Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Alabarricadas no Podemos

por uon, em 30.12.14

http://www.cnt.es/noticias/ante-la-integraci%C3%B3n-de-alasbarricadasorg-en-podemos

Esta noticia de "alabarricadas" em tornar-se como em circulo do "Podemos" (partido politico espanhol recentemente criado" era previsível que causasse estragos no movimento anarquista espanhol.

Este partido teve um certo êxito eleitoral muito por culpa da má governação dos partidos tradicionais PSOE/PP e também a Esquerda Unida não ser alternativa e provocou deslumbramento e alguma esperança na esquerda e (n)o mov. libertário anarcosindicalista é concerteza também atingido com a debandada de alguns libertários.

Em Portugal também aconteceu o mesmo com o Bloco que conseguiu que alguns libertários fossem para aquele partido.

Como é evidente as pessoas são livres de irem para onde querem e nisso os libertários são exímios em respeitar as ideias de cada um, mas não podem deixar de criticar e temos todo o direito.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:13

Hoje, 29 de Dezembro de 2014, cerca das 18 horas, em frente ao consulado-geral de Espanha em Portugal, começaram a concentrar-se dezenas de solidárixs assim como dezenas de polícias, a proteger as instalações daquele e em várias carrinhas policiais numa rua lateral. Várias faixas, solidárixs a distribuir flyers, comunicados tanto sobre a “ley Mordaza” como informação solidária com xs 7 compas sequestradxs pelo estado espanhol e sobre a situação de alguns outros sequestrados pelo estado grego.

Cerca de duas horas depois uma carta de Mónica Caballero sobre a Operação Pandora, presa numa faixa anarquista, foi deixada abraçada a uma árvore frente ao edifício representante do terrorismo de estado espanhol. Partimos em desfile até à Praça do Rossio, seguidxs pelas carrinhas da polícia. O trânsito intenso “prendeu-as”, a noite e o barulho das luzes deixaram-nos na Praça do Rossio, tempo ainda para solidárixs “redecorarem” a Praça com as faixas e continuar-se a distribuição de flyers.

LIBERDADE ANARQUISTAS PRESXS!
ABAIXO OS MUROS DE TODAS AS PRISÕES!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:08

somos_todas_anarquistas_01

somos_todas_anarquistas_02

Pintada “Somos tod@s anarquistas” na fachada do consulado espanhol no Porto.

aqui: http://pt.indymedia.org/conteudo/newswire/29413

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:30

O PNR realizou uma acção de solidariedade com o especial da GNR frente a quartel da mesma, que matou uma criança cigana depois de um suposto roubo, de quem o PNR faz gala em não gostar.

Para o PNR os ciganos não são pessoas e como tal podem ser abatidos a sangue frio.

Recorda-se que os tribunais evitaram a prisão do agente da GNR, mas obrigaram o mesmo a pagar uma indemnização à família da vitima.

Os integrantes do partido que faz uma acção de solidariedade com uma pessoa que mata outra devia estar em Évora como o Sócrates.

Não se esperava outra coisa  do PNR  e pede que seja condecorado no 10 de Junho pelo presidente Cavaco e seja levantada uma estátua como a de Ronaldo na Madeira.

O vosso amo caiu da cadeira (Salazar) e morreu mas deixou cá uma bestas dignos desse nome.

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:26

http://www.cnt.es/noticias/ja%C3%A9n-cnt-denuncia-las-malas-pr%C3%A1cticas-de-la-asociaci%C3%B3n-mujeres-progresistas-contra-la

La CNT de Jaén inicia una campa de denuncia pública de las malas prácticas de la Asociación “Mujeres Progresistas contra la Discriminación y la Violencia de Género”. Esta campaña se inicia tras la denuncia de dichas prácticas efectuada por una compañera de CNT-Jaén que ha colaborado como voluntaria en dicha asociación durante unos meses.En ese sentido, denunciamos que esta asociación, cuyo fin aparente es apoyar a las mujeres en su problemática social, abusa en realidad de la buena voluntad de las voluntarias y trabajadoras que se acercan a esta asociación por sus fines declarados.

