Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LUTA ENTRE CLASSES

LUTA ENTRE CLASSES

Petição contra Sócrates

29.04.11, uon

Um advogado de Coimbra está a promover uma petição contra Sócrates sobre gestão danosa.

O facto imputado é pelo mesmo ter autorizado a tolerância de ponto na "quinta feira santa" da semana passada.

Sócrates é daqueles governantes que tem pior currículo em matéria de governação.

Sócrates é responsável pela gestão ruinosa e de ter deixado o país na banca rota, ter espremido os funcionários públicos em cortes na reforma, na idade de reforma, nas carreiras, nos aumentos, nos benefícios sociais, nas férias, etc. de ter feito uma política contra os trabalhadores do público e do privado.

Sócrates só pode ser julgado por aquilo que fez de negativo como é agora o caso de ter trazido para Portugal o FMI/CECA/CEE/UE/BCE/NATO e com as consequências que daí advirão.

A tolerância de ponto da Pascoa não tem nada de especial e nem os funcionários públicos pediram nada e como até o Sócrates diz todos os governos sem excepção deram esta tolerância.

Esta tolerância até pode ter dividendos económicos e sociais por as pessoas passeiam para fora dos locais onde trabalha e gastam dinheiro e ajudam outros trabalhadores a ganhar o seu ordenado.

Por isso esta petição é verdadeiramente um tiro no pé.

A ditadura Síria e Portugal

28.04.11, uon

Na Síria o regime de al Bashir tem reprimido o povo e tem provocado centenas mortos entre os participantes nas manifestações populares contra o regime autoritário.

O regime sirio governando pelo filho de Affez Assad encontra-se no poder a cerca de 40 anos.

O povo exige que regime caía e dê lugar a um sistema mais democratico onde o povo possa ter voto na matéria.

Estas manifestações na Síria são a continuação das movimentações populares que começaram na Túnisia e alastraram aos Egipto e a outros país do Magreb, havendo movimentações populares no Yeman, no Barhain, na Jordánia, Argélia e Marrocos e claro a guerra civil apoiada pela Nato na Líbia.

Todos estes países (foram) são apoiados  pelos países do Ocidente por que tinha bastantes negócios com as ditaduras destes países, mas agora estão a virar o bico ao prego.

Fazendo um paralelo com Portugal, se houvesse um movimento popular espontaneo os nossos democratas da treta, Sócrates, Passos Coelho e o Paulinho das feiras faziam o mesmo que as ditaduras árabes estão a fazer ao seus povos, lançando as polícias contra o povo, aliás como já o fizeram no estádio da Luz muito recentemente.

VOTAR em massa no PCP

27.04.11, uon

A "troika" está a realizar encontros com várias entidades portuguesas - desde parceiros sociais, centrais sindicais, partidos políticos a responsáveis e especialistas de várias áreas -, de modo a estabelecer os compromissos que Portugal terá de assumir para, em troca, receber o empréstimo pedido pelo Governo.

Nós aqui já pedimos uma reunião com "troika" mas ainda  não nos deram ouvidos para apontar a dedo quem são os responsáveis pelo descalabro económico e social que votaram este país os políticos do PS PSD e CDS que ao longo destes 30 anos bem medidos meteram os trabalhadores na miséria social.

Para eles temos a justa condenação que estes cavalheiros merecem, é leva-los para o alto mar e irem ter com os tubarões, por que eles até gostam muito dos tubarões da finança, que foram os grandes e únicos beneficiarios deste politica de desastre social que nos deixou a beira do abismo.

 

Ontem, Jerónimo de Sousa em entrevista a RTP era sistematicamente interrompido pelos jornalistas de serviço.

Estes jornalistas mais pareciam estar a soldo do PS e do PSD.

Faziam perguntas engraçadas como esta:já houve tantas eleições e os portugueses não querem o PCP?

Jerónimo de Sousa devia ter dito: pois  os tugas não querem o PCP,mas quem levou  isto ao descalabro económico e social não foi o PCP mas o PS/PSD/CDS que se governaram nos últimos trinta anos.

Está visto o povo português devia ir VOTAR em massa no PCP para ver se isto muda, senão não passamos disto.

 

 

Saber governar é saber gerir o que há

26.04.11, uon

A "troika" FMI/CEE/NATO/BCE  já ditou a receita e quer que os funcionários públicos recebam os subsídios de férias e natal em títulos do tesouro, como é dito na imprensa.

Durante seis anos o governo de Sócrates andou sistematicamente a retirar direitos aos funcionários públicos e até coisas que nada tinham a ver com a crise ou com o défice como foi a férias em época baixa, etc cortou.

Sócrates cortou nas reformas e aumentou os anos da mesma, cortou nos salários, cortou nas carreiras, aumentou ADSE, nao deu aumentos.

