como se fossem lixo.

É tempo de pedir responsabilidades aos protagonistas destas crises que vieram para ficar, por que as crises não vieram por obra e graça dos espírito santo e em primeiro lugar este governo e os anteriores que sempre nos governaram e meterem o país na lama a que todos assistimos diariamente.

 

Pág. 4/4