Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LIBERDADE E BEM ESTAR

LIBERDADE E BEM ESTAR

Governo fez pressão sobre alemães

23.02.15, uon

Segundo a imprensa grega e alemâ reproduz nas suas páginas diz que o governo português fez pressão sobre o governo alemão para que este não fosse flexível em relação as pretensões gregas.

Esta atitude só revela que a solidariedade entre europeus é uma farsa, nós já sabíamos a muito que a união europeia não existe é meramente um clube de ricos e pobres, em que os ricos fazem os pobres mais pobres.

Nem com as propostas folclóricas do governo grego a direita europeia lá vai.

Este aparente cedência do governo grego poderá abrir brechas na coligação siriza e é bem provável que este governo não vá durar muito e caia antes do tempo.

A Grécia, Portugal, Espanha, etc não teem condições para estar na CEE/UE e muito menos no euro.

A saída da CEE é a única alternativa pelo menos enquanto a UE estiver organizada deste modo em que os países ricos (Alemanha) mandam neste clube.

Repressão na Bielorússia

23.02.15, uon

bielorrussia-chamado-internacion-1

O quarto mandato presidencial de Alexander Lukashenko irá terminar em 2015. Em 21 anos Lukashenko conseguiu suprimir quase todas as lutas sociais no país, matar vários opositores políticos nos anos 90, e erradicar quase toda a oposição oficial.

Lukashenko não permitiu a sociedade bielorrussa ultrapassar os limites da mentalidade soviética. Qualquer queixa ou crítica ao governo é respondida com repressão policial ou pela KGB. Qualquer tentativa de organização enfrenta perseguição e histeria por parte do Estado. A política do governo pode ser resumida da seguinte forma: “Tudo o que não se pode controlar deve ser destruído”. Neste momento, o Estado bielorrusso vai lenta mas inexoravelmente exterminando qualquer desobediência ou pensamento crítico.

Com as eleições planejadas para novembro deste ano, a pressão sobre os movimentos sociais está crescendo. As autoridades temem que um cenário como o ucraniano possa ocorrer na Bielorrússia e fazem tudo o que podem para combater “xs extremistas”: ou seja, todas as pessoas que reivindicam a mudança do regime atual.

Nos últimos dois meses, 10 pessoas conectadas ao movimento anarquista foram presas. Oito delas permaneceram encarceradas de 10 a 25 dias através de acusações falsas de resistência à polícia e ganguismo. Duas delas foram presas antes, em dezembro de 2014, e passaram de 5 a 10 dias na prisão, sendo despedidas logo em seguida de seus trabalhos. Desta vez, foram presas por mais alguns dias logo após terem encontrado um novo emprego. Ativistas acreditam na relação das prisões com as ações solidárias contra a brutalidade policial em um concerto punk de Ano Novo. A polícia invadiu o concerto, fez uma lista de todxs presentes e filmagens. Duas pessoas foram presas durante o evento por distribuição de materiais “extremistas”. Depois disso, todos na lista começaram a receber visitas da polícia que apresentou notificações oficiais exigindo o fim de suas atividades “extremistas”. Há também ameaças frequentes nas redes sociais por parte de pessoas obviamente associadas à polícia.

Em novembro de 2014 as autoridades da prisão abriram outra causa criminal contra Mikalai Dziadok, que está cumprindo 4 anos e meio de condenação em função da repressão de 2010. Desta vez o acusam de violação severa das normas da prisão. Durante os 4 anos de prisão Mikalai esteve muitas vezes na solitária porque as autoridades tentaram deste modo pressioná-lo para abalar sua vontade. Agora, Mikalai, que seria posto em liberdade em março deste ano, enfrenta acusações que podem o manter preso mais um ano. Familiares e amigxs não têm dúvidas de que o juízo é a mesma tática utilizada contra um dos ativistas conservadores da oposição. Portanto, o governo poderá manter Mikalai preso durante as próximas eleições.

