Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LUTA ENTRE CLASSES

LUTA ENTRE CLASSES

Os consensos de Marcelo

29.04.16, uon

Projeto de resolução do Bloco sobre o encerramento da central nuclear de Almaraz (Espanha) foi aprovado com os votos favoráveis do PS, PCP, PEV e PAN. CDS absteve-se, só o PSD votou contra.

Nestas e noutras questões é que são necessários consensos que o Marcelo fala, por exemplo:30 horas semanais de trabalho, reforma aos 40 anos de serviço sem redução salarial.

Senhor Marcelo diga ao seu partido para consensuar com o PS, PCP, PEV, PAN e CDS.

A gente sabe a que consensos é que o Marcelo se refere: Explorar o trabalhador com gastos de 142 milhões de euros no Parlamento e mais 18 milhões de Belém vindos nossos impostos impostos.

 

 

Padre suspende trabalhadora por recusa de trabalho aos domingo

29.04.16, uon

Auxiliar de Centro Social e Paroquial da Póvoa do Varzim diz que chegou a ser suspensa e agora foi impedida de entrar nas instalações, por ter recusado trabalhar ao domingo e neste momento não recebe ordenado desde Agosto.

O mais caricato da questão é que o chefe desta instituição é padre.

Diz esta trabalhadora que chamou a PSP, mas a noticia não revela o que a mesma fez.

Avança-se aqui os possíveis papéis da PSP em relação a este caso;

Mandou a instituição abrir as portas à trabalhadora?

Impediu a mesma de trabalhar?

Prendeu o padre por não respeitar a lei? etc.

Os padres sempre desejosos de "ajudar" os pobrezinhos e carenciados quando chega a vez dos trabalhadores dizem não.

Aqui está a verdadeira face destes pecadores da máfia da igreja católica.

JS defende o reconhecimento e a legalização do trabalho sexual em Portugal.

27.04.16, uon

A juventude socialista defende o reconhecimento e a legalização do trabalho sexual em Portugal.

A prostituição feminina ou masculina como mais antiga profissão do mundo é acima de tudo um meio de subsistência dos seus componentes.

Quem não consegue arranjar trabalho geralmente tem como alternativa os serviços de sexo e como tal deve semi-legalizada.

Quem faz dessa profissão uma actividade permanente pode registar-se na segurança social, etc. e ter direitos sociais e laborais e evitar a chulice.

Esta profissão devia de ser acompanhada por médicos e serviços de saúde mensalmente para evitar doenças sexualmente transmissíveis e  em particular a SIDA para prevenção de quem exerce a profissão e o cliente.

Quem a alterna com outras profissões deve poder exercer a actividade sem registo na SS mas com acompanhamento médico mensal.

A mais antiga profissão é mal vista moralmente pelas religiões, mas também pelos moralistas da sociedade que vêem mal em tudo.

Esta profissão esta regulamentada em alguns países pelo estado onde prevê alguns direitos, protecção e segurança.

Na secção da www.iww.org dos Estados Unidos existe uma secção de trabalhadoras do sexo.

Bloco libertário desfilou na avenida da Liberdade

26.04.16, uon

Conforme estava combinado um bloco libertário constituído por membros da Iniciativa Libertária novel grupo, AIT/SP e um grupo de jovens libertários desfilou pela avenida da Liberdade, em Lisboa sem que tivessem havido incidentes.

Foram gritadas diversas palavras palavras de ordem contra o sistema, o estado e o patrão.

Na avenida compareceram milhares de pessoas  para comemorar Abril de 1974 e aquilo que ele representou para alegria do povo português que estava ausente de liberdade.

As principais conquistas foram  a extinção da PIDE, fim da guerra colonial, revolução popular com ocupações de terras, empresas e casas, melhoria do nível de vida, etc.

Embora este Abril esteja cada vez mais em perigo a adesão do povo continua grande embora agora estejamos a ser enganados por novos protagonistas  e novas manhas para nos explorar mas o objectivo deles é o mesmo, fazer um povo dócil que não meta em causa o sistema de governação seja ele de esquerda ou direita.

 

 

 

Greves com este governo diminuíram

22.04.16, uon

No primeiro trimestre do ano, com um Governo apoiado nos partidos da esquerda, registaram-se 105 pré-avisos de greve, o número mais baixo desde, pelo menos, 2012, revelam dados do Ministério do Trabalho.

As greves diminuíram por que o PCP e o BE agora "apoiam" o governo e como tal a conflitualidade laboral também vai diminuir por que os chefes da CGTP e da UGT assim o querem.
Não quer dizer com isto que os problemas dos trabalhadores tenham diminuído.
Os problemas (despedimentos, precariedade baixos salários exploração, etc) existem e vão continuar até que os trabalhadores se unam e façam novos anarco-sindicatos sem o controlo dos partidos e defendam os interesses de classe.
Toda a gente sabe que a INTER e UGT servem os partidos PCP/BE/PS/PSD e estão feitos com os governos mas ninguém faz nada para sair deste marasmo.
Toda a gente comenta mas ninguém age.

UM PAIS SEM EIRA NEM BEIRA

21.04.16, uon

Costa reúne 13 entidades públicas e privadas de referência para dar o pontapé de saída no programa Indústria 4.0.

