Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Esta união é um acordo livre e voluntário, e cada indivíduo ou grupo continuará a trabalhar independentemente para além de estar na união.

Na união, todas as tendências anarquistas, exceto as religiosas, pacifistas e os chamados anarco-capitalistas, tem potencial de se voluntariar.

Todas as pessoas e grupos devem assinar qualquer chamado ou anúncio com o nome da união. Se um acordo coletivo não for atingido, cada indivíduo ou grupo pode assinar o item independentemente com seu nome ou grupo.

No começo da formação da união, o maior nível de cooperação será por meio da assinatura conjunta da União de Anarquistas. Ao longo do tempo, com mais familiaridade entre indivíduos e grupos, existe a possibilidade de expandir o nível de cooperação.

União Anarquista do Afeganistão e Irã inclui os seguintes grupos anarquistas:

Coleção da Era Anarquista (uma comunidade de anarquistas do Irã e Afeganistão dentro e fora do país).

Grupo Anarquista “Aleyh” (situado no Afeganistão).

Frente Revolucionária Anarquista Radical (que está presente no Irã).

PS: A possibilidade de união de novas pessoas e grupos de anarquistas será permanente.

Fonte: http://asranarshism.com/1397/02/30/anarchist-96/

Tradução > Imprensa Marginal

agência de notícias anarquistas-ana

Anarquistas do Irão e Afeganistão resolveram unir-se e criar a"União anarquista" nestes dois estados. Claro está que a luta anarquista no Irão e no Afeganistão será deveras difícil por que os regimes são fascistas religiosos. No Irão existe um clero religioso reaccionário que reprime os trabalhadores/ras, sendo as mulheres as mais prejudicadas com o domínio religioso dos aitolas. No Afeganistão o governo é reaccionário e apoiados pelos americanos e pela Nato.Aparte disso ainda tem os talibans e o estado islâmico que são ainda mais reaccionários e fascistas que querem tomar o poder e instaurar a um regime religioso. Claro está e seja em que regime for (comunista/fascista/religioso ou democrata) a luta será sempre difícil por que estes regimes não querem que as pessoas sejam livres e pratiquem a autogestão como forma de governo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:39




Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D