Além disso, o anarquista Ihar Alinevich, que cumpre 8 anos de condenação por uma ação de solidariedade com antifascistas russos foi enviado a cela de castigo mais uma vez – a quinta vez nos últimos 4 meses.

Durante a campanha eleitoral em 2010 dezenas de anarquistas e mais tarde também ativistas da oposição, sofreram detenções e prisões. Mais de 50 pessoas terminaram presas por questões políticas incluindo 5 anarquistas. Três deles ainda estão na prisão. Sem dúvidas o governo está se preparando e tentará silenciar qualquer dissidência por qualquer meio. Nestes dias, a maioria de nós está a espera de mais repressão.

Por isso, pedimos a todxs que estão nos lendo a tomar as ruas no período de 25 de fevereiro ao 1º de março e organizar ações solidárias com xs anarquistas e ativistas sociais da Bielorrússia na sua luta por um mundo justo e contra a ditadura. É sua decisão que tipo de ações irá tomar, mas cabe a nós mencionar duas ações solidárias em Minsk, onde militantes mostraram seu cu causando interesse genuíno da sociedade e muita raiva dos policiais. Por isso acreditamos que é o momento de mostrar o cu para as autoridades e tomar o controle de nossa vida.

Por uma sociedade livre.

Contra a ditadura e a opressão.

Cruz Negra Anarquista Bielorrussa

Tradução > Yanumaka

agência de notícias anarquistas-ana

Sócrates governou como um ditador

20.02.15, uon

PSócrates faz hoje 10 anos que ganhou com maioria absoluta que ninguém tinha conseguido.

Sócrates antes promoveu um programa "Novas Fronteiras" tão absurdo quanto estúpido que iria reunir contributos da sociedade civil para um programa eleitoral.

Quando a Europa tina abolido as fronteiras, as mesmas voltavam com PSócrates.

PSócrates governou quase como um ditador SS e tornou-se um cagão.

Tornou-se autocrático obsessivo e teimoso e dono da razão.

Governou contra os trabalhadores estatais como eles fossem os culpados de tudo isto, retirando muitas regalias  económicas-sociais conquistadas.

Governou também contra os trabalhadores do privado com novas leis do trabalho saúde, educação mais restritivas e pró-patronais, como se os trabalhadores que tudo produzem fossem os maus da fita.

Realizou muitas obras de fachada que não eram necessárias e entregou-nos nas mãos da troika que ainda hoje estamos a sofrer com este governo de Passos e Portas que foram mais papistas que o papa.

Lançou na miséria milhares de pessoas e milhares desempregados tal como este governo.

Temos uma saúde que mata o doente, manda o trabalhador para o desemprego e destrói a educação e reprime movimentos sociais e utiliza a máxima punitiva.

PSócrates tal como este governo precisam ser julgados como criminosos económicos-sociais.

 

 

Só 28% lutaria por Portugal

19.02.15, uon

Segundo sondagem em Portugal está entre os 13 países onde menos pessoas disseram que sim, 28%, com outros 47% a indicarem que não lutariam pelo País. Os restantes 24% não responderam à questão.

Mesmo assim ainda está um bocado alta a fasquia de lutadores pela pátria.

Ninguém quer mexer uma palha pela pátria só um idiota o fazia.

Também se impõe perguntar lutar por quê, por quem, e contra quem.

Os portugueses acham que não tem nada a defender nem dinheiro, nem saúde, nem educação, nem trabalho, neste rectangulozinho.

O espírito militante está muito baixo. Nem partidos, nem sindicatos nem o governo, nem a igreja católica, nem para votar consegue mobilizar para as sua causas.O mal é geral.

O estado em caso de guerra teria de forçar a mobilização de soldados e muitos desertariam como fazem os ucranianos que não querem ser mobilizados para uma guerra onde não tem nada a defender.

