Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Com o 25 de Abril os trabalhadores e as trabalhadoras e o povo português conseguiram alguma expansão económica e social pelo facto de aderirem ás lutas então travadas e que obrigaram os governos a terem em conta as expectativas dos homens e mulheres que dão tudo e nada têm.

O facto de muitas empresas entretanto abandonadas pelos patrões e as nacionalizações verificadas e empreendidas pelo governo trouxeram alguma melhoria das condições politicas e a solidariedade e a intervenção nas lutas sociais media-se bem nas na cara do povo.

Alguns militares  também foram contaminados pela onda popular e aderiram ao movimento popular Otelo, Tomé. Fernandes, Paulino, Dinis, etc  e ajudaram o povo na luta pelo controle de empresas, casas e terras e pela campanha de alfabetização de zonas remotas do país e teve o seu auge na Reforma Agrária com a ocupação de terras abandonados ou não, pelo latifúndio que deram trabalho a muitos milhares de trabalhadores agricolas.

Os militares Eanes, Jaime Neves e o grupo dos Nove, apoiados pelo o PS e Direita e  que eram contra o povo e contra os trabalhadores lançaram a cartada em 25 de Novembro e foram eles o vencedores, o povo não foi capaz de defender o que tinha sido construído.

A partir daí a vida do povo e dos trabalhadores tem estado em plano inclinado e sempre a descer a sua liberdade está nos níveis mínimos.

Sucedem-se as crises economicas e sociais os salários desceram mais de 50 % desde o 25 de Novembro, na saúde fecham maternidades, centos de saúde, taxas moderadoras e o serviço é deficiente.

Há lutas intestinas nas classes corporativas tudo a puxar a brasa à sua sardinha e os trabalhadores que trabalham no duro nunca mais conseguiram pôr em sentido o governo.

Só se houve falar na tv nos médicos, nos advogados, nos juízes e no ministério público e nos mexericos destas classes e na segurança mas o povo com este sistema e com este governo cada vez mais está mais inseguro e os ricos mais seguros.

As centrais sindicais do sistema CGTP/UGT estão vendidas e não ajudam os trabalhadores a defenderem-se da exploração patronal e do código  do trabalho e agora sucedem-se as insolvências (falências) deslocalizações e despedimentos, desemprego, crises financeiras e falcatruas no BCP, BPN e BPP e apoios a quem nos rouba todos os dias (bancos).

Este é um cenário negro que os senhores que nos pedem o voto os mesmos de sempre que puseram isto no estado em que está, querem que legitemos nas próximas eleições e nós todos, os pobres as classes médias são sempre pau para toda a obra e a carne para canhão para pagar todas as crises  e desta vez só podemos fazer como fez o ZÉ Povinho.

Querem votos, tomem lá!!

Neste 25 de Abril e no 1º de Maio não são jornadas de comemoração por que não há nada para comemorar à muito por que lutar pela nossa emancipação económica e social e pela libardade que se ncontra cada vez mais ameaçada.

UM NOVO 25 DE ABRIL É POSSIVEL!!!

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:05




Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D