Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LIBERDADE E BEM ESTAR

LIBERDADE E BEM ESTAR

Um governo de Magalhães cheio de erros

07.03.09, uon

O computador "Magalhães" que foi vendido como um produto de Marketing pelo o governo de Sócrates, afinal vinha cheio de erros.

o computador "Magalhães" era apresentado como um produto eleitoral e estava dar grandes resultados na estratégia para garantia da nova maioria absoluta que o governo e o PS pretende alcançar.

O governo de Chaves afinal foi um dos clientes do "Magalhães" e afinal recebeu uma coisa que não estava nas devidas condições, e certamente terá repercussões no futuro e o Magalhães pode perder um cliente ou até vários clientes.

Resta salientar para descartas responsabilidades agora acusam um emigrante português em França, com a quarta classe de ser o responsável pelos os erros no software do computador.

Isto é muito relativo tanto pode dar erros uma pessoa com a quarta classe ou um catedrático da universidade e não é muito difícil encontrar os erros cometidos em todos os domínios, seja na política que se traduz na governação que temos tido até agora.

Sondagem:PS apesar da crise aguentam-se nas sondagens

06.03.09, uon

Segundo sondagem da Eurosondagem para a Renascença/Sic/Expresso o PS mantém-se à frente com 39 % das intenções de voto dos sondados.

O PSD apresenta 28,3 % dos votos.

O BE encontra-se agora com 10,4 % a CDU/PCP 9,6 % e o CDS 7,7 % das intenções de voto.

O PS apesar do desgaste governativo que tem registado parece manter-se a intenção de voto dos sondados.

Apesar do PS querer a maioria o povo português provavelmente não irá dar essa maioria, ou mesmo a maioria relativa a quem não merece.

Apesar da "crise" nacional e internacional o governo tem dado algumas benesses à banca e ao sector automóvel para ver se estes sectores se aguentam, mas a crise é muito profunda e já ganhou raízes.

O problema é que os consumidores estão muito retraídos por não sabem o que irá acontecer e não consomem e já  não querem alimentar um monstro de enormes dimensões e o consumo nunca mais vai ser como dantes.?!

PSD continua numa maré de incerteza nunca se sabe quando virá uma nova crise de liderança, por que este  partido vive de lideres fortes e o D. Sebastião não aparece.

O Bloco parece afirmar-se com a sua estratégia de colar-se ao PS e apresentar novos projectos como os homossexuais, etc. que irritam o PS.

O PCP continua como o mesmo de sempre e não consegue mobilizar as massas como em outros tempos, por que deram e dão uma no cravo outra na ferradura.

O CDS, com o seu reaccionarismo de sempre, quer agora aumentar as penas para os crimes, mas isso já não mobiliza as hostes da direita extrema e tem pouco a apresentar por assim como o PSD, por que o PS está a ocupar-se do espaço destes partidos.

O CDS, parece um PNR um bocadinho maior, tem vergonha de dizer que quer expulsar os emigrantes, mas não consegue, se não era considerado extremista.

 

 

Homem e Mulher a mesma luta o mesmo fim

05.03.09, uon

O dia 8 de Março é oficialmente celebrado pelos sindicatos oficiais e por instituições governamentais e associações de "defesa" da mulher e institucionalizado pelas grandes organizações mundiais como a ONU.

O 8 de Março perdeu toda a sua imagem de classe, se é que a teve alguma vez, muito embora a celebração do dia da mulher tenha sido palco de uma enorme repressão sobre as mulheres que se manifestavam por uma jornada de 8 horas semanais.

Hoje o 8 de Março é usado pelos Estados para salvaguardar os direitos da mulher no âmbito e serem elas a explorar o homem, só por que é a vez delas.

Os partidos de Esquerda (bloco) quer a paridade na assembleia entre homens e mulheres.

Organizações de mulheres querem que as mulheres tenham direito a cargos de chefia e direcção e até chegar ao governo e serem elas a pôr e a dispor e mandar no homem.

A mulher também está representada na polícia da forças armadas e isso dá-lhes a supremacia sobre os homens.

Esta pseuda emancipação não é mais que uma invenção da burguesia e dos Estados que inventaram leis para proteger a mulher, mas na prática é uma nova forma de exploração sobre hierárquica sobre os homens.

A mulher e o homem devem caminhar juntos para suas reivindicações e pela sua emancipação social e contra a exploração capitalista por são ambos explorados e nunca degladiarem-se entre para obterem o poder supremo, por que é isso que a burguesia pretende.

