Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LIBERDADE E BEM ESTAR

LIBERDADE E BEM ESTAR

Bastonario dos enfermeiros diz há pessoas que chegam as urgências com fome

05.02.15, uon

Em que estado chegam hoje as pessoas às urgências?

É dramático olhar para as pessoas que chegam aos serviços de urgência com uma situação clínica grave, desnutridas. Têm fome. Não se alimentam e não é por falta de informação, é por falta de recursos. Ficam internadas quatro ou cinco dias, reequilibram-se, e no momento da alta dizem que nem vale a pena passar receita. E mais dramático ainda é que no serviço ao lado, a urgência pediátrica, as crianças também chegam com fome. Isto cria uma pressão muito grande nos serviços de saúde, que são como que a última linha de resposta nestas circunstâncias de crise financeira e social.

http://www.ionline.pt/artigos/portugal/alexandre-tomas-ao-i-ha-pessoas-chegar-desnutridas-urgencias-criancas-fome/pag/-1

 

O Bastonário dos enfermeiros diz que há adultos e crianças que chegam as urgências subnutridas por não tem dinheiro para se alimentar.

Se os adultos não tem dinheiro para alimentar muito menos podem dar aos filhos alimentação e vestuário, etc.

Esta situação só pode derivar da governação deste governo e da crise desempregados e trabalhadores que origina falta de condições básicas nas famílias.

A política do corte aqui e ali está a deixar maus resultados para os trabalhadores e suas famílias que são os principais prejudicados.

 

 

 

História do Movimento Libertário

05.02.15, uon

12 (2)

https://colectivolibertarioevora.wordpress.com/

18 de Janeiro de 1934

18 de Janeiro em Almada: http://largodamemoria.blogspot.pt/2007/01/o-18-de-janeiro-em-almada.html

18 de Janeiro em Coimbra:  http://irenepimentel.blogspot.pt/2010/04/o-18-de-janeiro-de-1934-em-coimbra.html

80 anos do 18 de Janeiro de 1934/Textos essenciais

Depoimento ColectivoComo a verdade ressalta”

Irene Pimentel: 18 de Janeiro de 1934

Maria de Fátima Patriarca: O «18 de Janeiro»: uma proposta de releitura

NOTA DA CGT SOBRE O 18 DE JANEIRO DE 1934 

Paulo Guimarães – Cercados e Perseguidos: a Confederação Geral doTrabalho (CGT) nos últimos anos do sindicalismo revolucionário em Portugal (1926-1938)

Expressões anarquistas no Portugal de hoje

HELENA DE SOUSA FREITAS – A expressão anarquista nas paredes de Setúbal: o cavalo de batalha de Tróia

João Freire,_Joao_Freire_-_1974-1984,_Evocacão_ou_Renovacão_da_Ideia_Anarquista, in Revista Crítica das Ciênciais Sociais, Nº15/16/17, Coimbra, 1985

José Nuno Matos  Anarquismo em Portugal: 1974–1990, uma breve abordagem

Movimento anarquista e anarcosindicalista em Portugal 

Catálogo da Exposição Virtual  “As Ferramentas para a Emancipação” – (Arquivo Histórico Social/Museu)

 Cláudia Alexandra Gonçalves Figueiredo Arte, Redenção e Transformação: a experiência da Sociedade Teatro Livre (1902-1908)

Edgar RodriguesOs motivos que originaram a história da F.A.I. (1)

e.m.  A CGT e a luta pela conquista e manutenção das 8 horas de trabalho

Gaspar Martins Pereira e Maria João CastroDo Corporativismo ao Anarcosindicalismo

Joana Dias Pereira SINDICALISMO REVOLUCIONÁRIO – A  HISTÓRIA DE UMA IDÉA

 João Freire – As Juventudes Sindicalistas em Portugal – um movimento singular 

João Freire/Alexandra Lousada  O neomalthusianismo na propaganda libertária

João Madeira Anarquistas no dealbar de Novecentos: O despertar dos famintos

João VasconceloO MOVIMENTO OPERÁRIO ALGARVIO NOS FINAIS DA I REPÚBLICA

José Tavares  Apontamentos sobre os anarquistas e a guerra

Luís Salgado de Matos – Entrevista com Emidio Santana (1971) – Lisboa, 1920—vida sindical e condição operária

Manifesto de sindicalistas presos no Limoeiro sobre o PCP (1922)

Manuel Carvalho Ferreira da CruzO Movimento Libertário Portuense à luz do periódico A Aurora : (1910-1919)

Paulo GuimarãesA questão operária na I República

Pier Francesco Zarcone O Anarquismo na História de Portugal

R. Pereira –  A CGT portuguesa e a fundação da Associação Internacional dos Trabalhadores

Revista Alambique – A Comuna de Albarraque

União Anarquista Portuguesa. Eleições Para Quê? (folheto dos anos 20)

Outros textos/Trabalhos Académicos

A Comuna de Paris segundo Louise Michel

Conjunto de teses académicas brasileiras sobre o anarquismo – Biblioteca Terra Livre

Alexandre Samis – A ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DOS TRABALHADORES E A CONFORMAÇÃO DA TRADIÇÃO LIBERTÁRIA

António Baião – A Sustentável Leveza do Estado: Caminhando entre a Anarquia e a Minarquia

Edgar Rodrigues  – Os motivos que originaram a história da F.A.I.

