Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Nato um foco de instabilidade

por uon, em 31.10.14

NATO deve rearmar-se para evitar uma nova guerra diz Loureiro dos Santos.

A Nato não deve rearmar-se, mas sim fazer o contrário, para que a Rússia siga o mesmo caminho e haja um desarmamento mundial.

A Nato é que tem feito guerra em quase todo o mundo.

Foi a Jugoslávia, foi a Líbia, Afeganistão, na Somália os aviões da nato estão prontos a bombardear todos os povos onde os interesses capitalistas estejam em causa.

A Rússia depois da guerra fria tem intervindo na sua área de influencia politica, Chechénia, Geórgia e agora indirectamente  na Ucrânia.

O principal foco de instabilidade é a Nato/USA/CEE que tem de ser dissolvidas como forças ao serviço do capitalismo europeu e americano e contra as pessoas.

Depois de termos tratado da Nato, segue-se a Rússia e China.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:49


imagem

kobani

“KOBANÎ / Outubro 30, 2014 - Os ataques terroristas dos mercenários do “ISIS” para ocuparem Kobani continuaram ontem pelo 45º dia. Os grupos terroristas trouxeram mais forças e armas de Ar-Raqqah, Manbij, Jarabulus e Girê Sipî (Tell Abyad) para a região e tentam lançar novos ataques. As nossas forças repeliram todos os ataques e conseguiram infligir grandes perdas aos terroristas.

Na frente oriental, os confrontos violentos e directos entre as nossas tropas e os grupos terroristas continuaram ontem durante o dia e durante a noite no bairro de Kaniya Kurdan, na  zona do município e na Praça Azadê (Liberdade). As nossas tropas conseguiram fazer vários contra-ataques e infligir elevadas baixas nos terroristas. Entretanto, a batalha ainda continua naquelas mesmas posições por isso o balanço ainda não é muito claro, mas de acordo com o que já está confirmado foram mortos 4 terroristas no bairro de Kaniya Kurdan, 5 terroristas na zona do município e 9 outros terroristas perto da Praça Azadê.

Na frente sul os terroristas desencadearam uma ofensiva maior. As nossas forças responderam de uma forma determinada a este ataque, lutando de forma frontal por um largo período de tempo. De acordo com a confirmação das nossas tropas, foram mortos nesta batalha 54 terroristas.

Ao mesmo tempo as nossas forças desencadearam diversas operações contra as posições dos terroristas perto de Kobani. Na aldeia de Helinj, no sudeste de Kobani, um veículo dos terroristas foi destruído e 4 mercenários que estavam no interior foram mortos.  Na aldeia de Iza, a sul de Kobani outro veículo foi destruído pelas nossas forças e 3 terroristas foram mortos. Na aldeia de Minaz, a sul de Kobani os nossos combatentes destruíram 2 veículos do ISIS, 7 terroristas foram mortos nesta operação.

Nas batalhas das últimas 24 horas, 16 dos nossos camaradas lutaram com honra,  altruisticamente sacrificaram as suas vidas e foram martirizados em combate.”

Aqui: https://twitter.com/DefenseUnits/status/527846765433991168

mais informação aqui: https://www.facebook.com/WorkersSolidarityMovement

 Tradução Portal Anarquista

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:16

Suécia reconhece Palestina

por uon, em 30.10.14

Há 135 países no mundo que reconhecem a Palestina, incluindo sete membros da UE, mas que anunciaram esse reconhecimento antes de o serem: a República Checa, a Hungria, a Polónia, a Bulgária, Malta e Chipre. A Suécia é, por isso, o primeiro da União Europeia a fazê-lo.

Não sabemos até que ponto um estado reconhecido por outros é uma virtude.

Pelo que sabemos um estado é repressivo para o seu próprio povo, coisa que ninguém incapaz de negar.

Temos o nosso Portugal como exemplo disso.

Mas a Palestina apesar de ser reprimido por um potencia regional que é Israel todos os dias, não significa que os chefes palestinos não sejam tão fascistas como os israelenses.

Por isso nenhum estado devia reconhecer outro enquanto não houvesse condições mínimas liberdade igualdade e solidariedade na prática, tanto para homens como para mulheres em todos os domínios e até fosse retirado esse estatuto quando houvesse retrocessos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:27

Onde é que o Estado Islâmico (EI) é igual ao Estado português (EP)?

O EI corta o pipo a jornalistas num minuto.

