Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LIBERDADE E BEM ESTAR

LIBERDADE E BEM ESTAR

CNE analisa "morte ao fascismo"

24.09.15, uon

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) pode analisar já hoje se há motivos para suspender os tempos de antena do PCTP/MRPP por eventuais excessos de linguagem que podem configurar um apelo à violência.

Pois é, também o povo e os trabalhador são vítimas de violência por parte das instituições do estado:policias e fisco e ninguém manda suspender esta campanha contra os roubo nos salários, feriados, férias e imposição de impostos e nem a constituição da república é cumprida por parte dos órgãos de estado.

Neste sentido a CNE não pode suspender os tempos de antena, por que morte ao fascismo ou morte ao estado é trivial e está dentro dos parâmetros da liberdade de expressão que o regime democrático da treta tem de admitir.

 

MRPP suspende "morte aos traidores"

24.09.15, uon
 
 

"O Comité Central do Partido e a Candidatura Nacional do PCTP/MRPP vêm comunicar que a palavra de ordem morte aos traidores foi suspensa da campanha eleitoral em curso", lê-se num comunicado enviado às redacções.

Segundo o MRPP pode ser considerado um apelo á violência.

Todos os dias o povo,  os trabalhadores são objecto de violência por parte do Estado e das suas instituições de repressão.

O MRPP mais uma vez não vai eleger ninguém.

A frase "morte aos traidores" se calhar para uma grande maioria do votantes era apoiada.

Os traidores (governo (s) e instituições associadas)  que meteram este rectângulo no caos e na miséria enquanto uns quantos vivem na opulência não teriam outro destino.

Os traidores podem mais uma vez estar descansados que ainda não é desta que morrem.

Évora) Como um jovem de 12 anos interpelou uma professora ignorante numa aula de História

24.09.15, uon

pedagogia libertaria9

Os anarquistas sempre consideraram a educação como um instrumento fundamental para a libertação individual e colectiva do ser humano, em contraponto com a escola considerada como um lugar de reprodução dos saberes e dos valores do sistema capitalista e autoritário que diariamente combatemos.

Nada mais esperamos da escola, enquanto instituição autoritária e reprodutora do sistema social em que estamos inseridos, do que uma mera transmissão de conhecimentos, muitos deles, é verdade, totalmente inúteis ou completamente desactualizados. A escola ensina o passado às gerações que vão construir o futuro.

Apesar disso, todos os anos, muitos milhões de jovens estudantes ingressam nas escolas, num sistema de ensino que, na maior parte dos países desenvolvidos, se foi tornando obrigatório.

 

Se não se espera muito da escola nem dos professores (tirando alguns casos isolados de útil transmissão de saberes e conhecimentos), espera-se que, no mínimo, o corpo docente tenha alguma preparação para não ser apenas a “voz do dono” – que regra geral é – e que saiba articular alguns conceitos e ideias com um mínimo de correcção.

Muitas vezes não é isso que acontece. E um desses casos passou-se hoje numa das escolas de Évora, numa turma de 7º ano, com a generalidade dos alunos na casa dos 12 anos.

A professora de História do alto da sua “sabedoria”, e falando de regimes políticos, disse, a certa altura, que em todos os sistemas políticos conhecidos havia sempre “alguém que mandava nos outros”.

Um dos alunos, habituado a ouvir falar das ideias libertárias e conhecedor do tema, depressa interrompeu a “mestra” e disse que não era bem assim – que “o anarquismo assentava na igualdade entre todos e que, por isso, não havia uns a mandarem nos outros”.  Respondeu a professora: “isso é a selva, é não haver ordem, se um anarquista quiser corta o braço doutra pessoa e não lhe acontece nada. Isso é o anarquismo…”

O jovem estudante não desarmou e disse: “ó professora, não é assim. Os anarquistas defendem a cooperação e as cooperativas…”.

Mas para a docente, caminhando ainda mais pela vereda da ignorância, “as cooperativas foram criadas pelos socialistas, não tendo os anarquistas nada a ver com isso…”, esquecendo anos e anos de trabalho e labor cooperativos levados a cabo por dezenas de milhar de trabalhadores anarquistas, também eles socialistas, mas libertários.

A conversa terá ficado por aqui. Mas, perante todos, ficou evidente que logo no primeiro dia de aulas um jovem de 12 anos conseguiu pôr em sentido uma professora (de História!!!) inculta e arrogante, cuja ignorância ficou bem demonstrada. E, talvez, este jovem aluno lhe possa e deva dar algumas “lições”, a ela professora, durante o ano que agora começa. Pelos vistos, bem precisa. E poderia começar por lhe explicar que as bases essenciais do anarquismo são a igualdade, a solidariedade e a ordem sem autoridade. Tudo muito longe e diferente do que se vive na selva capitalista de que esta professora, no campo das ideias, é tão servil reprodutora.

https://colectivolibertarioevora.wordpress.com/2015/09/23/evora-como-um-jovem-de-12-anos-interpelou-uma-professora-ignorante-numa-aula-de-historia/#more-9888

 

Então,  e a professora não mandou chamar a polícia para dar ao aluno sabichão um correctivo autoritário.

Temos um ensino à crato ou à mário nogueira é só escolher qual deles o melhor em que os professores no meio deste filme querem ter autoridade.