FELIPE CORRÊA PEDRO – Rediscutindo o anarquismo: uma abordagem teórica

LUANA APARECIDA MORAES – EDUCAÇÃO ANARQUISTA: CONTRIBUIÇÕES PARA A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR E UMA EDUCAÇÃO AUTÊNTICA

Thiago Lemos SilvaFragmentos biográficos de um anarquista na Porta da Europa a escrita cronística como escrita de si em Neno Vasco

Afinal o que é ser terrorista?

04.02.15, uon

Governo fez reunir o Conselho Superior de Segurança Interna, e decretou que viajar para o estrangeiro com a intenção de integrar uma organização terrorista vai passar a ser crime, assim como fazer a apologia pública do terrorismo.

Para nós Ir reunir com os membros da CEE/NATO(EUA também é terrorismo de elevado índice.

Para o Estado tudo o que seja contra o próprio estado é considerado terrorismo, até abrir a boca e dizer que o estado é terrorista é crime, mas isso o estado não se livra.

A actuação do estado dentro de portas é considerada terrorista quando é o próprio estado a não cumprir as sua obrigações para com os doentes que morrem nos corredores dos hospitais, nega medicação aos doentes de hepatite C, despede trabalhadores da segurança social, rouba salários aos trabalhadores FP, nega condições de trabalho, aumenta impostos, não fiscaliza os bancos, etc, etc, etc..

O estado é terrorista seja ele português, islâmico, americano, francês, americano, alemão, espanhol. chinês, russo.

Enquanto uns decapitam outros matam lentamente como estivéssemos no Tarrafal ou rapidamente se for caso disso.

 

 

 

Um país entra para a CEE e depois tem de ficar eternamente

03.02.15, uon

Segundo a imprensa o discurso do Siriza já começou a mudar perante as dificuldades que os parceiros europeus lhes estão a cometer.

Os parceiros europeus tem mau perder.Como não conseguiram mudar a intenção de voto dos gregos, agora passam a segunda fase, que as dificuldades económicas.

O governo do Siriza quer negociar a dívida com os países europeus, mas os governos estão impor barreiras no caminho.

Os gregos se não conseguirem um acordo com os mandões da Europa, só tem de fazer uma coisa: sair do euro numa primeira fase, se as dificuldades continuarem saiem da CEE e se continuarem saiem da Nato e pronto.

Um país entra para a CEE e depois tem de ficar eternamente.

Onde está a democracia.

 

 

 

 

 

Pelo fecho do eixo central da av. da Liberdade por questões ambientais

02.02.15, uon

Mais de duas centenas de carros com matrículas anteriores a 2000 entraram ontem na Baixa de Lisboa em marcha lenta para protestar contra a decisão da Câmara de restringir a circulação automóvel na avenida da Liberdade e Baixa.

A câmara argumenta a decisão por razões ambientais.

Há estudos que dizem haver relação entre a poluição e mortes de milhares de pessoas.

Toda a gente (pensamos nós) está decidida a não circular na baixa por questões de saúde.

A Câmara até pode fazer um referendo local, ou não, para saber se os lisboetas são a favor ou contra do fecho do eixo central da Av. Liberdade, por onde passam milhares de automóveis todos os dias que mais parece uma auto-estrada.

As laterais continuavam com transito de transportes públicos (carris, táxis e prioritários).

As duas vias de atravessamento a Rua Alexandre Herculano e a Rua das Pretas /Praça Alegria subiam ou desciam consoante a direcção ou pura e simplesmente fechavam.

 

 

E se se deixassem de joguinhos...

02.02.15, uon

E se se deixassem de joguinhos, e eliminassem todas as liberdades e direitos dos cidadãos, logo de uma vez?! Implantem logo de uma vez lei marcial, microchipem a população e racionem a alimentação, já que é esse o destino... O povinho não precisa de ser amedrontado com estas histórias. Já anda suficientemente apático para lutar por qualquer coisa que seja...(RR)

Este leitor da (RR) dá uma pista do que os organismos europeus querem fazer.

Aos poucos a Liberdade vai ficar uma coisa muito pequenina que ninguém vai dar por ela.

Os governo querem a pretexto do terrorismo querem alterar as leis que ficam cada vez mais reaccionárias e fascistas, mas agora a Grécia vai ser uma enorme dor de cabeça para os senhores que mandam na Europa e o pior pode estar para vir se o "Podemos" ganhar as eleições em Espanha.

O que é eles vão fazer à Grécia é derrota-la com a chantagem do dinheiro e se os gregos forem espertos saiem do euro e da Nato e está o assunto resolvido.

Mas se os gregos saírem do euro/CEE e da Nato só lhes resta  (aos senhores da CEE) pôr os coronéis outra vez com um golpe de estado.

 

 

Pág. 5/5