Por isso cometeu a proeza de atingir um défice de 4%.

E agora a história volta a repetir-se com o novo governo do FMI/CEE/NATO a comandar as operações.

Agora mesmo com eleições à porta quem vai mandar neste país é a "troika" e durante muitos anos o governo fantoche saído das eleições no dia 5 de junho não vai mandar nada, só vai mesmo fazer aquilo que os senhores do FMI mandarem.

Todos os governo cá burgo usam a mesma bitola que é o "corte" e não sabem governar doutra maneira.

Saber governar e saber gerir o que há, mas estes senhores quando se sentem atrapalhados vão todos ao mesmo: "corte" ou "aumento".

Assim é muito fácil governar com o dinheiro do povo.

Os trabalhadores que acreditam neste fado não devem votar no partido do seu patrão que os explora.

 

Teofilo Braga visto pela "A Batalha"

23.04.11, uon

Sábado, 30 de Abril, pelas 15,30 horas, decorrerá uma sessão - Teófilo Braga visto pel'Batalha, a cargo de Elisa Areias e Luís Garcia e Silva

Sábado, 7 de Maio, pelas 16,00 horas, o historiador Álvaro Arranja falará sobre - Os fuzilamentos de Setúbal e a ruptura Operariado-República.

As sessões terão lugar, no polo Universitário da Biblioteca Museu República e Resistência.

 


Revolução e motins não são para já

20.04.11, uon

Segundo um relatório de uma entidade estrangeira é previsto que Portugal haja convulsões sociais e motins e revoluções, devido a situação social agravada agora com a vinda do FMI/CEE/BCE/CECA/NATO.

Este relatório revela algum exagero por que os portugueses estão muitos verdes.

O povo português está anestesiado como se fosse para uma operação cirúrgica.

Os partidos o governo e outros entidades são para o povo uns "salvadores" da pátria.

Os governantes deste governo e os anteriores meterem isto no caos social e deixaram muitos milhões de pessoas a beira da miséria encapotada, por que ninguém quer dar parte de fraco, embora muita gente já esteja com a corda na garganta para pagar as contas e as casas compradas no período áureo das vacas gordas.

Há sinais que se não houver melhoria de vida dos trabalhadores e os desempregados não arranjarem trabalho os salários não forem pagaos isto pode dar para o torto.

Quem irá dar os primeiros passos, se os militares se a geração à rasca se o povo em peso é difícil de adivinhar, mas ponha-se a pau.

Mas para já para já, essa situação é exagerada, quem meteu isto no caos pode estar descansado, ainda o Passos Coelho vai ganhar as eleições e fazer o mesmo que o PS e depois é difícil fazer futurologia, mas que isto está a precisar de molho, lá isso está.

 

A receita do FMI

19.04.11, uon

O Fundo Monetário Internacional (FMI) quer que Portugal flexibilize o mercado laboral. De acordo com o jornal Correio da Manhã, o FMI prepara-se para impor horários menos rígidos nas empresas e o aumento da idade de reforma para os 68 anos de idade.

 

Estes cavalheiros do FMI sofrem do mesmo mal que o governo luso e ainda conseguem ser mais papistas que o papa.

Vejam bem a receita deles para Portugal.

Aumentar a idade de reforma para 68 anos.

Aumentar a idade de reforma significa que os jovens ou menos jovens que procuram trabalho/emprego não irão conseguir tão proximamente por que os velhos vão arrastar-se pelos serviços e não dão lugar para quem precisa trabalhar.

Deviam era baixar a idade de reforma para os 55 anos em geral, para dar o lugar a quem precisa.

A flexibilização do mercado laboral significa que os trabalhadores já tem uma condição laboral que lhe é pouco favorável, mas o FMI quer mais.

Se calhar querem regressar aos tempos do império romano por aí os escravos davam bastante rendimento trabalhavam 24 horas por dia.

Estes senhores estão loucos e precisam de tratamento psicológico é melhor mandar chamar o INEM antes que façam alguma loucura muito grave.

 

 

 

Estamos dispostos a negociar com FMI/CEE/NATO

18.04.11, uon

O PCP e o Bloco já anunciaram que não negoceiam com o FMI/CEE/Nato o que fazem mal.

Por favor não nos comprometam dizem eles.

Isto é uma forma encapotada de estar de acordo com FMI e com a medidas.

Pois nós aqui estamos estamos dispostos a negociar com FMI.

Senhores do FMI escrevam para aqui e digam o que querem negociar.

Ou melhor queremos negociar alternativas ao desemprego aos salários aos impostos e à idade de reforma e temos o ovo de colombo.

Se tiverem coragem escrevam e falem português.

 

Pág. 1/3