Explicamos los motivos. Esta asociación encargó a nuestra compañera un trabajo: hacerse cargo de un proyecto social para esta asociación cuyo dinero provenía de una subvención otorgada por el Instituto Andaluz de la Mujer (dependiente de la Junta de Andalucía). Una vez realizado el proyecto, la Asociación no pagó a nuestra compañera en tiempo y forma, pidiéndole además que asumiera ella misma el pago del IRPF. Al negarse a realizar esta práctica fraudulenta, nuestra compañera fue retirada del proyecto elaborado por ella misma, siendo sustituida por una familiar directa de una persona de la directiva de dicha Asociación.

Por otro lado, esta situación fue comunicada al Instituto Andaluz de la Mujer (IAM), que fue la institución que otorgó la subvención para el desarrollo del proyecto, dando la callada por respuesta y haciendo oídos sordos a las reclamaciones de nuestra compañera. Por eso mismo, consideramos corresponsable de los hechos al propio IAM.

Finalmente, queremos dejar claro que CNT-Jaén ha solicitado en varias ocasiones poder reunirse con la citada Asociación, pero dichos intentos han resultado infructuosos. Por eso, y ante la falta de respeto, el abuso de poder y el evidente ninguneo, iniciamos esta campaña para dar a conocer los hechos y exigir responsabilidades.

No queremos que con el dinero de todos y todas, se engañe a las trabajadoras y se enchufe a familiares.

 

CNT: sin liberados, sin subvenciones; un sindicato para luchar.

Secretaría de Acción Sindical

 

Como é que uma associação progressista que diz defender a driscriminação e a violencia de género pode defender as mulheres se na prática não defende as suas próprias trabalhadoras.

Estas pseudo-associações e em Portugal há milhentas não são mais que empresas que exploram os seus trabalhadores e tem na s suas direcções autênticas patroas e patrões.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:26

http://rsspod.rtp.pt/podcasts/at1/1412/737112_171255-1412191550.mp3
gt

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:40

https://colectivolibertarioevora.wordpress.com/2014/12/23/tunisia-marco-de-2015-apelo-para-um-primeiro-encontro-anarquista-do-mediterraneo/#more-7948

Capturar

Hoje a região mediterrânica continua a ser uma das regiões do mundo na vanguarda dos levantamentos e dos protestos populares. Estes últimos estendem-se do norte ao sul do Mediterrâneo, devido à crise económica e financeira mundial, provocando um aumento da precariedade e da pobreza bem como a migração de centenas de milhar de pessoas.

Ainda que as situações sejam diferentes de uma região para outra, a população resta à mercê dos capitalistas e das suas cliques. Em resposta a esta crise mundial, uma série de levantamentos populares atingiu a região. Começaram na Tunisia e não sabemos ainda onde irão acabar. Estes levantamentos e estas manifestações, que têm lugar na região mediterrânica, dão esperança na capacidade dos povos poderem mudar a sua vida.

 

Contudo, apesar das revoltas populares, a situação na Tunísia e no Egipto degradou-se fortemente nestes três últimos anos. Com efeito, as milicias RDC do antigo regime (Tunísia) e a Junta Militar (Egipto) aproveitaram as incertezas pós-revolucionárias para assegurarem o seu poder graças à colaboração e ao apoio de antigos membros destes regimes. Eles têm hoje na sua mão o conjunto dos postos chave do poder e as suas riquezas, condenando assim as populações a mais precariedade e a mais miséria.

Quanto à situação na Síria e na Líbia, grupos de mercenários islamitas financiados por certos emiratos árabes e/ou pelo Irão confiscaram a luta do povo contra a opressão e a ditadura para si próprios. Nomeadamente, o povo sírio que está a lutar contra a barbárie de Bachar El Assad e contra a dos combatentes que lutam pelo Califado Islâmico.

Ainda que as classes dirigentes destes países intimidem e reprimam  através do sangue as manifestações e os levantamentos, a população e os anarquistas continuam a resistir e a lutar pela sua emancipação, a auto-organizarem-se e a tecerem laços de solidariedade e entre-ajuda.

É neste espírito de solidariedade e de entre-ajuda que apelamos a todos os anarquistas, libertários e anti-autoritários a juntarem-se a nós para a  criação de uma rede de contactos, de partilha de informações, de projectos e de solidariedade entre os anarquistas do Mediterrâneo.