Por isso é que muitos alunos se revoltam contra o ensino autoritário.

Momentos eleitorais

23.09.15, uon

Após o comício da CDU no Coliseu dos Recreios, um grupo de "cabeças-rapadas" agrediu apoiantes após alguém lhes chamar "fascistas".

O agredido foi parar ao hospital em estado grave.

A polícia sé investiga se houver queixa e se o homem morrer não investiga.

Se a polícia não investiga qual é a sua função na sociedade:matar, bater, prender já sabemos.

O MRPP não sua campanha televisiva lança o slogan " morte aos traidores".

Não sabemos como é que um estado todo moralista, justiceiro e reaccionário  admite semelhante coisa.

Quem serão os traidores: o governo, o cavaco, o pnr, etc. etc. ou todos ao mesmo tempo.

O pnr quer acabar com a "luta de classes" com se fossemos todos irmãos.

Não poder ser, até entre irmãos à luta de classes.

A luta de classes está para durar enquanto houver exploração e injustiças laborais e sociais.

No "avante" os "voluntários" arreiam nos visitantes é a luta de classes.

Apraz registar que o PAN reclama 30 horas de trabalho semanais não se sabendo se por oportunismo eleitoral ou por outra razão qualquer.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Orçamento do governo tem de ser recusado

19.09.15, uon

Resultado de imagem para foto de eleições

 

Concorda com a posição anunciada por António Costa de que se não ganhar chumbará um orçamento da coligação?

Os orçamentos do governo tem sido restritivos ao longo de 4 anos de governação da coligação que deixaram um rastro de fome miséria na casas de muitos trabalhadores e como tal tem de ser chumbado.

Se os votantes naquele momento solitário derem uma hipotética vitória à direita o orçamento não será muito diferente dos anteriores e os votantes e não votantes vão sofrer as consequencias desse voto, fruto da má escolha dos votantes.

Por isso pelo sim pelo não, os votantes não se devem permitir ao momento solitário que pode ser muito prejudicial para si e para os demais.

Que alianças pós eleições

18.09.15, uon

Jerónimo de Sousa: "Não darei um cheque em branco ao PS".

A história diz-nos que a nível sindical o braço armado do PCP a CGTP tem feito acordos muito lesivos dos trabalhadores com os patrões e com os governos, mas a socapa, de maneira que os trabalhadores não topem.

Também a nível autarquias (Juntas e Câmaras) o PCP tem feito muitas alianças não com o PS, com o PSD onde o PCP não tenha maioria ou onde o PSD também não tenha maioria, junta-se para governarem essas autarquias.

Portanto é muito mais fácil o PCP junta-se à direita PSD/CDS do que com o PS e vice-versa.

Tanto o PS como o PCP são partidos casmurros e concorrentes entre si já desde 1974.

Já o Bloco está a entrar no mesmo esquema do PCP.

PS nem morto.

Isto é um tudo um jogo político uns critica-se e aliam-se quando necessário, outros andam uma vida inteira a degladiarem-se.

O povo come por acrescento.

O debate entre Passos e Costa

17.09.15, uon

O debate entre Passos e Costa tem a particularidade de terem vencido os dois e quem perdeu foram os votantes.

Concordam que não excluem a intervenção militar contra o estado islâmico no quadro da Nato o que pode enfurecer os terroristas do EI e ficarmos na mira desse grupo.

O estado islâmico tem de ser combatido pelo próprio povo do Iraque Síria, Líbia, etc e nunca com uma intervenção militar da Nato que já deu os resultados que deu.

Este debate não é um debate é um confronto entre facções do PSD/CDS contra a outra facção do PS e quem perde é todo o povo que no dia do voto vota nestas facções.

Um debate pressupõe uma uma tomada decisão sobre um ou vários problemas e no final há um consenso para resolver esses mesmos problemas.

Neste debate houve vários temas mas qual resolve á sua maneira pensando que essa ideia é a melhor, ficando os restantes fora da discussão e da decisão que é o que vai acontecer no dia 4 de Outubro, governando a seu bel-prazer quem tem mais votos.

Os políticos não tem solução para os problemas:desemprego, segurança social, trabalho, educação, saúde justiça, etc antes os adiam ou por outro lado os agudizam que é o tem acontecido.

Portanto votar nestes ou em outros é a mesma coisa que adiar este grande problema que se chama Portugal que é onde estamos.

 

 

Currículo deste governo é bastante negro.

16.09.15, uon

Passos acusa Costa de ter aberto a porta à Troika em 2011, mas ambos são responsáveis por essa abertura.

O PSD e o CDS assinaram as medidas da troika e ainda ultrapassaram as metas da troika.

Sócrates fez uma governação de terra queimada com o seu governo, mas não podemos estar a passar as culpas para o vizinho do lado, quando este governo é responsável directo pela continuação da actual governação de terra queimada.

Fazer pior que Sócrates era difícil, embora este governo tenha feitas algumas melhorias, mas nível laboral social e económico continuou e fez ainda pior.

Pacote laboral mais reaccionário onde os trabalhadores foram os principais prejudicados e os patrões beneficiados, menos feriados, menos salários, menos reformas, aumento de idade reforma, mais desempregados, mais emigração, aumentos nem ve-los ao nível do estado, menos funcionários no estado e autarquias etc, etc.

O currículo deste governo é bastante negro.