Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

LIBERDADE E BEM ESTAR

LIBERDADE E BEM ESTAR

Coligação PS/PCP/BE:oportunidade para novas ideias

08.10.15, uon

António Costa encontrou-se ontem com o PCP sobre um futura coligação à esquerda.

PCP apresentou um conjunto de propostas que estão baixo:

 

E deixa as linhas políticas que privilegia:

- a valorização dos salários, designadamente o aumento do Salário Mínimo Nacional para 600 euros no início de 2016, e do valor real das pensões de reforma;

- o combate à precariedade, designadamente com alterações à legislação laboral e a aprovação de um Plano Nacional de Combate à Precariedade;

- a reposição dos direitos na legislação do trabalho, designadamente de valorização da contratação colectiva;

- a reposição dos salários, pensões, feriados e outros direitos cortados, nomeadamente dos complementos de reforma;

- uma política fiscal justa que tribute fortemente os grupos económicos e financeiros e alivie os impostos sobre os trabalhadores, os reformados e pensionistas, os micro, pequenos e médios empresários e o povo;

- o reforço e diversificação do financiamento da Segurança Social e a garantia dos apoios sociais, designadamente do abono de família, subsídio de desemprego e subsídio social de desemprego;

- a contratação de médicos, enfermeiros de família e outros profissionais para o SNS, a reposição do transporte de doentes não urgentes e a eliminação das taxas moderadoras;

- a reversão dos processos de concessão, subconcessão e privatização, designadamente das empresas de transportes;

- a revogação da recente alteração à Lei da Interrupção Voluntária da Gravidez.

Este conjunto de reivindicações nada especiais é um mínimo que se pode apresentar e que até o PS tem dito em campanha eleitoral e fora dela, como a questão das concessões e privatizações dos transportes entre outras.

O PS/Costa se não aceitar esta coligação de esquerda com PCP/BE tem de virar-se para a direita que dá ao PS a presidência da AR o que é muito pouco o resto do governo e é a mesma politica dos últimos 40 anos e Costa vai ter contestação interna com a sua oposição e pode ser "corrido".

Esta coligação de esquerda é um momento único que tão depressa não irá suceder e é uma oportunidade para novas ideias e novas pessoas que nos últimos 40 anos nunca aconteceu.

A questão é saber se há boa fé por parte da esquerda (PS/PCP/BE ou se é mera táctica política.