Com esse fim, o colectivo libertário tunisino “Património Libertário“, a Federação Anarquista (Francófona, FA) e a Internacional de Federações Anarquistas (IFA-IAF) convidam-vos aos Encontros Anarquistas do Mediterrâneo que vão ter lugar em Tunes, de 27 a 29 de Março de 2015. Este convite é aberto a todas e a todos, aos nossos camaradas, incluindo aquelas e aqueles que não pertencem a esta região.

O encontro vai-se concentar sobre a situação vivida pelos povos do Mediterrâneo durante as crises económicas e sobre os protestos populares com o objectivo de derrubarem os regimes que exploraram e que ainda exploram os povos da região.

Jornadas libertárias mediterrânicas

Tunísia, Março de 2015

Ficha de organização

1/Temas de debate e programa das Jornadas:

  1. Sexta-feira, 27 de Março

Dia de acolhimento das delegações.

  1. Sábado, 28 de Março

A manhã será dedicada às trocas de experiências sobre as lutas sociais, há a proposta de que uma organização ou duas nos falem das suas lutas actuais (ex. os kurdos/turcos e os gregos).

Da parte da tarde terá lugar a discussão e a adopção do texto/carta pelas delegações presentes que formalizará a existência da rede mediterrânica.

      3. Domingo, 29 de Março

De manhã: Apresentação pela delegação grega do próximo encontro Med, que terá lugar em Outubro de 2015, provavelmente na Grécia.

Da parte da tarde: conclusão do encontro.

II/ logística e condições

As jornadas serão organizadas num local que será posto à disposição dos participantes pelo colectivo libertário tunisino “Património Libertário” de sexta-feira, 27, a domingo, 29 de Março de 2015

As delegações (1 ou 2 pessoas por organização) serão alojadas e as refeições serão também asseguradas no mesmo local.

Por isso será pedida uma participação de 15 euros a cada participante

Contactos:

Federação Anarquista: http://www.federation-anarchiste.org/

internationales@federation-anarchiste.org

Le Commun Libertaire (Património Libertário) : commun.anar.lib@gmail.com

Internationale des federations Anarchistes (IFA): www.i-f-a.org

secretariat@i-f-a.org

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:29

face

Já está disponível em http://sovaitporto.blogspot.pt/ o último número do Boletim Anarco-Sindicalista (nº 47 Verão/Outono 2014). Por favor leiam e divulguem …

Pode também ser descarregado a partir daqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:25

Sindicato de oficíos vários do Porto filiado na AIT-SP

 

 

Vem conhecer-nos e talvez , encontres o que procuras em termos de luta contra uma sociedade desigualitária , injusta , opressora , individualista e na qual quase tudo se reduz ao poder do mais forte e do mais rico.

Pensa com a tua cabeça e participa  na criação e concretização da tua forma de luta , sem chefes e sem dirigentes, sem subvenções do Estado e sem partidos politicos . Podemos e devemos marcar a diferença para que um dia a sociedade libertária seja efetiva mas, até lá é preciso lutar e acreditar que podemos contribuir para isso à medida das nossas necessidades  e segundo as nossas possibilidades. De que maneira ? Através da solidariedade e apoio mútuo , internacionalização, auto-organização e auto-gestão . Contra o Estado e o Capital porque há outras formas de organização da sociedade (sociedade sem classes ) e porque há outras formas de gerir a riqueza (auto-gestão).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:21

Uma providência cautelar entregue pelos sindicatos/CGTP suspendeu o processo que afectava quase 700 funcionários da (in)segurança (in)social.
Cerca de 700 trabalhadores das S.S.tutelado por um ministro CDS estão em vias de ir para o despedimento encapotado conhecido por requalificação.
O governo, segundo notícias vai argumentar "interesse nacional" para mandar os trabalhadores para a requalificação.
Só um governo sem sensibilidade social é pode argumentar desta forma.
Esperamos que o tribunal julgue com justiça e que a justiça seja a favor dos trabalhadores que é o que toda a gente espera.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:57

Pág. 1/4




Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D