Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LIBERDADE E BEM ESTAR

LIBERDADE E BEM ESTAR

O fundador do WikiLeaks preso

07.12.10, uon

Comentário do sapo

 

Isto é invcrivel e estão afazer isto a cara podres, vamos ver como o povo vai reagir a esta informaçao.. Muita gente "tapada" vai achar que ele violou mesmo alguem,... eles tinham que fazer algo para tirar a credibilidade do mesmo e ele propio foi-se entregar porque já sabe como é que a CIA FBI KJB funciona. Isso talvez foi um dos motivos que ele foi-se entregar porque nao tem nada a esconder e sabe que estao a fazer as coisas de maneira a que o site desapareca.

 

O fundador do WikiLeaks, Assange foi detido pela polícia britânica, após um mandato de captura internacional das autoridades suecas.

Segundo a policia sueca Assange é acusado de violação de duas mulheres entre outras acusações.

Está claro, que está prisão está relacionada com o site que coordena.

Ninguém de bom senso, acredita nestas notícias de suspeitas de violação.

O WikiLeaks tem divulgado documentos comprometedores das autoridades americanas e de outros país e os seus pontos sensíveis, assim atrocidades e complacências e como são tratados e chamados os políticos de outros países.

Isto é mais um caso em que os democratas se esquecem que são democratas quando veem o seu poder sujo em causa, então recorrem a métedos fascistas.

 

 

 

 

 

Espareguera:CNT em luta em Pictor Valves

07.12.10, uon

La CNT Esparreguera se concentra a las puertas de la empresa Pictor Valves, S.L por la readmisión del delegado despedido. El pasado miércoles día 1 de diciembre, la sección sindical de CNT a Pictor Valves, SL, se concentró a las puertas de la empresa Pictor Valves de Esparreguera  para informar a los trabajadores de las irregularidades dentro de la empresa así cómo también exigiendo la readmisión inmediata del delegado sindical despedido. Durante 2 horas repartimos panfletos y hicimos difusión de la situación laboral que sufren los trabajadores en la empresa. Aprovechando, también informamos a la ciudadanía de las prácticas laborales de la empresa, tenemos que dar las gracias a todos los trabajadores  y las trabajadoras que por allí pasaban y se interesaron por el problema y dieron una muestra de solidaridad con el compañero.

Las reclamaciones que exigía el delegado sindical despedido son básicas y están reflejadas en el convenio vigente: La facilitación del calendario laboral y de vacaciones, la no  remuneración de las horas extras, realización de más horas semanales, reordenación de las categorías laborales, carencia total de ropa para el trabajo… y un largo etcétera de irregularidades presentes.  Por todo esto nos concentramos y dejamos un mensaje claro, no dejaremos de luchar para la readmisión del delegado sindical y la aplicación de todos los derechos básicos y acuerdos del convenio sean respetados y aplicados a los trabajadores

La empresa hasta ahora no ha querido reconocer a la sección sindical de CNT , incluso llegó a sobornar al trabajador ofreciéndole una cantidad de dinero para que no formara la sección sindical.  De continuar esta actitud por parte de la empresa el sindicato emprenderá inmediatamente una campaña de acciones públicas de denuncia y  las pertinentes acciones judiciales que convengan. A los patrones de Pictor Valves, S.L se ls repetimos por si no lo tienen claro, con la CNT no es juega.

Congresso CNT:entrevista com secretário-geral da AIT

07.12.10, uon

“La CNT siempre ha sido un referente por su capacidad para la acción”

Rolf Petter Larsen, secretario general de la AIT

Pregunta: ¿Cómo ves a la CNT?
Respuesta: estuve en el Congreso de Perlora (Asturias) y en su continuación en Madrid. Han pasado ocho años desde entonces. Desde la web, como a través del periódico, se ve la creciente actividad de la CNT. La CNT siempre ha sido un referente para el resto de sindicatos, por su capacidad para la acción y por su forma de integrar los aspectos sindicales, económicos y sociales. Y a la vez se mantiene fiel a sus principios anarcosindicalistas. Mañana nos volvemos a Oslo sin saber los resultados, por lo que os deseamos un congreso exitoso.

