Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

LIBERDADE E BEM ESTAR

LIBERDADE E BEM ESTAR

Cândida Almeida regressa para cegar a Justiça

26.03.13, uon

Pensávamos nós que o longo reinado de Cândida Almeida tinha terminado. Finalmente a senhora que nos últimos doze anos esteve à frente do DCIAP, saiu sem produzir resultados, sem fazer justiça. Mas já está de volta. A sua eficiência e os seus métodos de (não) fazer justiça, fazem dela um elemento indispensável na justiça, para determinadas pessoas.

Foram muitos anos à frente de um departamento que geriu os grandes processos, que envolvem o poder político e financeiro. Inquéritos como o Freeport, Furacão, Submarinos, Monte Branco e contratos da energia e das Parcerias Público-Privadas estiveram, estão ainda, a seu cargo.

Não é preciso fazer um desenho, basta observarmos alguns dos resultados destes inquéritos, a condução dos mesmo e, mais grave, os desfechos, para percebermos a inutilidade de Cândida Almeida. Estamos a falar de alguém que teve a distinta lata de dizer que "o nosso país não é um país corrupto, os nossos políticos não são políticos corruptos, os nossos dirigentes não são dirigentes corruptos. Portugal não é um país corrupto."
No fundo, a senhora procuradora era paga para combater uma coisa que na cabeça dela nem sequer existia. Como já aqui disse, aos olhos da senhora procuradora a corrupção vinda de Espanha chega ali a Badajoz e dá meia volta, com medo.
Mais, para que precisa a justiça portuguesa de uma pessoa como Cândida Almeida? É fácil: para nada. Mas este "nada" deve dar imenso jeito a quem é corrupto, pois foi e continua a ser invisível.  Adaptado do artigo