Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LIBERDADE E BEM ESTAR

LIBERDADE E BEM ESTAR

Esta democracia merece é cornos

06.03.13, uon

 

 

Vasco Lourenço diz que se houvesse condições já estaria a preparar outra revolução.

Pois é, mas não foi ele que apoiou o 25 de Novembro de 1975, com o Grupo dos Nove que conduziu a esta brilhante democracia que está na sua verdadeira pujança.

Temos um país endividado, injusto, e desigual que tudo somado dá DEMOCRACIA.

Nunca se viu tanta maldade vindo de cima, onde os politicos são corruptos e um bando de malfeitores e dão um rico exemplo a quem vota neles que é a filha-da-putisse.

Venham eles falar de votos ao povo que levam cornos e não merecem outra coisa.

Comunicado sobre a morte de Chavez

06.03.13, uon

 

Imagem

Nem em dor, nem em celebração!

Chegou a hora da autonomia das lutas sociais!

Quando se associam uma doença gravíssima, cuidados médicos condicionados a decisões políticas míopes e um doente alucinado pelo poder, só se podia esperar este final: o caudilho morreu, e isso vai gerar uma mudança substancial na cena política venezuelana.

 

http://colectivolibertarioevora.wordpress.com/2013/03/06/el-libertariovenezuela-comunicado-sobre-a-morte-de-hugo-chavez/

 

Chavez era adorado pela esquerda e odiado pela direita, muito especialmente pelos americanos mad in USA que agora tem uma oportunidade de se apoderarem do petróleo que brota na Venezuela como o fizeram no passado.

No Ocidente diziam cobras e lagartos de Chavez que era um ditador eleito em eleições como as que se fazem na europa e onde ganham uns após outros e ninguém se atreve a dizer que (não) foram aldrabadas.

Este pessoal do ocidente tem a mania que tem o rei na barriga.

 

 

Apresentação da revista “Apoio Mútuo” e da AIT-SP em Coimbra

05.03.13, uon
7 de Março | 18h
Teatro da Cerca de S. Bernardo (junto ao Pátio da Inquisição)

A Associação Internacional dxs Trabalhadorxs foi formada há 90 anos e a ela pertenceram as grandes centrais sindicais da história do anarco-sindicalismo – CGT (Portugal), CNT (Espanha), FORA (Argentina), USI (Itália). Apesar da perda de influência do sindicalismo revolucionário durante grande parte do século XX, a AIT manteve-se firme na defesa das práticas libertárias no seio do movimento operário.
Com o ressurgir do anarquismo, em finais do século passado, o movimento anarco-sindicalista tem vindo a reorganizar-se em vários países do mundo, voltando a constituir já hoje uma força importante sobretudo no sul da Europa, Europa de Leste e América Latina.

Em Portugal a AIT é representada pela Secção Portuguesa que pretende pôr em prática e difundir, no meio dxs trabalhadorxs, os princípios da acção directa, sem intermediárixs nem profissionais do sindicalismo. A AIT/SP tem neste momento núcleos em Lisboa, Porto, Chaves, Guimarães, Setúbal e Algarve.
Autogestionária e defendendo que a “emancipação dxs trabalhadorxs é obra dxs próprixs trabalhadorxs”, a AIT/SP situa-se à margem dos partidos políticos e assenta toda a sua prática em torno da solidariedade e do apoio-mútuo entre xs exploradxs.

Apoio Mútuo” é também o nome da sua revista, de que saiu recentemente o número 2.
A AIT/SP publica também regularmente o “Boletim Anarco-Sindicalista”.

Esta 5ª-feira, companheirxs da AIT/SP vão estar connosco para nos falarem das suas publicações e desta organização anarco-sindicalista.

Sessão aberta a todxs. Contamos com a vossa presença!

organização :
República Baco
República das Marias do Loureiro
Sindicato de Ofícios Vários – AIT (Porto)

Pág. 4/4