P: ¿Puedes valorar la situación de la AIT en la actualidad?
R: la situación es buena. Hemos tenido la cuestión de la ASI de Belgrado, la FAU de Berlín y los 11 de Lisboa; son temas importantes. Las secciones están mejor coordinadas; un ejemplo de ello ha sido la conferencia de La Vecilla, en León, en donde se discutieron temas concretos que han fortalecido esa coordinación. La revolución vendrá en abril del próximo año (risas).

Enlace: IWA-AIT

Partidos e as clientelas partidárias

06.12.10, uon

Um economista investigador português na Universidade Queen Mary de Londres, descobriu a pólvora.

Este economista descobriu que os partidos em tempos de eleições são quando as suas clientelas políticas são mais solicitadas.

Os partidos para dar dinâmica e jovialidade precisam de gente principalmente estudantes para as campanhas eleitorais e para andar com as bandeiras na mão nos comícios que as respectivas organizações politicas promovem pelo país.

Depois das eleições os estudantes regressam às escolas e os grandes que andaram à boleia na campanha ingressam na administração pública nas câmaras, etc como assessores a ganhar um bom ordenado de muitos milhares de euros.

Controladores e os métedos fascistas de Zapatero

04.12.10, uon

Os controladores aéreos espanhois para lutarem pelas suas reivindicações e contra a privatização da empresa iniciaram uma espécie de "greve selvagem" deixando milhares de passageiros em toda a Europa em terra.

É evidente que esta "greve selvagem" causa transtornos aos passageiros nas suas deslocações, mas os controladores também têm razões de sobra para lutarem pelos seus mais elementares direitos.

O governo "socialista" espanhol apressou-se a decretar o "estado de guerra" e a considerar os controladores os inimigos abater.

O governo espanhol substituiu os controladores civis por militares e ameaçou os controladores de prisão e mais isto e mais aquilo.

É perfeitamente um exagero da parte das autoridades espanholas e de quem não sabe o que fazer numa situação destas, e então recorre tacanamente a metédos fascistas para satisfazer o "negócio" o que não deixa de ser uma estupidez.

Tolstoi:uma lenda viva

03.12.10, uon

Artigo de  Tolstoi "Tierra e Liberdade" publicação da FAI

 

http://www.nodo50.org/tierraylibertad/7articulo.html

 

Leon Tolstoi é uma lenda viva anarquista por convicção, escritor russo autor de inúmeros livros entre a "Guerra e Paz" que será o mais conhecido.

Tolstoi que foi um convicto anarquista no seu tempo, hoje é conhecido só pela literatura que deixou e não se sabe o porque da omissão de ter sido anarquista.

 

 

 

Pagan:continuar ou evoluir

03.12.10, uon

Agora que acabou a Cimeira da Nato e foi um árduo ano de luta anti-militarista e contra a Nato a "Pagan" só tem razão de existência se evoluir para novas lutas sociais.
É convição do signatário que só fazer anti-militarismo é reformismo, haver só quem se dedique a fazer só uma coisa e não queira saber de mais nada, como fazem alguns grupos anti-militaristas e anti-nato na Europa.
A Pagan tem um vasto campo de acção anti-militarista, sindical  e outros onde pode actuar.

A Nato só se extinguirá se as lutas sindical e social e dos trabalhadores se desenvolver.

Como dizia o outro " isto anda tudo ligado".

Neste sentido cabe a Assembleia da Pagan  continuar ou evoluir.


Cordoba:CNT-AIT em congresso

03.12.10, uon

De 4 a 8 de Dezembro, em Córdoba

Mais de 500 delegados, representando cerca de 120 sindicatos da Confederação, discutirão na capital andaluza propostas e alternativas para os novos desafios impostos pela versão mais descarnada de um Capital que está batendo com toda sua força os direitos e necessidades básicas da classe trabalhadora.

Para a CNT, a realização deste congresso é um motivo particularmente importante, pois não em vão será realizado quando a organização anarcosindicalista comemora seus cem anos de existência. Um século de lutas, repleto de companheiros e companheiras que foram construindo com suas vidas e energia, o ideal libertário. Um século de acertos e também de erros, mas sempre repleto com a convicção de que a classe trabalhadora pode criar uma sociedade diferente desde a ação direta, a solidariedade e a autogestão. Uma sociedade para as pessoas e não para o dinheiro.