DERAM CABO DAS EMPRESAS INDUSTRIAIS:SOREFAME, LISNAVE COMETNA, QUIMIGAL, CNN, CTM, ETC AGORA LEMBRAM-SE DE REGRESSAR A INDUSTRIA.
A PAR DISSO DERAM CABO DA REFORMA AGRÁRIA QUE DAVA TRABALHO A MILHARES DE PESSOAS.
ENQUANTO FAZEM ESTAS REFORMAS METEM ALGUM AO BOLSO E PAGA CONTRIBUINTE.
É UM PAIS SEM EIRA NEM BEIRA E DE POLÍTICAS E POLÍTICOS DA TRETA.

A deserção militar é um acto nobre e inteligente

21.04.16, uon

https://www.publico.pt/sociedade/noticia/eu-fui-desertor-digoo-com-todo-o-gosto-1729642

 Fernando Cardoso desertor preside   Associação de Exilados Políticos   fala dos seis meses de recruta num tom cómico, tinha 21 anos. Diz que entendeu aquele período como “formação técnico-profissional de borla, com comida e dormida incluídas". 

"Interessava-me aprender a manusear armas. Aprendi imensa coisa, a orientar-me à noite pelas estrelas, cartografia, a manusear G3. Muito interessante.” A leitura de mapas, por exemplo, foi-lhe útil para passar a fronteira a salto ali na zona de Marvão; o percurso que se seguiu foi feito numa Renault 4L com problemas de embraiagem. 

Já “os sectores de esquerda mais radical defendiam a deserção antes da mobilização”. Organizações de extrema-esquerda — os 22 autores pertenceram à Organização Comunista Marxista Leninista Portuguesa (OCMLP), extinta em 1975 — demarcavam-se do PCP também na forma de recusa à guerra: desertaram antes de irem, mas consideravam que o período de recruta lhes poderia ser útil.

Não era só a instituição militar que via com maus olhos a deserção antes de ir para a guerra — o próprio PCP defendia a deserção, mas já no teatro de guerra. Entendia que os militantes tinham a tarefa de esclarecer os outros soldados e incitá-los a desertar, explica a historiadora do Instituto de História Contemporânea da Universidade de Lisboa, Irene Pimentel, no posfácio do livro. (Público)

A deserção militar  é um acto inteligente (embora para os belicistas um desertor seja considerado um criminoso) de quem não concorda com o sistema e com a guerra a outros povos.

Mas se desertor é um criminoso um guerreiro é um otário por que dá a vida em prol de nada.

Mas a recruta militar pode ser muito útil aos formandos por que permite aprender a manusear as armas e outras coisas nem que seja para defesa pessoal e a orientar-se tal com diz em cima Fernando Cardoso.

Depois de ter o curso a deserção é o caminho e virar a espingarda para quem nos deu a instrução.

Agora em Portugal já ninguém deserta por que SMO foi extinto e a formação está fechada já evitar os desertores.

Mas o SMO está sempre na ordem do dia em caso de guerra de vizinhança ou mundial o governo depressa faz uma lei da mobilização geral para defender o sistema.

 

 

 

Cerimónia de 10 junho é uma fantochada.

20.04.16, uon

Cerimónias do Dia de Portugal com dezenas e dezenas de condecorados têm os dias contados.

Marcelo quer que o critério seja o da realização de feitos excepcionais. 

E que feitos excepcionais são esses?

Esta cerimónia de 10 Junho é uma fantochada.

Pessoas que fazem bicha para receber a medalha é no mínimo escandaloso.
São apreciadas pessoas e colectividades que não mexem uma palha pelo bem estar dos trabalhadores e do povo deste país.
Em contrapartida o trabalhador que produz a riqueza do país é despedido, precarizado, explorado enxovalhado pelas demais classes abastadas cá do burgo.
Não consta que algum trabalhador explorado e ofendido tenha recebido tamanha condecoração será que não merece.
As castas deste país vai desde artistas a patrões, médicos, políticos, etc que já passaram por Belém a receber a medalha.
Esta cerimónia também serve de campanha eleitoral do próprio condecorador.
Todos quantos recebem a medalha nas próximas eleições vão votar e apoiar em quem lhe entregou a medalha.

Não há exércitos invencíeis

19.04.16, uon

Jürgen Todenhöfer, que passou 10 dias com o autodenominado Estado Islâmico, afirma que os combatentes não se intimidam com os EUA ou o Reino Unido.

Segundo este jornalista o EI só se intimida com o exército de Israel.

Israel é um fornecedor tácito e logístico do EI e é muito natural que estes "amigos" se tolerem um ao outro por enquanto.

O exército de Israel é fornecido pelos países ocidentais EUA/Europa e tem um exército mínimo atendendo à sua população.

Pode ter uma força de reserva constituída por uma parte da população (que é obrigatória)  mas não faz dele uma força invencível, por que nada é invencível.

Na última guerra contra o Hesbollan o exército israelita mostrou muitas debilidades e como tal também não consegue derrotar os palestinos da luta por um território.

Os exércitos podem ser derrotados com um dedinho.

 

 
 
 
 

Pág. 1/4