O EP cobra num minuto 60 euros por registo automóvel e 30 no contrato de arrendamento.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:25

BMW:solidariedade com despedido

por uon, em 29.10.14

http://guadalajara.cnt.es/index.php/secciones-sindicales/truck-and-wheel/1073-cronica-de-la-semana-de-solidaridad-internacional-con-el-delegado-de-cnt-en-tw-bmw-international-solidarity-week-with-the-cnt-delegate-in-tw-bmw-chronicle

Colonia, Alemania. (FAU-IAA)




Melbourne, Australia. (ASF-IWA)




Bratislava, Slovakia. (PA-MAP)




Varsovia, Polonia. (ZSP-IWA)




Estado español (CNT-AIT);

Cabanillas del Campo.




Salamanca.


Barcelona.




Madrid.




Aranjuez (nave TW).




Guadalajara.




Ávila.




Burgos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:13

O PS de Loures acusou hoje o actual executivo camarário, liderado pelo comunista Bernardino Soares, de estar a perseguir funcionários da autarquia por questões políticas e admitiu avançar com queixas formais junto dos sindicatos.

Imagem 061.jpg

 Se o CDU/PCP persegue funcionários ma câmara de Loures por motivos políticos, chegamos à brilhante conclusão que os partidos no poder (governo/autarquias/empresas) infernizam os trabalhadores com medidas económicas sociais e repressivas.

Em conclusão os partidos sejam de esquerda/centro/direita tem de ser banidos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:51

"Então, linda?", "Olá, querida", "Sorri", "Devias agradecer". Ao todo, Shoshana Roberts, 24 anos, recebeu 108 comentários. Um dos homens que a interpelou caminhou mesmo a seu lado ao longo de cinco minuto ininterruptos: "Não queres falar? É por eu ser feio?", repetiu várias vezes. Outros piscaram o olho, assobiaram ou fizeram gestos e sons inapropriados.

Ler mais: http://visao.sapo.pt/mulher-passeia-por-nova-iorque-e-recebe-10-piropos-por-hora=f799818#ixzz3HXzgEgqi

Afinal os machos latinos ao pé dos americanos são uma miragem.

Segundo a notícia uma mulher passeou-se numa rua de Nova Yorque e recebeu mimos  (em cima) por parte dos homens que passavam.

Para o bloco de esquerda/UMAR/PS, etc estes homens tem de ser punidos com severidade se possível com pena morte.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:16

Praça do Giraldo cerca de 1923

http://colectivolibertarioevora.wordpress.com/2014/10/28/memoria-libertaria-reuniao-em-evora-antecedeu-a-criacao-da-fai-e-em-cima-da-mesa-esteve-a-possibilidade-de-uma-confederacao-sindical-iberica/#more-7375

Praça do Geraldo, cerca de 1923

A cidade de Évora, em 1923, foi palco de um encontro relevante que podia ter marcado um futuro diferente na história do movimento operário e anarquista peninsular. Num momento em que a repressão se intensificava, através de leis celeradas, anti-anarquistas e e anti-operárias por toda a Europa, as direcções da Confederação Geral do Trabalho portuguesa e da Confederacion Nacional del Trabajo espanhola, acompanhadas pelos militantes mais activos da União Anarquista Portuguesa e da Federação Nacional de Grupos Anarquistas de Espanha, concluíram ser útil coordenar esforços para, de forma conjugada, enfrentarem a repressão e lutarem por um mundo novo.

Évora foi o palco escolhido para esta primeira reunião da Conferência das Organizações Operárias de Espanha e Portugal. Desta reunião não saiu qualquer decisão vinculativa, mas ela tornou mais viva a necessidade de um órgão coordenador do anarquismo peninsular, que virá a acontecer mais tarde com a criação da Federação Anarquista Ibérica  (em Valência, em 1927), mas que não terá correspondência a nível sindical, já que as diferenças da legislação laboral e das regulamentações existentes entre os dois estados tornava mais difícil essa coordenação do que no campo específico do anarquismo.

Em Évora, a CGT e a CNT (as duas organizações anarco-sindicalistas peninsulares integrando centenas de milhares de trabalhadores) fazem-se representar ao mais alto nível. É um momento histórico cuja análise, a nível nomeadamente da imprensa operária, local e nacional, está longe de ser feito. Pier Francesco Zarcone e Edgar Rodrigues, no entanto, dão algumas pistas relativamente a este encontro de Évora.