O X Congresso é a constatação de que a CNT segue viva e lutando cem anos depois, tal e como demonstra diariamente nas empresas e nas ruas, sendo protagonista de muitas lutas no ano passado: Flightcare, FCC, Casolo, SEAGA, Mercadona, ISS, Ryanair, PRASUR, ACSA, CESPA... e estendendo a áreas até então negligenciadas ou apenas tangencialmente tocadas pelos sindicatos oficiais: a Arqueologia, a Intervenção Social, o setor florestal (onde a CNT convocou uma greve sozinha para a Galiza no verão passado) ou protagoniza a potencialização de assembléias de desempregados ou greves gerais em lugares como Lebrija pela divisão justa do trabalho. E sempre fiel aos seus princípios.

Porque, apesar do tempo decorrido, estes permanecem vigentes as premissas do anarcosindicalismo e suas análises da sociedade e do trabalho. E ainda que não faltem vozes interessadas para dizer que não existimos, seguimos trabalhando todos os dias para levar os nossos princípios à prática. A ação sindical que levamos a cabo demonstra, apesar das restrições impostas sobre nós, que é possível um sindicalismo além da armadilha das eleições sindicais, sem liberados, sem subsídios, com base no apoio mútuo e na solidariedade, e não na inerte "representatividade".

Agora que não se apagou os ecos da reforma trabalhista, e que já se começa a perceber os efeitos que terá a reforma da previdência, a CNT visa com o X Congresso estruturar uma resposta organizada, coordenada e contundente frente a nova reviravolta do capitalismo financeiro, insaciável e imoral.

Em paralelo com a realização do X Congresso, estão sendo realizadas umas Jornadas Culturais desde princípios de novembro e prosseguirá até a reunião Confederal.

Mais informações: http://cnt.es/xcongreso

agência de notícias anarquistas-ana

Credibilidade das organizações anarquistas

02.12.10, uon

Tem de haver algum cuidado onde nos metemos.
Designadamente os/as companheiras que se identificam com os anarquistas, novos ou velhos devem procurar saber onde se metem para não terem dissabores.
Assim devem colher informações nos colectivos/grupos/blogs e ou pessoas que conheçam e que estejam há vários nesta luta anarquista anarco-sindicalista e deiam mostras de credibilidade que não vão serem projectados para coisas que não se identificam.
As coisas fundadas á pouco tempo, não quer dizer que não sejam credíveis e sejam sérias e honestas, mas é mais seguro funcionarem com pouca gente que tenha alguma afinidade local ou regional e trabalharem e fazerem as suas próprias iniciativas exemplo:debates, jornadas libertárias, concentrações junto organismos estatais patronais.
As pessoas tem de ter alguma afinidade amigos/companheiros de longa data.
Uma organização não autoritária não hierárquica autogestionária só pode nascer se houver entendimento e apoio-mutúo.
Agora fundar uma associação nacional tipo FAP/FACP pode dar azo a que haja infiltrações não desejadas.
O pessoal da FAP pode trabalhar como colectivo no local onde nasceu e em vez de se chamar FAP pode chamar-se FAC:Federação Anarquista de Coimbra se assim entenderem.

Patrões querem baixar acordo SMN

02.12.10, uon

A trilogia governo sindicatos e patrões estabeleceram um acordo sobre o salário mínimo em que seria uns magros 500 euros em 2011.

Agora os patrões querem rever o acordo sobre o salário mínimo.

O pretexto é o mesmo de sempre:a crise.

Os patrões batem-se sempre com a falta de dinheiro e que não facturam o suficiente para poder pagar o justo ao trabalhador que lhe enche bolsos de dinheiro.

Poderá haver casos em que haja dificuldades, mas na maioria dos casos isso é a velha retórica do patrão pobrezinho.

Mas há casos que os patrôes se passeiam bem montados, bem comidos e bebidos, bem viajados e vivem em palácios etc.

O acordo não pode voltar atrás, por que senão, pode fazer jurisprudência para os aumento de quem ganha mais que o salário mínimo com o mesmo pretexto de sempre a crise permanente.

Pág. 3/3