No extremo oposto temos o Japão, onde apenas 11% dos inquiridos estariam dispostos a lutar pelo seu país em caso de guerra, e quatro países europeus, Holanda (15%), Alemanha (18%), Bélgica (19%) e Itália (20%).

Pelas percentagens dos países mais desenvolvidos se verifica o seu povo também não pegava numa arma para defender o país.

Só em Fiji, Marrocos, Paquistão, Vietname ou Bangladesh mais de 85% dos habitantes responderam afirmativamente à pergunta.

Neste países que são apelidados de subdesenvolvidos é que a percentagem é muito alta.

Aqui as pessoas vivem mal e não tem nada a perder mas fica à dúvida se pegariam numa arma militantemente para defender o país.

 

 

Pessoa avaliou mal Salazar

18.02.15, uon

Fernando Pessoa, no último ano de vida, em 1935, acusou Salazar de ter afastado de si "o resto da inteligência portuguesa"

Pessoa avaliou mal Salazar se calhar por omissão.

Salazar era um provinciano um borra-botas e a sua governação só podia dar raia de 48 anos de fascismo dominado pela PIDE.

Salazar foi dos piores governantes que Portugal teve, estando ao nível dos governantes (reis) da idade média e da inquisição católica.

Mas os actuais governantes "democráticos" também se inspiram no modelo de salazar e da inquisição: austeridade,  repressão, punição, injustiça, insolidariedade, insanidade, inducação, exploração, enriquecimento sem nada fazerem.

 

 

Analisando a faixa da casa viva

18.02.15, uon

casa viva

A faixa que estava dependurada na casa viva foi roubada.

Os seus membros foram apresentar queixa à esquadra mais próxima e foi-lhes dito que a faixa tina sido retirada pela polícia por que ofendia a corporação.

Ou seja ficaram a saber que era o ladrão e não podiam fazer nada.

 A polícia não rouba, retira em nome da lei e não há maneira de apresentar queixa contra a policia por que não há nenhuma entidade por cima dela.

Analisando a faixa e os seus dizeres:

"A bófia invade e brutaliza": o termo "bófia" é pejorativo ou negativo de polícia.

É como o termo "anarca" que é negativo ou pejorativo de anarquista mas não se sabe se no seio anárquico  se tem carga negativa.

Pode haver polícias que gostem do termo "bófia" que até lhes pode dar adrenalina no seu trabalho de repressão.

"A imprensa inverte a situação": A imprensa do regime é muito hábil em tornar o sim em não e o não em sim.

"O estado criminaliza": não é novidade para ninguém que o estado refugia-se no seu aparelho repressivo:policias, tribunais e juízes para promover status quo de repressão tendo como objectivo a punição.

"A sociedade engole e silencia": o povo não percebe da poda e não consegue ver que está a ser maltratada explorada pelos seus "amigos".

O povo como não tem cabeça até pensa que os seus repressores até os ajudam quando precisam mas também fazem  o seu contrário.

 

CEE/UE não respeita o povo grego

16.02.15, uon

"Sinto muito pelos gregos. Elegeram um governo que de momento se comporta de maneira bastante irresponsável", disse Wolfgang Schauble ministro das finanças de Merkel.

Um ministro que tem uma frase destas só pode ser irresponsável e não respeita o povo grego.

Se os gregos não chegarem à acordo com a CEE/UE, só tem de fazem uma coisa:sair do euro.

Se há 10 países fora do euro, incluindo a Gran-Bretanha por que não mais um.

Os países da europa foram metidos no euro/CEE/UE forçados.

Não houve um referendo mínimo para pedir a palavra aos eleitores europeus se são a favor ou contra e o resultado está a vista, só podia dar raia.

Não é que os referendos sejam uma prova de democracia, mas quem acredita na democracia era o mínimo que se podia exigir.

Governantes foram autoritários aliás eles são assim em matéria de leis impõem mesmo que o povo esteja contra.