 

 

 

Eleições:dar a maioria a uns e a minoria a outros é discriminação

05.03.09, uon

Silva Lopes Economista tem um vasto currículo ex. ministro, ex. deputado, ex. banqueiro em declarações disse que os desempregados é que iriam pagar a crise e que o governo claro está, devia proceder ao congelamento dos salários acima do salário mínimo e também reduzir os ordenados e reforma maiores.

Ora, como é evidente estamos em desacordo no primeiro caso e de acordo com o segundo.

Ora, o Dr. não deve estar ver bem a coisa, como é um trabalhador que ganha por exemplo 150 contos pode ver congelado o seu salário, por já não tem mais margem para fazer face à vida, cada vez mais cara, com rendas de casas bancárias caras e que nunca mais descem, impostos já de si muito altos para quem ganha pouco, e um  rol de preocupações.

Agora quem ganha acima dos 400 contos é que pode dar muito bem essa ajuda para a crise e se tiver um corte no ordenado ou na reforma nem da´por isso.

Enquanto isto os ordenados mínimos e dos restantes trabalhadores deviam levar um subida geral até aos 300 contos.

Os rendimentos insignificantes de pessoas doentes e incapacitados para o trabalho como o rendimento mínimo também deviam levar uma subida de geral.

Os horários de trabalho deviam descer para metade par dar oportunidade a todos de trabalhar e poderem viver a vida.

O  Dr. também disse se o próximo governo (de Sócrates) não tiver a maioria a crise vai-se agravar.

Ora,  não está provado por A + B que isso vai acontecer a não ser que tenha a bola de cristal e veja o futuro.

Dar a maioria a qualquer partido é que vamos ter mais do mesmo, crise e mais crise, mas, para pelo sim pelo não é melhor fazer gazeta ás eleições para não dar a maioria a uns e a minoria a outros, por que isso é discriminação.

Trabalhadores da Controlinveste em luta

04.03.09, uon

Cerca de 120 trabalhadores da Controlinveste, empresa que publica os jornais "Diário de Notícias", "Jornal de Notícias" e "24 Horas" e "o Jogo" estão hoje em greve contra o despedimento colectivo protagonizado pala Administração

Os trabalhadores (jornalistas, gráficos e pessoal administrativo) estão a distribuir um comunicado a pedir a solidariedade dos cidadãos que passam na rua frente à redacção dos jornais.
Foi apresentada uma proposta à administração que não foi aceite, em que previa a diminuição dos salários a troco da suspensão dos despedimentos.

Esta proposta é muito elustrativa  de como os trabalhadores estão hoje e tudo fazem para manter os postos de trabalho.

Baixar salários para manter os postos de trabalho é um passo atrás nas suas reivindicações.

Os trabalhadores devem lutar para manter as duas coisas

Os salários dos trabalhadores são diferenciados, por que nem todos ganham o mesmo, e essa baixa deve partir de quem ganha mais, se acha que ganha muito e não de quem ganha menos, ou não deve partir de ninguém, ou apenas de quem quiser.

Um trabalhador nunca deve abdicar do seu salário e muito menos de parte dele e se que calhar não seria nada do outro mundo reivindicar à administração a baixa do seu salário que não deve ser tão pouco quanto isso.

 

 

 

 

 

Sevilha:CNT em conflito com Delfim Time

03.03.09, uon

El pasado 23 de febrero, la empresa Delfin Time, ejecutora de la Caravana Proniño, proyecto de Fundación Telefónica, despidió a una trabajadora afiliada al Sindicato de Oficios Varios de la CNT de Sevilla por exigir el cumplimiento de las condiciones laborales establecidas. La trabajadora, coordinadora pedagógica y monitora de la Caravana, había denunciado reiteradamente el incumplimiento del horario laboral establecido, la sobrecarga de horas de trabajo a las que se veían sometidas las trabajadoras y trabajadores, la ausencia de los tiempos de descanso acordados, así como la obligación de cumplir funciones que les eran ajenas.

La trabajadora comunicó a la empresa que estas condiciones de trabajo eran abusivas y que afectaban directa y negativamente al desarrollo del trabajo, consistente en la realización de talleres infantiles así como la coordinación pedagógica de las distintas actividades de la Caravana. La empresa optó por ignorar dicha reclamación y proceder al despido de la trabajadora.