 

*

aranha

José da Silva Santos Arranha

manuel-joaquim-sousa

O Anarquismo na História de Portugal

Pier Francesco Zarcone

Em 1923 em Évora teve lugar a Conferência das Organizações Operárias de Espanha e Portugal: estavam presentes, na qualidade de representantes da espanhola CNT, Ácrato Lluhl, Manuel Pérez e Sebastián Clara; e como representantes da CGT José de Silva Santos Arranha e Manuel Joaquim de Sousa. Afirma Edgar Rodrigues que aquele acontecimento foi de importância fundamental para o anarquismo peninsular, porque do encontro nasceu o impulso de facto (se bem que não de jure) para a criação duma federação ibérica.

Em concreto, parece que Manuel de Sousa, apoiado por Pérez, propôs a formação duma entidade que unisse os anarquistas da península. Por outra parte, na sua célebre Historia de la FAI o espanhol Juan Gómez Casas ignora no total esta reunião.

Com certeza pode-se dizer que em Évora se falou dos problemas logísticos ligados à constituição dum comité sindical peninsular entre CNT e CGT, na óptica duma confederação sindical ibérica. Mas quer em Espanha quer em Portugal tudo se precipitou: em Maio de 1924 a ditadura militar de Primo de Rivera ilegalizou a CNT, dando um golpe terminal ao projecto de confederação entre as duas entidades anarco-sindicalistas.

Depois, a esperança residual foi cancelada pelo golpe militar em Portugal que mudou cabalmente a situação da CGT, declarada fora-da-lei no ano seguinte. Militantes dos dois países foram forçados ao exílio na Europa ou América Latina.

Melhor êxito teve o projecto paralelo que se movia no sentido duma federação entre as entidades anarquistas nacionais da península: este processo começou realmente em 1923, quando espanhóis e portugueses estavam dotados das suas próprias organizações nacionais: o Comité Nacional de Relaciones Anarquistas e a UAP. Em Abril de 1925 teve lugar em Barcelona o congresso clandestino dos anarquistas espanhóis, onde o representante português da UAP apresentou o pedido formal de criar uma federação anarquista ibérica. O congresso decidiu a formação duma comissão mista hispano/portuguesa com a tarefa de avaliar a possibilidade de realização da proposta.

Por causa da repressão do governo de Primo de Rivera, o Comité de Relaciones Anarquistas deslocou-se a França, onde, em Maio de 1926, em Marselha, decorreu o congresso da federação local dos anarquistas de língua espanhola, com a presença também de representantes da AIT, da Unione Sindacale Italiana-USI (Armando Borghi) e da CGT (Manuel de Sousa).

quintal

Francisco Quintal, delegado da União Anarquista Portuguesa, esteve na constituição da FAI

Naquela ocasião foram aprovadas:

a) a constituição da Federação Anarquista Ibérica;

b) a implantação transitória da sede do Comité de Coordenação da FAI em Lisboa, por causa das condições adversas para os anarquistas em Espanha;

c) a atribuição ao Comité da tarefa de convocar – quando possível – um Congresso Ibérico.

O golpe de estado militar do 28 de Maio de 1926 em Portugal – que deu início ao processo político do qual nasceu a longa ditadura de Salazar – entre outras coisas anulou também o Congresso Anarquista de Lisboa, que se realizou em Valência a 25 de Julho de 1927, data de fundação da FAI geralmente aceite. Neste congresso entre os delegados portugueses participava Francisco Quintal, do Comité da UAP e director do periódico “O Anarquista”. Para o Secretariado do Comité Peninsular da FAI foi nomeado Germinal de Sousa (filho de Manuel), com os espanhóis Ruiz e Jiménez.

*

Bordalo Pinheiro - 1923

Bordalo Pinheiro/ 1923

A Conferência das Organizações Operárias de Portugal e Espanha, em Évora 1923, Portugal, e o Congresso de Marselha, França, maio de 1926.

Edgar Rodrigues

A ferocidade da polícia sanguinária de Rivera e o pacto com o governo português de ajuda policial produziam a convicção nos anarquistas e sindicalistas ibéricos de que só a formação de um organismo constituído por anarquistas portugueses e espanhóis dispostos a lutar de igual para igual, naquilo que fosse possível, tornaria menos cruel o pacto dos governantes espanhol e português.

A polícia ibérica aliava-se para perseguir, prender, espancar e deportar anarquistas e sindicalistas: os anarquistas e sindicalistas portugueses e espanhóis pensaram fazer o mesmo! Criariam uma “força” libertária, ibérica, para defender e resguardar os idealistas que estivessem sendo caçados: era a lei do dente por dente, olho por olho.

Foi esta a razão maior, o motivo premente, que convenceu o militante anarquista português Manuel Joaquim de Sousa a apresentar esboço de um projecto na Conferência das Organizações Operárias e Espanholas de Évora em 1923, para apreciação, debate e alterações, se fosse preciso, criando-se a Federação Anarquista Ibérica e a Confederacion Iberica del Trabajo.

