Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LIBERDADE E BEM ESTAR

LIBERDADE E BEM ESTAR

Ministro polaco prevê guerra na europa se não mudar

14.09.11, uon

O ministro das Finanças da Polónia vê risco de “guerra” se a União Europeia entrar em ruptura.

Guerra entre quem e contra quem é que não sabemos

É que esta Europa não foi feita para ser solidária entre os povos os povos europeus, mas sim com capital residente nestes países.

O que interessa é o salve-se quem puder entre países e explorarem-se uns aos outros por estão sempre a pensar na competitividade entre países.

A única solidareridade é a nivel bélica através da Nato, onde todos se ajudam caso sejam atacados, por quem não se sabe, só se for extraterrestres.

Esta Europa está mais interessada em ajudar os capitalistas a terem sucesso e a explorar o trabalhador que gera a riqueza através das sua leis do que a satisfazer as necessidades básicas dos povos.

O risco de guerra entre quem e contra quem é que não sabemos é real senão se alterar as regras do jogo entre capital e trabalho.

Há fraudes nas eleições?!

13.09.11, uon

 

  • 472 × 472
    472 × 472

O deputado do PND madeirense António Fontes revela numa entrevista exclusiva como foram adulterados os votos para as presidenciais e garante não ter medo de represálias: "Eles sabem que eu sei".

Este ex.JSD diz que participou na trafulhice para fazer ganhar Soares Carneiro o celebre torturador de S. Nicolau no tempo da outra senhora e o candidato de Sá Carneiro o pequeno Salazar do pós 25 de Abril e da AD.

Esta entrevista traz a liça as eleições realizadas em Portugal onde são ganhas ora pelo o Ps ora pelo PSD.

Quem é que nos diz a nós que não tem havido fraudes nas sucessivas eleições presidênciais, legislativas, autárquicas onde ganham sempre os mesmos.

Nas próximas eleições temos de pedir observadores internacionais para fiscalizar as eleições, isto é mesmo um pais do 3º mundo, com governantes do 1º mundo.

Estado:Retirada do corte do 13º mês e abdicar do aumento

13.09.11, uon

Os sindicatos do Estado já começaram a apresentar as reivindicações para o ano de 2012.

Os Quadros Técnicos querem um aumento com base em 2010.

A Função Pública/CGTP quer um aumento de 50 euros para todos os trabalhadores do Estado.

Não faz qualquer sentido os sindicatos estarem apresentar reivindicações de aumentos, quando o governo se prepara para cortar no subsídio de natal.

O que os sindicatos deviam negociar com o governo era a retirada do corte  do 13º mês e abdicar dos aumentos.

Não faz sentido o governo dar com uma mão e tirar com a outra.

 

Governo quer -35% dos vereadores

13.09.11, uon

A proposta que o Governo apresentará, no Parlamento, para a reforma do poder local prevê uma redução de 35% no número de vereadores actualmente eleitos em 308 municípios.

O governo vai reduzir nos vereadores para reduzir custos, mas se calhar aumenta os ordenados dos que ficarem como vereadores e os custos voltam a ser iguais.

Não basta reduzir 35% dos vereadores na administração local, é preciso fazer uma revolução e acabar com os cargos electivos dos partidos, pagos a peso de ouro, como são a presidência da república, assembleia da república, câmaras municipais, juntas de freguesia e os órgãos de Estado, procuradoria, tribunais, policias, exércitos, função pública etc, etc.

As coisas só vão começar a funcionar quando deixar de haver cargos dirigentes e todos começarem a dar a a sua opinião sobre as decisões fora disso as coisas vão continuar da forma que todos todos sabemos e a funcionar mal.

 

 

Os atentados do 11 Setembro

12.09.11, uon

Passaram 10 anos sobre o 11S altura em que segundo rezam as histórias vários aviões foram usados por terroristas contra os Estados Unidos. 

Os Estados Unidos estão lavados no mar lágrimas por causa dos atentados em especial na torres gémeas, onde milhares de vitimas morreram sem poderem sair daquele enorme labirinto e onde os bombeiros foram apanhados pela derrocada dos edifícios.

Mas também há quem questione a veracidade dos atentados serem obra dos próprios States para culparem outros e abrir um pretexto para invadir o Afeganistão e o Iraque e para darem trabalho aos pedreiros.

Toda a gente sabe que a Al queda é um produto americano exportado e o bin ladem foi um fantoche que serviu os intentos dos States na guerra do sovieticos no Afeganistão e depois levou um pontapé no cu e foi posto fora.

Admitindo que até foram atentados, as imensas guerras que os States tem prepetrado pelo mundo inteiro, desde as bombas atómicas no Japão, as guerras da Coreia, as guerras da Jugoslávia, os golpes de Estado em diversos países a fome a míseria que tem provocado em diversos pontos do globo, as guerras da Nato na Líbia, só tem conduzido que os povos não gostem da politica expansionista e terrorista dos states e haja grupos que queiram levar a vingança aos próprios USA e que os supostos atentados contra as torres e Pentágono sejam parte dessa vingança e como diz o povo "cá se fazem, cá se pagam".

Em Baixo um video no parlamento japonêz a questinionar o 11 de Setembro.

http://www.youtube.com/watch?v=YnrP7d232WI&feature=player_embedded

Há greves e greves

06.09.11, uon

Paulo Portas, que hoje encerrou, no Funchal, as Jornadas Parlamentares do CDS-PP."Uma onda de greves sistemáticas não teria outra consequência se não empobrecer mais o país e tornar mais difícil a vida de quem já uma vida muito difícil".

Se Portas se não quer greves por que empobrece o país faça por não as ter.

As greves são umas das armas dos trabalhadores para fazer valer os seus direitos, mas não a única.

Hoje até as greves não tem aquele impacto que já tiveram noutros tempos, onde os trabalhadores tinham uma palavra a dizer, por que os trabalhadores estão divididos por diversos sindicatos reformistas que recebem dinheiro do Estado e isso permite ao governo manobrar os sindicatos e mete-los na ordem.

Outro factor fundamental é a solidariedade entre trabalhadores mesmo que não tenham nada a haver directamente com a luta, como exemplo a luta travada por via da CNT/AIT na Visteon/Cadiz contra o encerramento, ultrapassou fronteiras e foram realizadas diversas concentrações em fábricas da mesma empresa, em diversos países.

Até nas greves o governo e patrões tem ganho e quem tem perdido são os obreros.

Os dias não são pagos e os trabalhadores não recebem o dia e um dia é sempre um dia a menos nos salários já de si pequenos.

As greves gerais poderão ter algum impacto positivo no interesse geral desde que acompanhadas de manifestações nas principais praças e muitas greves descambam em profunda guerra social contra o Sistema.

Pode ter algum impacto também um grande manifestação como a 12M que fez tremer o governo de Sócrates.

Como em Portugal não existe nada de sério a nível de sindicalismo revolucionário os patrões e o governo estão nas sete quintas e podem fazer o que quiserem.

Pág. 3/3