Desde CNT- AIT entendemos que el despido se ha producido en el momento en que la trabajadora ha reivindicado unas condiciones dignas de trabajo y el cumplimiento de lo acordado con la empresa.

Desde CNT- AIT no vamos a consentir el despido de nuestra compañera y hemos iniciado una campaña de información pública y presión para denunciar las prácticas abusivas de esta empresa, así como buscar una solución a este conflicto.

Como primer paso, pedimos a todos los sindicatos que envíen masivamente faxes y correos electrónicos de solidaridad con el siguiente texto:


READMISIÓN COMPAÑERA DESPEDIDA

BASTA DE EXPLOTACIÓN EN DELFIN TIME.


Delfin time

Madrid

C/Aviador lindbergh nº3 28002

Fax:. 91 570 65 78

Correo electrónico: tanderson@delfingroup.com Esta dirección de correo electrónico está protegida contra los robots de spam, necesita tener Javascript activado para poder verla

Valencia

C/Luís Garcia Berlanga nº11-1 46023

paco.suay@delfingroup.com Esta dirección de correo electrónico está protegida contra los robots de spam, necesita tener Javascript activado para poder verla

Barcelona

C/Cardenal Reig nº33 0828

Jordi.canals@delfingroup.com Esta dirección de correo electrónico está protegida contra los robots de spam, necesita tener Javascript activado para poder verla

Sevilla

Avda/ Emilio Lemos nº2 edificio Torre Este modulo 711, 41020

alfredogonzalez@delfingroup.com Esta dirección de correo electrónico está protegida contra los robots de spam, necesita tener Javascript activado para poder verla



Fundación Telefónica

Madrid

C/Gran Vía 28 7º 28013

fundacion@telefonica.es Esta dirección de correo electrónico está protegida contra los robots de spam, necesita tener Javascript activado para poder verla

Tlf: 915842350/ 915842347/ 915842300

Fax: 915323287/ 915317106

"Prós e Contra" apoia os parasitas da sociedade

03.03.09, uon

O programa "Prós e Contras" com um painel de especialistas banqueiros e economistas para analisar as causas da crise financeira, poucas conclusões tiraram acerca da mesma.

Estiveram presentes diversos clientes do BPP que foram vigarizados pelo banco através de artifícios financeiros de risco.

Os clientes do reafirmaram que o banco atraia clientes com os chorudos juros que oferecia aos clientes, só que não estavam à espera que o capital fosse canalizado para fundos de risco bolsita.

A apresentadora do programa também insinuava que os clientes sabiam do risco em que estavam metidos os clientes, e os mesmos diziam que não sabiam das acções que o bancos transformavam o dinheiro.

A apresentadora em vez de apoiar os clientes que foram vigarizados ainda estava a insinuar que eles eram os culpados de terem posto lá o dinheiro.

Essa senhora era bem corrida do programa "prós e contra" por que já por diversas vezes apoia os patrões exploradores e os vigaristas dos banqueiros que roubam o povo.

 

 

Congresso do P"S":O enorme apagão nas ideias

02.03.09, uon

O Partido "Socialista" reunido em congresso, em Espinho além do enorme "apagão" nas ideias, não trouxe nada de novo a não ser as velhas questões que já foram ultrapassadas e que não foram resolvidas.

Tirando a questão dos homossexuais e da ideia demagógica e eleitoralista das "bolsas de estudos" para estudantes carenciados não apresentou uma única ideia para retirar o país em que o próprio Ps mergulhou no marasmo e nas águas estagnadas onde o povo foi metido pelo governo do PS.

O PS não apresentou uma única ideia sobre o desemprego galopante, em que todos os dias centenas ou milhares de trabalhadores são lançados no desemprego e nas ruas da amargura.

O PS tem a "lata" da pedir a maioria absoluta quando não merece sequer a maioria relativa.

Ao longo destes três longos anos o país está mais injusto, mais repressivo, mais desemprego, e a caminho do abismo.

As pseudo-reformas apresentadas no trabalho, na saúde, na educação, na justiça, na função pública só vieram tornar mais difícil a vida dos trabalhadores e do povo português e de muitos emigrantes que vivem e trabalham em Portugal.

A única coisa que o governo de Sócrates fez foi dar milhões a bancos falidos que poderão ser os seus futuros patrões.

Por isso Sr. Sócrates pela sua governação negativa o único caminho que lhe resta é demitir-se devido à sua incompetência generalizada.

 

 

Pág. 4/4