O propósito inicial, repito, era constituir agrupações dispostas a resistir e enfrentar o acordo policial dos governantes português e espanhol que vinham impedindo a marcha dos libertários ibéricos! A proposta apresentada recebeu a pronta concordância e apoio do militante português José Santos Arranha e dos espanhóis, Manuel Peres, J. Ferrer Alvarada, Sebastián Clara e outros nomes que não foram anotados na época por questões de segurança.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:49

Ps quer dia contra homofobia

por uon, em 28.10.14

O PS quer que 17 de Maio passe a ser o Dia Nacional contra a Homofobia e a Transfobia. A data - que evoca o dia em que a Organização Mundial de Saúde retirou a homossexualidade da sua classificação de doenças, em 1990 - já é assinalada como Dia Internacional. O PS quer agora consagrá-la no calendário português.

Quando não se quer resolver os problemas reais dos trabalhadores e do povo pobre e dos próprios homossexuais, os políticos partem para as questões acessórias, tentando desviar as atenções para estes temas fracturantes.

Só quando há falta de perspectivas revolucionárias na cabeça das pessoas logo aparecem estes temas homossexualidade, violência doméstica, pedofilia, criminalidade e temas análogos.

Em 1975 as pessoas andavam mais preocupadas com as ocupações, a reforma agrária, com o fascismo e o direitos dos trabalhadores e fazer um país melhor do que acabava de finar, do que com estas questões fracturantes.

Nem os próprios anarquistas falavam sobre estes assuntos, por que não estavam na agenda?!

Nem na revolução espanhola havia tempo para discutir estes temas, por que todos os dias eram atacados pelo franquistas?!

Quer quer ser hetero é o contrário também, existe liberdade sexual, cada um escolhe a via que o faz feliz e ninguém deve poder afrontar estas tendências.

Quanto ao dia se for feriado ainda melhor é preciso é descanso.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:27

republica-dominicana-primeiro-co-1

Kiskeya Libertária (República Dominicana) e Oficina Libertária Alfredo López (Cuba)

Os coletivos promotores confirmam a convocatória e convidam para o Primeiro Congresso para uma Federação Anarquista Centro-americana e do Caribe (FACC), a ser realizado em 21 e 22 de março de 2015, em Santiago de los Caballeros, República Dominicana, nas instalações da Coordinadora de Mujeres del Cibao, rua Salvador Cucurulo n ° 77.

Temas sugeridos para a discussão no evento:

a. Definição das modalidades preliminares para a estruturação e o desenvolvimento do encontro.

b. Apresentação dos participantes e da situação de sua região de origem.

c. Discussão sobre: Que sentido tem o anarquismo em nossa região, América Central e Caribe? Quais são as suas possibilidades? Quais são os seus limites e dificuldades? Análises das dinâmicas antiautoritárias na contestação anticapitalista americana após 1994.

d. Discussão e possível definição sobre o tipo ou forma federativa que pode ser a mais adequada para a nossa multicultural, multilíngue e muito peculiar região.

e. Proposta de uma plataforma de informação na América Central e Caribe. (Iniciativa de uns compas da Costa Rica).

f. Eventuais temas que possam surgir.

Notas:

• Nesta chamada já responderam positivamente grupos e indivíduos de Costa Rica, El Salvador, Venezuela, Porto Rico, Guatemala; também manifestaram interesse em participar como observadores: individualidades, grupos, organizações, federações da Europa, Estados Unidos, e América do Sul.

• Haverá alojamento disponível no centro social do Cibao Libertário (gratuito, mas com condições mínimas) e em parte em vários hotéis na mesma rua do encontro (com preços mínimos por noite a partir de menos de 10 dólares). Para mais informações, e para reservar com tempo se pede aos interessados para que confirmem a sua participação no evento, a um dos contatos abaixo, com pelo menos um mês de antecedência, de modo a facilitar a logística do evento e de seus participantes.

Contatos:

Comitê de acolhda: Jorge Ortiz

Cel: 1-809-856-2794

Skype: jcot67

G+: +JorgeOrtizT

FB: jorgeortiz67

VK: jorgecarlos

Twitter: @JorgeOT

Comitê de Correspondência desde República Dominicana

E-mail: 1congresofacc.info@gmail.com

Centro Social Cibao Libertário: Tel. Residencial: 809-471-4834

Notícia relacionada:

http://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2014/08/25/republica-dominicana-cuba-pela-federacao-anarquista-do-caribe/

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:24

Pág. 1/6




Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D